Governo de Rondônia
Segunda, 01 de março de 2021

ALTA COMPLEXIDADE

Aproveitamento de consultas na Policlínica Oswaldo Cruz em Porto Velho é superior a 70%

18 de maio de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

A Policlínica Oswaldo Cruz (POC) – referência em Rondônia no tratamento de alta complexidade, com capacidade de mil consultas por dia, em 40 especialidades – tem 71,88% de aproveitamento de consultas. Um índice considerado acima da média, em comparação com outros estados.

grafico-consultas-poc-01Os dados estão no relatório de gestão de 2016, apresentado semana passada pela Assessoria Técnica da Secretaria Estadual de Saúde (Astec/Sesau). No total, 268.888 consultas foram agendadas – com dia e hora – pelo setor de regulação da policlínica, de janeiro a dezembro do ano passado.

Desse número, segundo dados da Astec, 192.859 consultas foram realizadas, totalizando um crescimento de 30% em relação ao mesmo período de 2015. De acordo o relatório de gestão, 153.090 foram consultas médicas, 37.946 consultas de programas – hanseníase, pré-natal de alto risco, infectologia – e 76.852 especialidades não médicas.

De acordo com o secretário Williames Pimentel, além do crescimento da oferta pelo governo de Rondônia, através do Sistema Único de Saúde (SUS), e do aumento do índice de aproveitamento dos agendamentos, o estado comemora, ainda, o sucesso da regulação implantado pelo governo.

Ele explicou que a Sesau tem controle total de todos os procedimentos realizados: nome do paciente, local onde mora, qual a especialidade, quando foi atendido, quanto o paciente custou ao estado, enfim, possui dados confiáveis, atualizados para traçar um perfil dos pacientes atendidos e o investimento do governo em cada especialidade, um avanço grande, um salto de gestão que precisa ser comemorado.

AMBULATÓRIOS
O relatório apresenta ainda um dado positivo em relação à cobertura de alta complexidade oferecida pelo estado: o crescimento na oferta da Atenção Ambulatorial Especializada. Dados do relatório apontam um aproveitamento de 99%, uma das mais altas do País.

De janeiro a dezembro do ano passado foram programadas 786.403 consultas. Desse total, foram realizadas 779.056. Porto Velho – que está na região de Saúde Madeira-Mamoré – foi responsável por 64% dos atendimentos. Em segundo, a região Central, com 9% das consultas realizadas, seguida do Sul, com 7%.

Pimentel chama a atenção para um dado: a região do café ficou com 6% da Atenção Ambulatorial Especializada. Segundo ele, o índice mostra que a estratégia montada pelo governo de Rondônia com a criação do Complexo Hospitalar de Cacoal para a descentralização do atendimento está funcionando. Hoje, a região tem estrutura para atender procedimentos de alta complexidade – inclusive de cirurgias – que desafogam o João Paulo II, e garante à população atendimento sem a necessidade de vir para Porto Velho, como acontecia anteriormente.

Leia mais:

Policlínica Oswaldo Cruz de Porto Velho diminui fila de espera para oftalmologia atendendo a mais de 20 mil pacientes


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Infraestrutura, Rondônia, Saúde


Compartilhe