Governo de Rondônia
Sexta, 22 de novembro de 2019

Projetos

Governo do Estado de Rondônia
PROJETOS E PARCERIAS DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO AMBIENTAL – GMAM
 

1- Programa de Educação Ambiental da CAERD: Momento Ambiental e Caerd cuida das Águas

2- Mudanças Climáticas – Clima Urbano – UNIR

3- Águas Subterrâneas – CPRM

4- Bacias Urbanas – Prefeitura e Sipam

5- Probacias – Sipam e Ministério Público

 
 
1. PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA CAERD
 

O Projeto de Educação Ambiental atua em dois eixos: Primeiro Resíduos Sólidos, como fonte de contaminação das águas de abastecimento assim a Caerd ensina a população a cuidar das águas e oMomento Ambiental, que retrata vários assuntos relacionados ao meio ambiente. Essa temática se traduz em palestras para os colaboradores internos e em diversos eventos externos tais como dia mundial da água, dia mundial do meio ambiente, feiras agropecuárias, entrevista nos meios de comunicação em geral, atualização do site da Caerd na página www.caerd.com.br, Ação Global, palestras nos órgãos governamentais e nas comunidades.

2. MUDANÇAS CLIMÁTICAS CAERD E UNIR

Objetivo Geral da pesquisa é identificar a formação de núcleos de aquecimento (ilhas de calor) na cidade de Porto Velho. O micro clima altera através da crescente urbanização nas cidades, Porto Velho nos últimos anos vem sofrendo essas transformações: aumento da frota de veículos automotores, asfaltamento, arborização rara, são alguns fatores que influenciam na formação de ilhas de calor nas cidades e variáveis como: temperatura do ar, umidade relativa do ar, chuva, vento, nebulosidade e visibilidade são importantes ferramentas para identificar as ilhas de calor.

Em 2011, apresentou-se para a comunidade local a primeira amostragem da pesquisa. Os pontos mais quentes da cidade foram aqueles com maior presença de elementos urbanos, intensa circulação de veículos e pessoas e escassez de vegetação.

3. PESQUISA DA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRANEAS, PARCERIAS ENTRE A CPRM E CAERD

 Esse acordo Cooperação entre as duas instituições CAERD e CPRM, tem como objetivo estudar a qualidade das águas subterrâneas através dos poços profundos utilizados para abastecimento da população tem como eixo norteador difundir informações através do SIAGAS, para a população em geral e contribuir para a política de recursos hídricos no Estado de Rondônia.

Cadastrou-se 81 poços profundos, deste total, 100% foram amostrados quanto a qualidade das águas, Os resultados são positivos serão disponibilizados ao público pelo programa SIAGAS

O interesse interinstitucional quanto ao uso racional das águas subterrâneas, irá subsidiar a gestão sustentável dos recursos hídricos subterrâneos em Porto Velho (RO) e a Política Estadual de Recursos Hídricos; bem como difundir informações sobre qualidade e demais variáveis pesquisadas através do SIAGAS – Sistema de Informação de Águas Subterrâneas para a população em geral.

O monitoramento dos Poços Tubulares da CAERD tem objetivo de organizar a política de monitoramento de águas subterrâneas da Caerd, legalização dos terrenos, monitoramento de águas subterrâneas, base de apoio para estudos e pesquisas acadêmicas e informação para a população em geral. São os parâmetros iniciais do projeto.

No ano de 2.011, cadastrou-se 80 Poços Tubulares profundos localizados em diversos órgãos, escolas e atualizou-se as informações dos Poços, se encontram no banco de dados do SIAGAS (Sistema de Informações de Águas Subterrâneas).

Em 2.012 tem-se como meta realizar o monitoramento da qualidade das águas desses poços, em conjunto as duas instituições já realizaram a primeira amostragem de coleta e análise das águas.

Os Poços Tubulares da CAERD servem para suprir a demanda do abastecimento público de água do Município de Porto Velho – RO e o Projeto SIAGAS “é uma ferramenta utilizada de forma descentralizada, para a coleta, consistência, armazenamento e difusão de dados e informações hidrogeológicas. Dentre outras finalidades, possibilita elaborar mapas de águas subterrâneas (quantitativa e qualitativa) regionais de forma a apoiar técnicos dos órgãos gestores estaduais e municipais, no âmbito dos instrumentos de gestão de recursos hídricos subterrâneo.”

                                                      RELATÓRIO FOTOGRÁFICO DE CAMPO

Técnicos da CPRM e da CAERD, recadastrando os poços profundos da CAERD, utilizando recursos como máquina fotográfica, GPS, questionário, Ficha descritiva, spray, plaqueta de identificação e trena.

