Governo de Rondônia
Sexta, 26 de fevereiro de 2021

EDUCAÇÃO

Adolescentes realizam provão nas unidades socioeducativas de Porto Velho

16 de junho de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

54 alunos foram inscritos para realização do provão do Ceja

54 alunos foram inscritos para realização do provão do Ceeja

Cinquenta e quatro adolescentes da Unidade Masculina Sentenciada I realizaram o provão do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceeja) da Escola Padre Moretti. As provas com disciplinas do ensino fundamental e médio estimulam os socioeducandos a colocar em prática o que aprendem na escola dentro das unidades do Estado de Rondônia.

Duas vezes ao ano a Escola Padre Moretti fornece o provão nas unidades socioeducativas de Porto Velho, em nível de ensino fundamental 1, ensino fundamental 2 e ensino médio. De acordo com a supervisora da escola socioeducativa, Raica Fabíola, 54 adolescentes foram inscritos e realizaram a prova em dois dias.

A idade mínima para realização da prova é 15 anos para o nível fundamental e 18 anos para nível médio. Todos os adolescentes dentro do critério de idade, que estão na unidade, foram inscritos. Alguns adolescentes que foram transferidos de outras unidades também puderam participar. A correção é de responsabilidade do Padre Moretti, onde o resultado deve sair em até 30 dias.

O processo de escolarização da unidade é feito pelo sistema modular de ensino, onde os adolescentes assistem apenas duas disciplinas por período, o que facilita na preparação para o provão. Apesar da prova conter todas as disciplinas do ensino fundamental ou médio, o socioeducando consegue eliminar algumas disciplinas de acordo com a nota de aprovação. “Conta como crédito para o próximo provão”, explicou Raica. Além do Ceja, as unidades socioeducativas e prisionais recebem o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), que também influenciam na aprovação de disciplinas pendentes.

A direção da unidade acredita na priorização da educação como processo fundamental para a reinserção dos adolescentes. Com a defasagem escolar enquanto ainda estão em liberdade, muitos socioeducandos sentem dificuldade no aprendizado, sem o conhecimento necessário. “A experiência que eles têm no provão faz com que amadureçam, veem os colegas sendo aprovados e enxergam que também são capazes, desde que se esforcem . Há um despertar, percebem o quanto a escola é importante na vida deles. Têm a consciência que só passar não é suficiente, mas quer passar com conhecimento“, relatou a supervisora.

Hoje, a unidade conta com diversas atividades de reinserção além da escola, como a confecção de croché, esporte e lazer, atividades laborais e a informática, que está sendo implantada, para capacitação técnica em manutenção e curso de digitação. “Quando o adolescente tiver sua liberação, pode ter outro contexto lá fora, pode vir a entender que o estudo faz com que ele saia do crime, de atos infracionais”, disse o diretor Maurício da Costa Silva.

E.M. tem 15 anos e está há um mês e doze dias na unidade. O adolescente contou que achou a prova fácil, apesar de não estudar com frequência enquanto estava em liberdade. Ele, que morava com a avó desde o falecimento da mãe, ainda não enxerga expectativas para o futuro, mas quer continuar participando das provas.

Os resultados dos provões têm sido satisfatórios à Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), que caminha com o crescimento da ressocialização no sistema penitenciário e socioeducativo. A próxima prova do Ceja acontece em novembro, antecedendo ao Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), onde todos os adolescentes também podem participar, conforme os critérios estabelecidos.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Gaia Quiquiô
Fotos: Gaia Quiquiô
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Educação, Governo, Inclusão Social, Justiça, Legislação, Rondônia


Compartilhe