Governo de Rondônia
Sábado, 08 de agosto de 2020

AGOSTO DOURADO

Banco de Leite Santa Ágata reforça a importância do aleitamento materno

31 de julho de 2020 | Governo do Estado de Rondônia

Mães podem doar leite materno e ajudar outras crianças

Aquela sensação de amor, de aconchegar o bebê nos braços e amamentar. Esse vínculo único, entre a mãe e o bebê, proporciona melhor qualidade de vida para as crianças, através do leite materno.

Mas nem sempre o processo é simples assim, muitas mães têm dificuldade na hora de amamentar. E aí que entra o trabalho desenvolvido pelo Banco de Leite Santa Ágata (BLH), anexo ao Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, em Porto Velho, intensificando que a melhor opção para nutrir o bebê nos primeiros seis meses de vida é o leite materno, por ter todos os nutrientes necessários para alimentar e hidratar a criança, além de trazer inúmeros benefícios para a mãe, família e sociedade.

A coordenadora do Banco de Leite, Edilene Macedo Cordeiro, explica que o Santa Ágata é uma instituição de referência em aleitamento materno em Rondônia, com uma equipe multiprofissional qualificada para oferecer orientações, apoio e ajuda nas dificuldades relacionadas à amamentação. A unidade é ainda responsável pela coleta e pasteurização de leite humano destinado às crianças prematuras e de baixo peso internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal.

DE DOADORA A RECEPTORA

O Santa Ágata também recebe doação de leite materno, como foi o caso da empreendedora Geisiane Santos Marinho Félix, que desde o nascimento da primeira filha, Emanuele de dez anos, decidiu ser doadora. Com o nascimento da segunda filha, Letícia, seis anos, não foi diferente, ela também fez doações no Banco de Leite.

 

“Eu amei a experiência da amamentação com as minhas duas primeiras filhas, e foi gratificante poder ajudar outras mães que não podiam amamentar seus recém-nascidos”, lembrou Geisiane.

 

Mas após cinco anos do nascimento de Letícia, Geisiane precisou da ajuda do Banco de Leite, o terceiro filho, desta vez um menino, Beijamim, hoje com um ano e nove meses, nasceu com 31 semanas, prematuro extremo e baixo peso. Mãe e filho foram acolhidos e beneficiados com a doação de outras mães que, assim como Geisiane fez nas primeiras gestações, compartilham a experiência, o amor e a solidariedade por meio deste líquido tão precioso para os bebês. “Depois do primeiro mês de vida, Beijamim foi para o canguru e aprendeu a mamar. Ele ficou no aleitamento exclusivo até os seis meses.  Meu filho hoje é uma criança forte e saudável”.

DESAFIOS E APOIO

O leite materno é essencial para a saúde e vida dos bebês

Mas ela lembra que, no início, não foi fácil. Assim como outras mães, teve dificuldade para amamentar. “No pré-natal não fazem orientação como amamentar, tive que aprender com o pessoal do Banco de Leite. A maior dificuldade foi a pegada, pois o seio não tinha bico. Mas com a ajuda deles, tudo deu certo, tanto que me tornei doadora nas primeiras gestações”.

Geisiane lembra o carinho e apoio dos profissionais que trabalham na unidade. “Eu fui bem tratada, desde o pessoal do atendimento até os profissionais que trabalham na UTI neonatal. Recebi toda orientação. Eles são pacientes, carinhosos e nos tratam com muito amor. Desde a primeira vez, eu estava internada e uma enfermeira me levou para o banho para me ajudar com o seio que estava ‘empedrado’ de tanto leite, a partir dali todo ensinamento e orientação foram decisivos sobre minha opção de ser doadora de leite materno”.

PROCUROU AJUDA E SE TORNOU DOADORA

Outra mãe que teve apoio do Banco de Leite para ser doadora foi a gerente administrativo-financeiro Fernanda Carnoski, quando teve o seu primeiro filho Luiz Miguel, hoje com 10 anos. “O meu peito começou a empedrar e tive muitas dores, até febre. Meu marido soube do Banco de Leite e fomos até lá,  recebemos todos os cuidados, orientação e carinho da equipe. E confesso que foi um alívio imediato”, lembra emocionada.

Depois da experiência exitosa, Fernanda passou a doar. A cada três dias, ou semanalmente, uma equipe do Santa Ágata ia até a casa da doadora fazer a coleta do leite. “ Eu ficava vibrante quando eles informavam sobre o ganho de peso de alguns bebês debilitados que estavam recebendo o leite que eu estava doando. Isso alegrava meu coração. Saber que além do meu filho saudável, outros irão ficar também”.

Em 2014 veio a Ludmila, segunda filha de Fernanda, hoje com seis anos, na época, a mãe também optou por doar o excedente do leite materno.

AGOSTO DOURADO

Leite humano pasteurizado pode ser armazenado por até seis meses e atende bebes internados em UTI Neonatal

A amamentação e o leite humano é tão importante, que existe um mês todo dedicado à promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e à doação com a campanha Agosto Dourado. As comemorações começam já no dia primeiro, com o Dia Mundial da Amamentação. Ainda na primeira semana de agosto, acontece a Semana Mundial do Aleitamento Materno. Este ano, o slogan da campanha é “Apoie o aleitamento materno por um planeta saudável”.

Por conta da importância do leite humano, o deputado estadual Jair Montes solicitou ao Poder Executivo a realização de campanha de incentivo para doação de leite materno.

Devido a pandemia, o Banco de Leite não promoverá ações de orientações em espaços públicos, mas a direção do Santa Ágata, com o apoio da Secretaria de Estadual de Saúde (Sesau), fará palestra on-line pela plataforma Google Meet, na terça-feira (4), às 14h, sobre a amamentação em época de pandemia para todo os profissionais de saúde que trabalham com orientação às lactantes.

ATENDIMENTO

Toda mulher que esteja amamentando e que precise de ajuda ou tenha leite em excesso e queira doar, pode procurar o Banco de Leite, na Av. Jorge Texeira, em Porto Velho, de segunda a sábado, das 7h às 12h e das 13h às 18h. Não há necessidade de encaminhamento e agendamento para ter atendimento.

 

Leia Mais :

 Banco de Leite Santa Ágata em Porto Velho orienta mães na amamentação

Banco de Leite Santa Ágata pede por doadoras para atender bebês internadosno Hospital de Base em Rondônia

Banco de Leite mantém serviços de coleta externa durante a pandemia seguindo cuidados de prevenção à contaminação

 


Fonte
Texto: Elaine Barbosa
Fotos: Frank Nery
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Brasil, Governo, Informativo, Municípios, Rondônia, Saúde, Serviço, Sociedade


Compartilhe