Governo de Rondônia
Domingo, 16 de maio de 2021

SAÚDE

Ampliação de parceria entre governo e Irmãs Marcelinas desafogará atendimento no pronto-socorro JP II

24 de fevereiro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

gov-marcelinas-01

O novo formato do atendimento hospitalar prestado pelas irmãs Marcelinas em Porto Velho começou a ser delineado nesta terça-feira (24).  Os ajustes vão permitir que, dependendo do perfil, pacientes do Hospital e Pronto-Socorro João Paulo II sejam transferidos para a unidade mantida pelas religiosas. As inovações ajudarão a desafogar o maior centro de atendimento emergencial da capital.

A irmã Rosane Ghedin, presidente da Casa de Saúde Santa Marcelina, que mantém um hospital em Porto Velho, veio de São Paulo para reforçar a parceria com o governo de Rondônia. A organização atua há 54 anos em parcerias públicas no país.

Com a experiência de quem tem cinco hospitais em São Paulo, a presidente Rosane Ghedin disse que pretende manter e ampliar os serviços em Rondônia.  A religiosa disse ao governador Confúcio Moura que conhece os problemas da saúde pública no país.

A presidente da Casa de Saúde Santa Marcelina destacou no encontro, do qual participaram ainda o secretário de estado da Saúde Williames Pimentel e o secretário-chefe da Casa Civil Emerson Castro, que a receita para que a parceria continue sendo proveitosa e amplie seu alcance é a sintonia entre a organização e o governo estadual. “Sei que a  saúde é cara e difícil. E que as necessidades são infinitas e os recursos são finitos”, declarou.

“A população reconhece o valor do trabalho realizado na área de saúde pelas irmãs Marcelinas”, disse o governador. Ele deixou claro que é possível avançar na parceria e reconheceu que isto pode ser feito aos poucos para que a adequação seja eficaz. Uma das propostas apresentadas é que a organização participe das chamadas públicas para oferecer seus serviços.

Trabalho das irmãs Marcelina é reconhecido

Trabalho das irmãs Marcelina é reconhecido

Para o  secretário Pimentel, a parceria é importante para o estado, mas sugeriu que a organização das religiosas ofereça mais serviços na média e alta complexidade, uma vez que há avanços no atendimento primário.

Ao final do encontro, as partes concordaram que são necessários ajustes para que a parceria seja mais proveitosa. Uma das formas que serão discutidas imediatamente é a transferência regular de pacientes do Hospital João Paulo II para a conclusão do tratamento no hospital das irmãs marcelinas. Para que isto ocorra, será necessário flexibilizar o perfil dos pacientes atendidos pelas religiosas.

Com a disponibilidade de leitos no hospital das irmãs Marcelinas surgirão vagas para o atendimento de emergência no maior hospital e pronto-socorro da capital. Segundo a irmã Rosane, que estava acompanhada da diretora do hospital mantido pela entidade em Porto Velho, irmã Lina Maria Ambiel , as mudanças podem ser discutidas regularmente a fim de produzir os efeitos necessários.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Nonato Cruz
Fotos: Bruno Corsino
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Convênios, Economia, Governo, Saúde, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe