Governo de Rondônia
Sexta, 16 de novembro de 2018

Controle Quirópteros

Governo do Estado de Rondônia

Quirópteros

Os Quirópteros ou Morcegos são os mamíferos que apresentam estruturas especializadas que permitem o voo verdadeiro (figura 1).  No Brasil são conhecidas nove famílias, 64 gêneros e 167 espécies, distribuídas em todo território nacional.

Hábitos Alimentares

Os Morcegos Apresentam uma diversidade de hábitos alimentares, podendo se alimentar de insetos e outros artrópodes, frutos, sementes, folhas, flores, pólen, néctar, pequenos vertebrados e até sangue. Algumas espécies são altamente especializadas em de um tipo de alimentação, enquanto outras comem um pouco de cada coisa.

Habitats

Os morcegos podem se refugiar em cavernas, fendas das pedras, troncos  e galhos de árvores, cupinzeiros e construções  humanas formando grupos  onde podem coabitar espécies diferentes formando o que chamamos de “COLÔNIAS”.

A importância dos morcegos

  • Ajudam no controle dos insetos, onde um morcego insetívoro pode devora mais de 600 mosquitos por hora;
  • Ajudam no controle de pequenos animais, incluindo roedores, que podem prejudicar a agricultura;
  • A saliva do morcego, por ter forte ação anticoagulante, poderá ser largamente empregada para o tratamento de várias doenças vasculares;
  • Os morcegos têm sido analisados na utilização do sonar que poderá auxiliar o homem;
  • As fezes constituem excelente adubo que foi largamente explorado, até o desenvolvimento dos adubos sintéticos;
  • Espalham sementes de centenas de espécies de árvores, contribuindo desta forma para a recomposição de nossas florestas e matas;
  • Polinizam as flores contribuindo para a regeneração das florestas degradadas, disseminação e distribuição de várias plantas.

Morcego e saúde pública

1.  São transmissores de doenças zoonóticas  casusadas por:

  • Vírus: Raiva e Arboviroses;
  • Bactérias: Leptospirose, Salmonelose e riquetsiose;
  • Fungos: Criptococose e histoplasmose.

2.  Podem se abrigar em abrigos em construções que dependendo do tamanho da colônia pode causar transtorno aos moradores devido ao barulho e ao acúmulo de fezes;

3.  Em ambientes urbanos e rurais (pomares e outras plantações) podem provocar transtornos à população e certos prejuízos econômicos ao danificar frutos;

4.  Agressões acidentais podem ocorre em animais ou mesmo em humanos.

Recomendações

Quando há presença de Morcegos na residência:

  • Uma vez constatada a presença de morcegos na edificação, procure orientação especializada;
  • Não mate os morcegos indiscriminadamente. A grande maioria das espécies existentes é benéfica ao homem e a natureza;
  • Todos os morcegos, independentemente do seu hábito alimentar, podem morder se forem perturbados. Se estiverem contaminados, podem transmitir a raiva que é uma doença sempre fatal, na ausência de tratamento apropriado. Portanto, evite o contato direto com o morcego.

Quando ocorreu agressão por morcego em humanos:

  • Lave o local com bastante água e sabão;
  • Não mate nem jogue fora o animal;
  • Procure orientação médica na Unidade de Saúde mais próxima de sua casa imediatamente;
  • Ligue para o CENTRO DE CONTROLE DE ZOONOSE do seu município ou órgão de saúde equivalente, que um profissional habilitado irá buscar o morcego mesmo que este esteja morto;
  • A avaliação do morcego é muito importante para você e toda a comunidade para descartar a possibilidade do animal estar doente de raiva.

Compartilhe


Twitter
Facebook
Youtube