Governo de Rondônia
Sábado, 15 de maio de 2021

SETOR PRODUTIVO

Câmara Setorial debate desenvolvimento e fortalecimento da marca Café de Rondônia

14 de setembro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Café de qualidade, com controle de sanidade e certificação de origem

Café de qualidade, com controle de sanidade e certificação de origem

O projeto “Cafeicultura de Rondônia”, o desenvolvimento de cafés especiais e o fortalecimento da marca “Café de Rondônia”, foram alguns dos temas debatidos na segunda reunião ordinária da Câmara Setorial do Café de Rondônia, nessa terça-feira (13), na sala de reuniões da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), em Porto Velho.

Na ocasião, houve também a discussão da Lei 2.030, que criou o Fundo de Apoio à Cultura do Café no Estado de Rondônia (Funcafé-RO) buscando aprimorar a lei de 2009 a fim de adequar à realidade atual, em que o uso de tecnologias avançadas se faz mais presente nas micro, pequenas e médias propriedades da agricultura familiar.

O uso racional da água nos sistemas de irrigação de cafeeiros foi amplamente discutido com apresentação de várias técnicas, especialmente as de gotejamento, aspersão e pivô-central. O custo benefício de cada técnica é o parâmetro orientador para a adoção de uma delas pelos produtores rurais familiares.

O secretário Evandro Padovani alertou para a necessidade de os órgãos que fazem visitações em campo “abrirem o leque e passarem a inserir novos produtores a suas carteiras, a fim de, além de aumentar a cobertura para a disseminação de tecnologias, unificarem os procedimentos no manejo dos cafezais e se fazer a distribuição de plantas mais resistentes e adequadas ao nosso solo amazônico”.

O “Cafeicultura de Rondônia” foi apresentado pelo coordenador regional  do projeto, Desóstenes Nascimento, que destacou como objetivo a promoção da competitividade e do desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e o estímulo do empreendedorismo. Tais ações promovem a melhoria da qualidade, produtividade e a gestão da atividade cafeeira, visando à elevação da margem de ganhos na comercialização e a sustentabilidade dos empreendimentos rurais.

Outro tema importante foi o debate sobre a implantação do laboratório para análises de nematóides, principal praga que assola os cafezais. Nematóides são pequenos vermes microscópicos que atacam o sistema radicular do cafeeiro, tornando as plantas fracas e improdutivas, dificultando a absorção de água e sais minerais, causando morte das raízes, queda das folhas, diminuição da produção e até a morte das plantas.

O fortalecimento da marca “Café de Rondônia” é uma das prioridades, especialmente em função da adoção do café Conilon BRS Ouro Preto, uma cultivar clonal, composta de 15 clones com ciclo de maturação intermediária, tolerantes aos principais estresses climáticos observados nos pólos de cafeicultura em Rondônia, com sua alta temperatura, elevada umidade do ar e déficit hídrico moderado.

Segundo Ezequias Silva Neto, o Tuta,, presidente da Câmara Setorial do Café de Rondônia, o Conilon BRS Ouro Preto, com manejo adequado, apresenta potencial de produtividade de 70 sacas beneficiadas por hectare em lavouras de sequeiro, com grãos com maior uniformidade de maturação e peneira média acima de 14 e apresenta rendimento no beneficiamento acima de 52%.

Participaram da reunião ordinária, representantes da Seagri, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon), do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), da Federação do Comércio do Estado de Rondônia (Fecomércio), da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO), Secretaria de Estado de Finanças (Sefin), Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), Sistema Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RO), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Instituto Luterano de Ensino Superior (Ulbra), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Banco da Amazônia (Basa), Federação das Associações Comerciais e Industriais do Estado de Rondônia (Facer) e Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron).


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Marco Aurélio Anconi
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Água, Distritos, Ecologia, Economia, Empresas, Governo, Indústria, Infraestrutura, Meio Ambiente, Rondônia, Tecnologia, Terceiro Setor


Compartilhe