Governo de Rondônia
Domingo, 17 de novembro de 2019

TERCEIRA IDADE

Casa do Ancião resgata laços familiares perdidos e dá dignidade a idosos em Porto Velho

22 de setembro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

No momento, a Casa necessita de cuidador físico e voluntários na área de enfermagem

No momento, a Casa necessita de cuidador físico e voluntários na área de enfermagem

Não basta a presença diária de técnicos de enfermagem, enfermeiras, cuidadores, da fonoaudiologia, médicos, motoristas, pessoal da cozinha e da equipe da lavanderia. Idosos em Rondônia e no País são totalmente dependentes do resgate dos próprios laços familiares perdidos ao longo do tempo.

O sorridente João Batista viveu situação de abandono. E só virou cidadão por decisão judicial obtida pela Casa do Ancião São Vicente de Paulo, mantida pela Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas). Ali chegou sem qualquer referência familiar ou de procedência. Dizia simplesmente ter esse nome, mas não apresentava um só documento comprovando.

A direção da Casa decidiu fazer busca nos cartórios. Em vão. Há muitos Joãos com sobrenome Batista, homônimos de Norte a Sul. E Batista de quê? Dessa maneira, ele foi legalmente internado,  graças ao exame de idade óssea feito no Instituto Médico-Legal e à certidão de nascimento autorizada por um juiz de direito.

Colecionador de chapéus e bonés, João Batista, uma das mais agradáveis fisionomias desse abrigo, recebeu certidão dando-o como nascido em 1º de janeiro de 1942, o que lhe atesta 73 anos de idade. Agora tem cédula de identidade e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).

Em 2005, o Ministério Público Estadual enviou para o abrigo, Ana Maria Oliveira, hoje com 60 anos, e com problema mental. Ela chegou com a mãe, que também fora internada. Moraram juntas até pouco tempo, completamente ignoradas por familiares.

Em situações assim, a direção da Casa tem obtido apoio do Serviço de Atendimento Multidisciplinar Domiciliar (Samd), embora o artigo 16 da seção I do Regimento Interno determine que o acolhimento seja feito a pacientes sem problemas mentais, distúrbios de convívio social, uso de bebidas alcoólicas ou drogas farmacêuticas.

BAILE, SORVETE, PASSEIOS

Oficialmente, a Semana do Idoso irá até o próximo domingo (27), entretanto, a partir de segunda-feira (28), moradores da Casa do Ancião almoçarão no Restaurante Prato Cheio, farão pique-nique no Espaço Alternativo, visitarão a Colônia Viçosa e dançarão à vontade no festival de sorvetes que a Seas promoverá em sua homenagem.

João Batista ganhou nome graças à Casa do Ancião

João Batista ganhou nome graças à Casa do Ancião

O restaurante popular fica no bairro Mariana (zona Leste da Capital) e a colônia, na antiga Estrada dos Japoneses. Antes de ir para a Casa do Ancião, Antonio Silva Santos, apelidado de “Filho de Deus”, morou na colônia, onde tem um casal de compadres.

A partir da próxima segunda-feira (28), as equipes de voluntários da Casa darão sequência às comemorações da Semana do Idoso, promovendo, além dos passeios, show musical, baile de máscaras e lanches.

“Todo voluntariado é bem-vindo e manifestamos gratidão a todos que até então contribuíram com esse trabalho”, disse a secretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, Valdenice Domingos.

Para o Batalhão de Polícia Militar Ambiental, esse chamamento já foi compreendido. “Outro dia, o comandante nos comunicou a doação de 100 quilos de tambaqui”, comentou a diretora da Casa, assistente social, Dejanira Maria Silva.

Cadastrada no programa Mesa Brasil, do Sistema S (Sesc-Senac e outros órgãos), e na Companhia Nacional de Abastecimento, a Seas vem recebendo grãos, frutas e hortaliças de excelente qualidade e obtendo redução de custos nesse setor.

“Temos duas turmas de fonoaudiologia, o estoque de medicamentos está em dia, mas carecemos e aceitamos o trabalho de um educador físico e mais técnicos de enfermagem”, avisou Dejanira Silva.

Anteriormente, a  Casa recebeu cadeira de rodas, bengalas, andadores, peças de roupas, analgésicos e diversos medicamentos.

Fisioterapia no leito já é possível, graças ao apoio de universitários designados pela Faculdade São Lucas. Eles cuidam de pacientes vítimas de agressões sofridas na própria família – há situações de maus-tratos –, debilidades motora e psíquica, diabetes e problemas cardíacos.

Religiosos e sócios de clubes de serviço marcam presença. Visitas podem ser feitas diariamente, entre 15h e 17h. Nesse período, os idosos têm lanche e, quando se dispõem, podem participar de atividades de recreação.

No momento, o quadro de colaboradores diretos é formado por seis funcionários da Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), quatro da Vara de Execução de Penas e Medidas Alternativas (Vepema) e um grupo de técnicos de enfermagem, apoio psicológico e recreação. Ao todo, umas 30 pessoas.

Dejanira e a técnica administrativa, Miriam Mesquita, organizaram o recebimento de doações, que podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h.

CASA_DO_ANCIÃO_06042015_FOTOS_MAICON (34)

Nos anos 1970, Casa recebia migrantes; reformas foram feitas pelo Lions Club e Rotary Club

40 ANOS

Em janeiro de 2011, a Seas recebeu a Casa com escassez de recursos humanos qualificados nas áreas de saúde e de assistência e um reduzido quadro reduzido de cuidadores.

A estrutura de atendimento para oito mulheres e 21 homens – é boa: 33 servidores próprios e nove cedidos pela Sejus. Estes atendem à cozinha e executam serviços gerais.

A vulnerabilidade social de idosos é uma das chagas brasileiras também na Capital de Rondônia. Para atenuá-la, existem institutos de longa permanência, a exemplo da Casa do Ancião. Outras casas semelhantes funcionam em Ariquemes, Guajará-Mirim, Ji-Paraná e Vilhena.

Construída há 40 anos pelo Lions Club Rio Madeira, a Casa do Ancião foi reformada algumas vezes. A primeira reforma data de 27 de setembro de 1978, coincidentemente, Dia do Ancião. O Rotary Clube construiu a capela, onde é celebrada missa às quintas-feiras.

No final dos anos 1970 regularmente recebia migrantes. Hoje, batem à porta pessoas carentes levadas pela assistência social do município e do estado.

Se você quiser ser voluntário na Casa do Ancião, telefone para (69) 3216 5105 ou 8482 9947.


Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Maicon Lemes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Brasil, Capacitação, Comunicação Interna, Conferência, Convênios, Distritos, Educação, Empresas, Governo, Habitação, Inclusão Social, Informativo, Interno, Justiça, Legislação, Lei da Informação, Municípios, Previdência, Rondônia, Saúde, Serviço, Servidores, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe