Governo de Rondônia
Segunda, 10 de dezembro de 2018

TECNOLOGIA

Ciência educacional de Rondônia entra para rede nacional de programa promovido pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil

09 de março de 2018 | Governo do Estado de Rondônia

Com a rede de informações, novas ideias devem surgir para a educação científica

Rondônia entrou para a rede nacional de informações do Programa Stem TechCamp Brasil 2018. A primeira edição do programa de iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos no país, em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC) e apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e do Grupo+Unidos terá duração de 12 meses, a partir de janeiro deste ano.

O professor Ederson Rodrigues, coordenador da Feira de Rondônia Científica de Inovação e Tecnologia (Ferocit), e a professora de Física da Escola Estadual Major Guapindaia, Deise Lima, participaram nos dias 19 a 23 de fevereiro, na USP do encontro com atividades de sensibilização e formação para o desenvolvimento de planejamento estratégico para políticas e ações voltadas a fomentar a aprendizagem ativa de Ciências, Tecnologia, Engenharias, e Matemática (STEM) nas escolas públicas.

Formada por gestores das secretarias estaduais de Educação e professores líderes de ações escolares em STEM, a rede pretende articular e aprimorar ações existentes e elaborar e implantar novas ações voltadas à aprendizagem nas escolas de rede pública de educação básica, com uma troca de experiências e ideias entre os estados brasileiros.

“Nós nos inscrevemos de acordo com a regra, que podia ser um gestor e um professor, e então fomos avaliados e selecionados para participar. Todas as despesas, desde a passagem aérea à alimentação, foram por conta da organização do evento. Lá tivemos várias oficinas e escolhemos duas para desempenhar durante o programa, além das palestras e dinâmicas em grupo. O importante de tudo isso é a estruturação, com novas tecnologias que podemos implementar na educação, e a troca de experiências entre os estados, com ideias que podem ser utilizadas aqui e que possam facilmente ser aplicadas na sala de aula”, disse a professora.

Para o coordenador da Ferocit, a rede com grupos online e membros de todos os estados, mostra que Rondônia está à frente em muitos quesitos, como a própria feira e outras ações que não são aplicadas ainda em alguns estados do país. “Essa troca agora vai trazer ainda muito mais ideias que podem ser adaptadas para a nossa realidade estadual. Como gestor, falamos sobre a nossa feira científica e da lei que estamos criando para mudar a cara do estado na parte de Ciência e Tecnologia”.

Ederson observou que a maioria dos estados não trabalha com a ideia de plataforma, ou estão aplicando de forma muito limitada. “Já a nossa ideia é uma plataforma que alcance todas as possibilidades do programa científico, não queremos só uma aba com a opção de Ciência. Estamos com o projeto de isso logo em breve será uma realidade no estado, com opões de cursos online para os professores, capacitações que permitam que eles utilizem o tempo da melhor maneira até a conclusão dos módulos, e a emissão dos certificados pela USP. De agora em diante só temos a crescer ainda mais com as novas possibilidades”, concluiu o coordenador da Ferocit.

Leia mais:

 Feira Científica de Inovação e Tecnologia de Rondônia ganha status internacional


Fonte
Texto: Vanessa Farias
Fotos: Esio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Capacitação, Cursos, Educação, Evento, Governo, Municípios, Rondônia, Serviço, Tecnologia


Compartilhe


Twitter
Facebook
Youtube