Governo de Rondônia
Quinta, 15 de abril de 2021

SAÚDE

Colono retoma projetos e anuncia nova vida após transplante de rim bem sucedido no Hospital de Base em Porto Velho

10 de junho de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

NOVA VIDA - Colono se recupera no HB de transplante de rim

José Carlos se recupera no HB após transplante de rim

O colono José Carlos Machado, de 51 anos, agora sorri feliz com o sucesso na cirurgia onde ganhou um novo rim. Isso aconteceu há quatro dias, e uma nova vida começa a partir de agora. José Carlos fazia hemodiálise e aguardava pelo transplante havia um ano. Morador do município de Buritis, agora volta para casa e vai retomar seus projetos ao lado da família.

As cirurgias para transplante renal começaram em Rondônia em 2012, com o início do Ambulatório de Transplante, onde eram atendidos pacientes transplantados em outros estados e pacientes renais crônicos com intenção de realizar o transplante.

Desde 2014, quando foi iniciada a realização dos procedimentos cirúrgicos em Rondônia, pelo menos 31 pacientes já receberam o transplante de rins. As cirurgias são realizadas no Hospital de Base Ary Pinheiro, em Porto Velho, um dos maiores da região Norte. A maioria dos doadores é de falecidos. O Estado ainda acompanha pacientes que moram em Rondônia e em outras capitais do Pais.

Segundo o coordenador da Central de Transplante, médico urologista Alessandro Prudente, o procedimento cirúrgico conta com uma equipe de 10 profissionais. O responsável técnico pela equipe de transplante renal é Alessandro Prudente, cirurgião transplantador. Além dele, a equipe é composta por nefrologistas, cirurgião-geral, clínica-geral, enfermeiros, técnicos em enfermagem, psicólogos, nutricionista e farmacêutica.

Alessandro Prudente coordena a central de transplantes

Alessandro Prudente coordena a central de transplantes

Atualmente existem 650 pacientes fazendo hemodiálise, e 300 na fila para o transplante. “A maior dificuldade ainda é conseguir doador, pois a família tem que autorizar, e só pode ser feito quanto o paciente tem a morte cerebral confirmada, momento em que a família recebe a triste noticia, aí a dificuldade para autorizar a retirada do órgão”, disse Alessandro Prudente.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Luís Eduardo Maiorquim, o governo estadual disponibilizou profissionais qualificados e uma estrutura moderna para que os procedimentos fossem realizados com sucesso, desde a captação do órgão em outros estados, através dos aeromédicos, aparelhos modernos, laboratório reformulado com inclusão de todos os exames necessários para a cirurgia, além de beneficiar todo o hospital de Base Ary Pinheiro com a estrutura necessária. Isso é fundamental para que o serviço se desenvolva, e devolva a vida normal ao paciente.

Leia mais:
Primeiros transplantes de rins de 2016 são realizados pela equipe da Central de Transplantes do Hospital de Base de Porto Velho
Missões do Grupamento de Operações Aéreas envolvem remoção de pacientes e transporte de órgãos para transplante


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Antonia Lima
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Educação, Inclusão Social, Infraestrutura, Rondônia, Saúde


Compartilhe