Governo de Rondônia
Terça, 09 de março de 2021

SAÚDE BÁSICA

Rondônia estuda implantação do programa de planificação da atenção à saúde, que tem com foco na prevenção de doenças

26 de janeiro de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

Debate sobre o programa foi realizado com a presença do governador Confúcio

Debate sobre o programa foi realizado com a presença do governador Confúcio

O governo de Rondônia formata um plano de ação voltado para a atenção básica de saúde – porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS) – em todos os municípios do estado. A meta é derrubar os índices negativos colecionados pela maioria das prefeituras, e avançar na prevenção de doenças evitáveis, responsáveis pelo inchaço no atendimento de alta complexidade, a chamada atenção especializada, nas unidades de saúde da rede estadual.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), trata-se da Planificação da Atenção à Saúde, que tem como objetivo o planejamento, a mudança nos processos de trabalho e no conhecimento compartilhado. Em outras palavras, uma mudança geral de protocolos, de metas, da acolhida e humanização, nos serviços prestados pelas prefeituras, já que a atenção básica é de responsabilidade dos municípios.

O projeto está sendo elaborado por técnicos da Gerência de Programas Estratégicos em Saúde (GPES) da Sesau, com a participação de profissionais de todas as regionais de saúde do estado. O trabalho tem a assessoria técnica do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Na terça-feira (24), técnicas do Conass debateram, durante oficina com toda a equipe técnica da Sesau, o governador Confúcio Moura, secretário Williames Pimentel e o adjunto Carlos Eduardo Maiorquim, pontos específicos da planificação.

Dentro da proposta elaborada para a Planificação da Atenção à Saúde, o secretário cobra maior envolvimento das regionais de saúde na aplicação dos protocolos estabelecidos e pactuados. “É preciso que os técnicos visitem as unidades de saúde dos municípios, estreitem o relacionamento com profissionais e busquem, através do convencimento, implantar a mudança de comportamento e ação que contamina a atenção básica na maioria das cidades. É fundamental que todos tenham a convicção que o programa só terá êxito com a dedicação e persistência de quem está na linha de frente”, avalia Pimentel.

PONTOS DA PLANIFICAÇÃO

Maria José Oliveira Evangelista, responsável técnica pelo projeto de planificação, disse ser fundamental o planejamento, plano mensal, mudança nos processos de trabalho e conhecimento compartilhado por meio de uma rede formada por consultores, facilitadores e tutores que configuram a Planificação da Atenção à Saúde, em curso em diversos estados brasileiros.

Ela destacou que o Conass, com experiência acumulada há mais de dez anos, está apoiando tecnicamente e in loco a organização Atenção Primária à Saúde e da Atenção Especializada em todo o País, fomentando a efetivação de um modelo que prioriza a qualificação da atenção à saúde dos brasileiros, afirmou.

De acordo com Maria José, Rondônia sai na frente no Brasil, e para que o programa tenha sucesso, é preciso o envolvimento do governador, do secretário. “Isso já temos. Podemos dizer que 70% da planificação já andou graças à visão e ao comprometimento dos gestores – governador e secretário – em implantar este novo modelo para atenção primária de saúde”.

Maria José disse, ainda, que a territorialização é uma das características do projeto que vem promovendo grandes mudanças nas regiões de saúde que estão apostando no modelo que direciona para a organização dos processos das unidades de saúde e para a integração das atenções primária e especializada.

Técnicos de todas as regionais de saúde participaram das discussões em Porto Velho

Técnicos de todas as regionais de saúde participaram das discussões em Porto Velho

Ela observou, também, que gestores e profissionais envolvidos no projeto descrevem a experiência com otimismo, considerando-a como um processo que tem tudo para se estabelecer como modelo da política pública de saúde tendo em vista os resultados já alcançados.

SEMINÁRIO

O programa que propõe Planificação da Atenção à Saúde será apresentados aos novos prefeitos – eleitos e reeleitos -, durante seminário que acontecerá de 6 a 8 de março, em Porto Velho.

O secretário falou sobre a importância de implantar agora, no início da gestão da maioria dos prefeitos, os protocolos que a planificação propõe. Os prefeitos precisam conhecer as obrigações dos municípios no SUS, e mostrar, com dados, números e resultados, que se cada prefeito fizer o dever de casa, a saúde vai avançar não só no atendimento, mas principalmente na prevenção.

“Há comprovação de que 80% das doenças que incham hoje as unidades de média e alta complexidade poderiam ser evitadas, caso a atenção primária funcionasse”, ressaltou o secretário.

Leia mais:
Governador defende organização da atenção básica de saúde para garantir sustentabilidade ao SUS


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Capacitação, Cursos, Economia, Educação, Governo, Inclusão Social, Infraestrutura, Rondônia, Saúde


Compartilhe