Governo de Rondônia
Sábado, 06 de março de 2021

SANEAMENTO BÁSICO

Cacoal inicia em fevereiro pesquisa do SUS para tratamento de esgoto sanitário em sistemas alagados construídos

28 de dezembro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

esgoto_cacoal

Projeto piloto ganhará gramado ao redor

Começa em fevereiro de 2017 a primeira pesquisa de tratamento de esgoto sanitário para o tratamento de efluentes em sistemas alagados construídos – wetlands (pantanais).

O anúncio foi feito esta semana pelo professor, engenheiro ambiental e mestre em engenharia sanitária Thiago Emanuel Possmoser Figueiredo Nascimento, da Unesc – Faculdades Integradas de Cacoal.

A experiência pioneira nesse município a 500 quilômetros de Porto Velho utiliza tecnologias convencionais e alternativas adotadas pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que financia a instalação, ampliação e/ou melhorias em sistemas de esgotamento sanitário nos municípios de pequeno e médio porte.

Avaliada em R$ 27,5 mil, a pesquisa em Cacoal foi contemplada pela chamada nº 003/2016 da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa em Rondônia (Fapero), via Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde (PPSUS), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e Secretaria Estadual de Saúde.

“Os recursos públicos são muito bem-vindos para a nossa unidade piloto, que inicialmente teve apoio particular; o sistema é robusto, porque trata e remove poluentes, evitando a proliferação de doenças em cursos d’água”, explicou Thiago Emanuel.

A pesquisa será finalizada até 2019. Para sua execução, o professor Thiago Emanuel conta com o apoio do professor Cássio Lanfredi Santos, do curso de Biomedicina, que trabalhará nas análises biológicas e parasitológicas.

No âmbito da Funasa, o sistema alagado construído fomenta coleta, tratamento e destino final de esgotos sanitários, com o cuidado de controlar doenças e outros agravos. Isso contribui para a redução da morbimortalidade provocada por doenças de veiculação hídrica e para o aumento da expectativa de vida e da melhoria na qualidade de vida da população.

CONTAMINAÇÃO

Em Rondônia ainda se usam águas de mananciais subterrâneos e de nascentes, ambos em contato com parasitas. Cacoal, a 500 quilômetros de Porto Velho, tem 86 mil habitantes. A pesquisa contemplará também outros municípios e distritos, abrangendo zonas urbana e rural. Serão levantados custos de material e mão de obra para a construção de estações.

Segundo explicou o professor Thiago, a sequência do projeto de pesquisa de tratamento de esgotos utilizando wetlands já serviu como trabalho de conclusão de curso do acadêmico Anderson Mariani Simões e servirá também para formação de outros acadêmicos na Unesc. A professora Lila Francisca Reis Matos, coordenadora do curso de Engenharia Ambiental apoiou essa iniciativa.

Com os recursos, a Unidade Experimental para Tratamento de Efluentes, instalada na Estação Elevatória do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Cacoal, também receberá materiais de campo e laboratório.

Leia mais:

Rondônia ganha incubadora para empresas

Workshop apresenta pesquisas científicas realizadas em Rondônia

Financiado pela Fundação de Pesquisa de Rondônia, pesquisador investiga causas de abandono de vila por moradores


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Divulgação
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Água, Governo, Meio Ambiente, Rondônia, Saneamento, Saúde, Sociedade


Compartilhe