Governo de Rondônia
Domingo, 16 de junho de 2019

PRESERVAÇÃO

Capacitação estuda espécies de peixes no rio Madeira e alerta à importância de identificar invasores

12 de junho de 2019 | Governo do Estado de Rondônia

O pirarucu também é um tipo de espécie invasora que come peixes menores

 

Com o tema “Invasão Biológica”, a capacitação realizada nesta quinta-feira (12), em Porto Velho, contou com a participação de servidores da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), representantes da Universidade Federal de Rondônia(Unir) e demais participantes da sociedade civil organizada.

O objetivo, segundo o coordenador de licenciamento ambiental da Sedam, Abimael Ribeiro, é treinar os servidores quanto as invasões ocasionadas por outras espécies de peixes que estão adentrando na Amazônia.

“A capacitação vai permitir que os servidores da Sedam estejam preparados para identificar a possível presença de peixes exóticos na região. É importante que eles saibam identificar essas espécies invasoras, e qual o prejuízo que isso causa na biodiversidade de peixes da nossa região”, esclareceu.

Na biologia o termo “Invasão Biológica” trata-se de um processo pelo qual uma espécie animal ou vegetal, adentra em outras áreas, alterando aquele ecossistema, e o que é pior, trazendo desequilíbrio e colocando em risco as demais espécies nativas daquela região. Espécies como mexilhão dourado, molusco de água doce, caramujo gigante, entre outras espécies, causam graves prejuízos em plantações, rios, mares e florestas. No caso do Rio Madeira, a preocupação é com peixes da espécie tilápia.

A capacitação trouxe conteúdos inovadores voltados à fauna e a flora da região

“As espécies invasoras competem com as espécies locais, o que põe em risco a bacia do Madeira, que tem hoje a maior biodiversidade do planeta identificada, até então, com mais de mil espécies de peixes. Por isso a importância de se debater estratégias de conservação em conjunto”, destacou Carolina Rodrigues da Costa, professora do departamento de biologia da área de ictiologia da universidade Federal de Rondônia.

A Secretaria pretende ainda monitorar a existência do cultivo de espécies exóticas no estado e obter dados para pesquisas científicas. Edgar Cardoso, secretário adjunto da Sedam, ressaltou, ainda, a preocupação da nova gestão que está voltada ao investimento em capacitações. “Nós estamos preparando a Sedam para desafios futuros, com a oferta de cursos que trazem conteúdos inovadores, voltados à fauna e flora da nossa região”, declarou.

Os servidores receberam, ainda, certificados. Daniely Cunha Oliveira, diz que as capacitações fazem grande diferença na hora da atuação. “Essas capacitações acabam nos ajudando a relembrar muitas coisas que estudamos, além de nos auxiliar com a aplicação na prática. Como bióloga tenho todo o interesse no curso, e está sendo bastante proveitoso para todos nós”, finalizou a servidora.

O evento de capacitação foi promovido pela Sedam e viabilizado por meio de parceria com a Escola de Governo.

Leia mais:

 Sedam doa a Semeia sementes de espécies nativas para recuperação de área degradada

 Junho Verde mobiliza sede e 14 escritórios da Sedam para conscientizar Rondônia sobre a conservação ambiental

 Sedam discute regulamentação e implementação da Política de Governança Climática e Serviços Ambientais

 Técnicos da Superintendência de Patrimônio participam de curso de capacitação


Fonte
Texto: Anayr Celina
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Agropecuária, Água, Brasil, Cursos, Ecologia, Educação, Evento, Governo, Interno, Meio Ambiente, Rondônia, Servidores, Sociedade


Compartilhe