Governo de Rondônia
Sexta, 28 de fevereiro de 2020

PRIMEIROS SEIS MESES

Centro de Hemodiálise devolve dignidade a pacientes

30 de janeiro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Equipamentos de última geração para atender pacientes

Equipamentos de última geração para atender pacientes

Mais de seis mil procedimentos de hemodiálise ocorreram nos primeiros seis meses do Centro de Hemodiálise de Ariquemes (CDA). Os números foram divulgados nesta sexta-feira (3), pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), e comemorados pela ex-presidente da Associação dos Amigos e Portadores de Insuficiência Renal de Ariquemes (Aspidervida), Leane Wingert, que há mais de 20 anos luta contra um problema renal crônico.

Com estrutura física, equipamentos de última geração e atendimento humanizado, o CDA recebe pacientes de Ariquemes, Cacaulândia, Machadinho do Oeste, Alto Paraíso, Campo Novo, Monte Negro, Buritis, Cujubim, Rio Crespo e Jaru.

Os números divulgados pelo setor de estatísticas da Sesau apontam, também, que 8.874 consultas de nível superior foram realizadas no período de julho de 2014 a janeiro deste ano.

Leane Wingert destaca que à época da inauguração, via a iniciativa do governo uma nova de esperança para o controle da doença. Segundo ela, hoje a expectativa está sendo confirmada.

De acordo com Leane, além de todo o conforto de fazer o tratamento em casa, perto da família, todos os pacientes da cidade – num total de 50 pessoas – não precisam mais se deslocar até Porto Velho para fazer a diálise. “Muitos chegavam a viajar três vezes por semana para a Capital. Isso desgastava muito os doentes, já debilitados pelo avanço da doença”, afirma.

Ex-presidente da Aspidervida, Leane Wingert

Ex-presidente da Aspidervida, Leane Wingert

Antônio Marco Maciel, morador em Ariquemes, doente renal crônico, afirma que os serviços oferecidos pelo Centro de Diálise, estão não apenas oferecendo melhores condições para o tratamento, mas devolvendo a dignidade das pessoas que estão há anos lutando contra uma doença grave, degenerativa e que traz um drama para todos da família.

No total, segundo balanço do CDA, foram realizados 6.630 procedimentos em hemodiálise, que correspondem a 1.100 procedimentos por mês, além do atendimento com consultas especializadas -nefrologia, cirurgia vascular e cardiologia-, dentre outros procedimentos necessários para o funcionamento do serviço.

O governador Confúcio Moura classificou, à época da entrega do centro à população, como resgate de uma dívida social que o Estado tinha com essas pessoas, que não precisam mais enfrentar uma “maratona” para ter atendimento de qualidade, humanizado e com alto padrão tecnológico.

O secretário estadual de saúde Williames Pimentel, aponta um investimento de mais de R$ 6 milhões para a construção e equipagem do centro. No total, 22 máquinas modernas, com sistema de triplo filtragem de água, estão instaladas. Elas têm a capacidade de atender até 120 pacientes por semana. “Um marco inimaginável em se tratando de serviço de saúde oferecido através do Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirma o secretário.

O aposentado Raimundo Diniz, 63, aprova a qualidade e humanização do atendimento. Ele lembra dos tempos difíceis que tinha que ir para Porto Velho, e agradece o investimento feito pelo governo.

Raimundo Diniz destaca qualidade dos serviços do CDA

Raimundo Diniz: qualidade dos serviços do CDA

Vilma da Silva Alves, de 65, diz que seus rins pararam de funcionar há quase dois anos e desde então depende da hemodiálise. Antes, viajava três vezes por semana para Porto Velho. Com o centro, o tratamento ficou mais fácil.


Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Capacitação, Governo, Informativo, Infraestrutura, Lei da Informação, Meio Ambiente, Municípios, Obras, Previdência, Rondônia, Saúde, Servidores, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe