Governo de Rondônia
Sábado, 15 de maio de 2021

SAÚDE PÚBLICA

Centro de Referência oferece atendimento psicológico, social e terapêutico a dependentes químicos

27 de fevereiro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Frederico Monteiro recebe um abraço do pai, José Monteiro

Frederico Monteiro recebe um abraço do pai, José Monteiro

Frederico Douglas Dias Monteiro, 27 anos, sonha com dias melhores; ele será encaminhado para internação na Comunidade Terapêutica Abisai, em Cacoal. É a sua terceira tentativa de tratamento, sempre buscada em companhia do pai, José Barros Monteiro. Frederico chegou ao Centro de Referência de Prevenção e Atenção à Dependência Química (Crepad) por indicação da Casa Rosetta, conveniada do centro.

O Crepad de Porto Velho é a unidade da Superintendência da Paz (Sepaz) para acolhimento e acompanhamento de dependentes químicos, geralmente usuários de álcool e de outras drogas, que necessitam de atendimento.

Frederico afirma que o tratamento é bom porque levanta a autoestima e resgata os valores, podendo ser mais humano e solidário com as pessoas. Conta que estava bem, mas foi parar num ambiente que o levou a recair. Não queria se sentir isolado, por isso acompanhou o clima onde os amigos bebiam e se divertiam.

Ele diz que quando está bem e em tratamento, tem outro tipo de amizade, as pessoas se aproximam. Ele quer voltar a estudar e lamenta o tempo perdido. Abandonou o Enem, mas vai tentar novamente no próximo ano, porque quer fazer vestibular para tentar engenharia agronômica ou química. Também lamenta ter perdido o curso de eletrotécnica oferecido pelo Instituto Federal de Educação.

O pai de Frederico, José Monteiro, conta que sempre buscou atendimento para o filho, mas ele sempre abandonou. Agora, afirma estar mais confiante porque “ele veio por conta própria”.  Antônia, mãe de Frederico, também já teve orientação individual no Crepad e eles assistiam a palestras e faziam terapia de grupo na Casa Rosetta.

A assistente social Patrícia Nunes da Silva Braga prepara o encaminhamento de Frederico para a comunidade Abisai. Serão 45 dias iniciais e ele está preparando pertences e o restante dos documentos para viajar. O tratamento dura cerca de um ano, com acompanhamento psicológico, mudança de hábitos e rotinas. Patrícia enfatiza a importância de a família estar próxima, acompanhando Frederico a continuar o tratamento.

METAS DE ENFRENTAMENTO

Thiago Flores, superintendente da Paz

Thiago Flores, superintendente da Paz

Fortalecer a rede de serviços oferecidos ao tratamento de dependentes químicos e seus familiares, de forma institucionalizada, é uma das metas estabelecidas pela Superintendência da Paz (Sepaz) para este ano de 2015, conforme informou o superintendente do órgão, Thiago Flores.

A Sepaz é o órgão responsável por articular a política de enfrentamento à dependência química em Rondônia, um empreendimento pioneiro, implantado na primeira gestão do governador Confúcio Moura, que incentivou os técnicos a buscar experiência e capacitação noutros estados para consolidar o serviço em Rondônia, onde foi implantado o modelo de Alagoas.

Como articuladora estadual da política de enfrentamento às drogas, a Sepaz faz a interface com outros órgãos de atendimento e tratamento, como as comunidades terapêuticas sem fins lucrativos, que acolhem e tratam dependentes químicos; com os Caps; e centros de referência de assistência social.

INTERNAÇÃO

Crepad de Porto Velho na Rua Rafael Vaz e Silva, Liberdade

Crepad de Porto Velho na Rua Rafael Vaz e Silva, Liberdade

Três comunidades terapêuticas conveniadas com o governo estadual disponibilizam 106 vagas para internação voluntária de dependentes químicos, pois estão habilitadas de acordo com os requisitos exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Para ampliar o número de vagas disponíveis, a Sepaz quer ainda mapear as comunidades que estão mais próximas de se habilitar e, para isso, vai auxiliá-las na capacitação e elaboração técnica de seus programas terapêuticos.

Thiago Flores diz que o trabalho é um desafio porque a dependência química ainda não é vista pela sociedade em geral como um caso de saúde pública e, nesse caso, o dependente é estigmatizado. “Muitos adotam uma postura de segregação. Por isso esse trabalho é um desafio: temos que mudar o enfoque e mexer nas causas. Entender que é uma situação que tem cura e abrir a porta para o diálogo, tanto para o dependente, quanto para sua família”, pondera.

O Crepad de Porto Velho está localizado na rua Rafael Vaz e Siva, bairro Liberdade.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Mirian Franco
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Governo, Inclusão Social, Rondônia, Saúde, Segurança, Sociedade, Terceiro Setor


Compartilhe