Governo de Rondônia
Sábado, 16 de novembro de 2019

AVANÇO TECNOLÓGICO

Bloqueio em pagamento de servidor estadual por atraso de frequência deixará de existir com “Ponto Digital Online”

17 de junho de 2019 | Governo do Estado de Rondônia

Sistema foi produzido no setor de Desenvolvimento da EpR sem custo para o Estado

 

O registro de ponto por biometria trouxe particularidades como a necessidade da aquisição de máquinas que realizassem a leitura das digitais, além da aquisição de programas para a codificação destes dados. Foi aí que a Superintendência do Estado para Resultados (EpR), junto com o servidor do Núcleo de Administração de Freqüência e Adicionais do Servidor (Nafas), Gustavo Campos, deram início ao “Ponto Digital Online” um novo sistema para que chegassem aos quatro cantos do Estado sem a compra de equipamentos.

Um dos maiores problemas causados pelo atual método de registro de frequência é o bloqueio dos pagamentos de salários. Com o “Ponto Digital Online” não haverá a necessidade da compra de equipamentos para realizar a leitura de biometrias, acaba com atraso nos envios de dados das frequências e não será mais necessário contratar sistemas para a codificação.

Com o novo sistema, o governo  economizará com a impressão de milhares de folhas de papel para a assinatura, além de tonners e impressoras, terá mais agilidade quanto às informações para processos, uma vez que todas as frequências estarão arquivadas de forma online e saberá a localização exata dos seus servidores assim como o banco de horas para poder fazer uso caso existam horas extras. Assim acabando com o bloqueio de pagamentos dos servidores.

A criação de um sistema de registro de frequência por biometria foi iniciada no final do ano de 2017, ficando restrita a poucas secretarias encontradas no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho. Com o início da gestão do governador Coronel Marcos Rocha, o setor da Superintendência Estadual de Gestão de Pessoas (Segep), responsável pelo gerenciamento das frequências de todo o Estado, assumiu a responsabilidade de abranger a todos os servidores.

A EpR desenvolveu o Sistema Integrado de Frequência (SIF), o sistema vinha atendendo as necessidades do Palácio Rio Madeira, porém esse número representava menos de 10% dos servidores do Estado. Com a criação dos registros de ponto via login, o governo atende quase 50 mil servidores. O “Ponto Digital Online” alcançará os mais distantes servidores. Dentro do sistema possui um acesso para “auditoria”, que funcionará vinculando a batida de ponto ao IP da máquina que o efetuou. Desta forma poderá ser feito levantamento de data, horário, local que o servidor registou seu ponto, além da homologação do chefe imediato, que atestará a veracidade das informações.

 

“O sistema é simples e não vai ter dificuldades no uso. O sistema foi desenvolvido para interligar o gerenciamento das frequências sob responsabilidade do chefe do setor e RH. Outro ponto, que fez dar prioridade para implantação desse sistema, é a economia que vai trazer quanto à redução de papel e agilidade nas informações”, pondera coronel Delner Freire, superintendente da EpR,

 

Já para o superintendente da Segep, Coronel Julio Figueiroa “a ideia do sistema é para auxiliar o servidor que faz hora extra, dando uma ferramenta que justifique na comprovação para quando um chefe solicitar essas horas. Com o registro no sistema é mais fácil validar”. Segundo o Figueiroa, a Segep está marcando uma ida da equipe técnica aos municípios para realizar orientações aos chefes de setor, para que os servidores utilizem o sistema.

Se faltar energia no horário de serviço e o servidor não puder bater o ponto no sistema, no outro dia ou em algum determinado momento será possível corrigir. Para Hudyson Barbosa, diretor Executivo de Tecnologia da Informação e Comunicação (Detic), “nesse sistema é possível verificar o IP da máquina e de onde foi batido o ponto”.

Gustavo com as folhas de frequência em papel físico

FREQUÊNCIAS 

Através do sistema, o próprio servidor vai logar e bater seu ponto, registrando sua entrada e sua saída. Se houver consistência nessa forma digital, o gestor do setor poderá corrigir naquele momento verificado. Segundo Maico Moreira, gerente de desenvolvimento da EpR “foi realizado um mecanismo para essa correção ser momentânea e facilitar o processo de frequência”.

A frequência não é um documento feito apenas uma vez, relata Gustavo Campos do Nafas, “ela tem que ser feita todo mês e ser entregue sempre em uma data certa. O servidor precisa da frequência para tudo”.

Com o sistema, o servidor verifica seus dias de férias e as justificativas em caso de faltas são realizadas da mesma forma que está vigente hoje. Os recursos para abono de falta devem ser encaminhados para o RH. Assim como a transferência de um servidor. “O servidor não será mandado para um setor pelo sistema, ele será puxado pelo setor de transferência”, fala Gustavo Campos.

Leia mais:

Rondônia quer expandir Infovia e atrair municípios para parcerias

Junção de todas as senhas do governo de Rondônia em único sistema entra em atividade


Fonte
Texto: Maximus Vargas
Fotos: Frank Néry, Maximus Vargas
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Brasil, Governo, Municípios, Rondônia, Segurança, Serviço, Servidores, Sociedade, Tecnologia


Compartilhe