Técnicos da CPRM e da CAERD, recadastrando os poços profundos da CAERD, utilizando recursos como máquina fotográfica, GPS, questionário, Ficha descritiva, spray, plaqueta de identificação e trena.

4. PROGRAMA BACIAS URBANAS: PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VELHO E SIPAM
Objetivo é aprimoramento da gestão e do planejamento municipal, com foco na agenda do programa Sipamcidade.

O acordo tem por finalidade a promoção da cooperação e do apoio técnico entre o Censipam e a Prefeitura Municipal de Porto Velho – PMPV, com vista ao aprimoramento da gestão e do planejamento municipal.

Quanto ao apoio institucional à implantação de programas de recuperação ambiental em bacias localizadas em áreas urbanas, a Caerd foi convidada para participar no projeto com Educação Ambiental, disponibilizou 5 mil cartilhas educativas, que estão sendo distribuídas para os alunos das escolas públicas de Porto Velho, o lançamento das cartilhas como parte da programação de Educação Ambiental foi realizado no dia 05 de junho/12, em comemoração ao dia mundial do meio ambiente.

5- PROJETO PROBACIAS

Gestor: SIPAM Coordenado pelo Ministério Público

Executores: Parceiros (SEDAM, UNIR, CAERD, ICMBIO, MP, PREFEITURAS, FACULDADES, EMATER, BATALHÃO DA POLICIA AMBIENTAL)

O Programa PROBACIAS é um Programa de Recuperação de mananciais de abastecimento público e tem como OBJETIVO Desenvolver instrumentos, metodologias e estratégias para viabilizar um programa de restauração de bacias hidrográficas enfatizando as matas ciliares de nascentes, mananciais e o uso racional dos recursos hídricos.

As áreas de Preservação Permanente – APP foi uma das estratégias para atuação do programa por serem áreas de recuperação obrigatória; Este programa beneficiará aproximadamente 70% da população total do Estado garantindo a sustentabilidade econômica da propriedade e a influência positiva na qualidade das águas de abastecimento.

Bacias hidrográficas que estão sendo monitoradas e reflorestadas pelo PROBACIAS

Município de Ouro Preto d’Oeste, bacia hidrográfica do rio Boa Vista

• Início do programa: 2007

• Área de abrangência = 121 km2 (SNIRH-ANA)

• População beneficiada = 36.725 (IBGE)

• Municípios envolvidos = Ouro Preto d’Oeste;

fIGURA1

Bacia Hidrográfica do Rio Boa Vista no município de Ouro Preto d’Oeste, Fonte: Sipam, 2.011
Município de Jaru, bacia hidrográfica do rio Jaru

• Início: 2008

• Área de abrangência = 3.958 km² (SNIRH-ANA)

• População beneficiada = 53.943 (IBGE)

• Municípios envolvidos = Jaru, Governador Jorge Teixeira, Nova União, Ouro Preto d’Oeste e Mirante da Serra.

fIGURA2

Município de Espigão d’Oeste, bacia hidrográfica do rio Palmeiras

• Início: 2010

• Área de abrangência = 1.127 km2 (SNIRH-ANA)

• População beneficiada = 28.892 (IBGE)

• Municípios envolvidos = Espigão d’Oeste; Captação = Rio Palmeiras

AZ2_3

Quanto a colaboração da CAERD no Projeto PROBACIAS, esta adquiriu e instalou 14 estações hidrometeorologicas sendo 04 fluvio-pluviometricas e 10 pluviometricas, onde as mesmas estão em operação coletando dados de vazão dos rios e de quantidade de chuva na área das bacias hidrográficas citadas, mensalmente a CAERD realiza as coletas dos dados e faz manutenção preventiva.
Os moradores das bacias, foram convidados para realizarem plantios de vegetação nativas nas margens das bacias e nas nascentes, como também fizerem cercas nas áreas de pastagens, a vegetação esta se recuperando, porém o aspecto principal do projeto é a participação da população no contexto, através de audiências públicas, seminários e reuniões nas regiões de conflito pela água.
O Sipam já apresentou alguns resultados positivos alcançados pelo programa, um deles foi a associação de técnicas de geoprocessamento e modelo de predição hídrica como a RUSLE, possibilitaram o diagnóstico e análise dos principais fatores do meio físico e perda de solos dos mananciais de abastecimento urbano, permitindo compreender o espaço para a restauração das áreas prioritárias e readequar o manejo do solo na bacia levando em consideração suas características físicas

Compartilhe