Governo de Rondônia
Sexta, 26 de fevereiro de 2021

PARCERIA

Bolívia inicia exportação de madeira pelo Porto Público de Rondônia

05 de dezembro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

visita-bolivianos_03-12-2016_rafaela-schuindtA tratativa da negociação surgiu após visita técnica da comitiva boliviana, realizada no sábado, 03 no Porto Público de Porto Velho.

A comitiva foi recepcionada em Porto Velho pelo diretor presidente da Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (Soph), Leudo Buriti, equipe técnica e logística do Porto Público, chefia de gabinete do vice governador, o coordenador do projeto Floresta Plantada da Secretaria de Desenvolvimento de Estado de Meio Ambiente (Sedam), Edgar Menezes Cardoso; representantes da Mediterranean Shipping Company (MSC) e BDX Florestas.

O deputado por Guayaramerín na Bolívia Fruto Ruiz Mama explicou sobre o interesse boliviano no desenvolvimento da região. “Temos interesse em incentivar o setor agrícola para escoar por Rondônia, que é o caminho mais viável para o nosso País alcançar o mercado internacional. Quando vivenciamos uma restrição econômica no Brasil, há prejuízos diretos em Guayaramerín e como representante, precisamos visar a parte social fomentando a economia”, frisou.

Segundo o empresário Dário Lopes, da BDX Florestas, a iniciativa dessa reunião é desconstruir a informação inverídica sobre as condições de movimentação de carga no Porto Público. “Precisamos expandir ainda mais a informação que temos um recinto alfandegado disponível em Rondônia, que permite ao exportador lacrar a carga aqui e enviá-la diretamente ao País de destino com o BL disponível no momento do embarque. Temos também aptidão para receber remessa de cargas de países vizinhos. É completamente inviável enviar os produtos dessa região pelos portos localizados no Sul e Sudeste do Brasil”, reforçou.

Durante a reunião, o deputado informou que a Câmara de Comércio Boliviano leva até 40 dias para disponibilizar o documento para o exportador. “Quem atua com exportação, um dia é muita coisa, imagina reduzir esse prazo para apenas 10 dias que é tempo determinado para liberação do documento ao transportar a mercadoria por Rondônia. Temos uma dificuldade logística de escoamento da produção, em que pese os portos do Chile, Argentina e Peru além de distantes, risco de acidentes nas estradas que são de difícil acesso, acarretam na elevação do custo dos nossos produtos e perdemos espaço para concorrentes internacionais”, afirmou Fruto Ruiz.

Inicialmente, foram reservados cinco contêineres de 40 TEU para transportar madeira, e posteriormente os bolivianos começarão a exportar também castanha e minérios pelo Porto Público de Porto Velho.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Rafaela Schuindt
Fotos: Rafaela Schuindt
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Economia, Governo, Infraestrutura, Meio Ambiente, Rondônia, Servidores, Sociedade, Transporte


Compartilhe