Governo de Rondônia
Domingo, 07 de março de 2021

Agência de Defesa Sanitária quer ampliar acesso ao controle da cigarrinha das pastagens

03 de fevereiro de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

A Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) vem solicitando junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) celeridade nos processos para a inclusão de pastagens no registro de alguns agrotóxicos usados para combate à cigarrinha das pastagens. A medida permitirá que o produto possa ser vendido para combater a praga nos pastos.
O coordenador do Programa de Controle de Pragas da Idaron, Getúlio Moreno, explica que, em Rondônia, atualmente existe apenas um produto com autorização para ser vendido para combater as cigarrinhas nas pastagens, mas que já existem outros produtos para combater as cigarrinhas em outras culturas, como cana-de-açúcar e arroz. “A inclusão de pastagens no registro de alguns produtos vai aumentar as opções de produtos disponíveis, aumentar a concorrência e baixar os custos para os pecuaristas”.
As cigarrinhas atacam as gramíneas, causando a destruição de cerca de 30% das pastagens. “Com sete milhões de hectares de pasto, em Rondônia, o prejuízo estimado é de aproximadamente 300 milhões de dólares por ano”, conta o coordenador da Idaron.
Como medida de prevenção da praga, a Idaron ministrou 44 minicursos para 724 produtores rurais nos últimos três meses de 2013. Nos minicursos, os produtores foram informados de como identificar a cigarrinha, seu ciclo de vida, como monitorar e como, quando e com o que fazer o controle. “Durante todo o ano de 2013, nós investimos em educação sanitária porque entendemos a importância do produtor rural para a defesa sanitária do Estado”, fala o presidente da Idaron, Marcelo Henrique Borges.
A gerente de Defesa Vegetal da Idaron, Rachel Barbosa, alerta que os produtores devem usar apenas produtos apropriados para a lavoura. “Antes de serem liberados para venda, os agrotóxicos são testados, inclusive a quantidade de resíduos. Usar o produto certo é segurança alimentar”.
De acordo com o presidente da Idaron, solicitar celeridade nos processos é defender o interesse do produtor rural rondoniense. “É ordem do governador trabalharmos em prol dos agropecuaristas. Reconhecemos o quanto este setor contribui para a economia e formação do Estado”, destaca.
Além do controle químico, o produtor pode adotar medidas para evitar a praga, como uso de gramíneas resistentes às cigarrinhas; divisão de pastagens para evitar o superpastejo; manter a vegetação nas grotas e encostas, preservando os predadores naturais; a manutenção da altura mínima do pasto de 25 cm em média; e, evitar queimas.
Há também como realizar o controle biológico das cigarrinhas através do fungo Metarhizuim anisopliae. O fungo, inimigo natural das cigarrinhas das pastagens, deve ser liberado nos pastos no início do ciclo do inseto (início do período chuvoso) ou após a constatação de uma população média entre 20 e 25 ninfas grandes por metro.

 


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agropecuária


Compartilhe