Governo de Rondônia
Sexta, 14 de maio de 2021

BOA NOTÍCIA

Casos de dengue registram queda de 60% em Rondônia

06 de novembro de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

Agevisa lança campanha para mobilizar contra dengue e febre chikungunya

Arlete Baldez, diretora-geral da Agevisa

Arlete Baldez, diretora-geral da Agevisa

Números do setor de estatísticas da Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa) apontam que de janeiro a outubro deste ano, mais de quatro mil casos de dengue foram notificados em Rondônia, contra mais de 12 mil no mesmo período do ano passado. O número confirma uma redução que ultrapassa a casa dos 60% de incidência da doença no Estado.

Com o objetivo de detectar precocemente os casos suspeitos de dengue e febre chikungunya em Rondônia, a Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa) lançou nesta quinta-feira, 06, em Porto Velho, nova campanha de mobilização para manter a redução da doença no Estado, bem ações preventivas para tentar inibir a entrada da febre chikungunya, que tem hoje dois casos suspeitos no vizinho Estado do Amazonas.

Apesar da avaliação positiva, o Mistério da Saúde (MS) incluiu Rondônia na lista dos estados considerados de risco. De acordo com a Agevisa, dos 52 municípios, apenas sete estão na lista dos que podem ter surto ou epidemia: Buritis, Campo Novo de Rondônia, Colorado do Oeste, Costa Marques, Cujubim, Itapuã do Oeste e São Francisco do Guaporé.

Outras 26 cidades do Estado estão em situação de alerta, incluindo Porto Velho, e 19 em situação satisfatória. De acordo com a diretora-geral da Agevisa, Arlete Baldez, a campanha tem como objetivo mobilizar para que o Estado diminua ainda mais índice de infestação, hoje girando na casa de 4%, para 1%.
Baldez disse que todo o trabalho vem acompanhado pela Coordenação Estadual da Dengue, com supervisão da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).

Técnicos dos 52 municípios de Rondônia participaram de palestra

Técnicos dos 52 municípios de Rondônia participaram de palestra

De acordo com a Agevisa, segundo o Ministério da Saúde (MS), dez capitais apresentaram situação de alerta (índice de infestação entre 1% e 3,9%) Porto Alegre, Cuiabá, Vitória, Maceió, Natal, Recife, São Luís, Aracaju, Belém e Porto Velho. Outras 11 estão com índices satisfatórios: Curitiba, Florianópolis, Brasília, Campo Grande, Goiânia, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Macapá, Teresina e João Pessoa.

Ainda segundo o MS, seis capitais Boa Vista, Manaus, Palmas, Rio Branco, Fortaleza e Salvador ainda não apresentaram os resultados do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). Estes resultados foram consolidados até esta segunda-feira (3) e o Ministério da Saúde continua recebendo as informações dos estados. Em Rondônia, 100% dos municípios finalizaram o LIRAa, cuja informação já foi repassada ao governo federal.

O que é Febre Chikungunya?
Febre Chikungunya é uma doença parecida com a dengue, causada pelo vírus CHIKV, da família Togaviridae. Seu modo de transmissão é pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito Aedes albopictus.

Seus sintomas são semelhantes aos da dengue: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. Porém, a grande diferença da febre chikungunya está no seu acometimento das articulações: o vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

campanha da dengue-03


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Capacitação, Governo, Rondônia, Saúde, Serviço


Compartilhe