Governo de Rondônia
Sábado, 21 de setembro de 2019

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Com três décadas de trabalho, funcionária da Sejus transfere conhecimento às mais jovens

08 de março de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Dia Internacional da Mulher - em 04.03.16 - Fotos Admilson Knightz (16)

Laurelena trabalha com Luiza Caroline, a quem transmite a experiência acumulada nas áreas social e contábil

Desde os 17 anos, a porto-velhense Laurelena Silva trabalha no governo estadual e não pretende parar, mesmo decorridos 30 anos de contribuição mensal ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Técnica em contabilidade, ela vive cercada por servidoras jovens da Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), às quais dispensa atenção e carinho. “Converso muito com elas, percebo que o acesso à faculdade abriu horizontes na vida de cada uma; aqui poucas não têm nível superior”, comenta. “Ou seja: o serviço público está mais top”.

Ao ingressar na antiga Setraps [Secretaria Estadual do Trabalho e da Promoção Social], ela quase trabalhou no Programa Bom Menino, que admirava. Não obtendo a vaga, lutou com força e talento para “dar o melhor de si ao governo”.

Filha do amazonense Theobaldo e da boliviana Florinda [do Departamento do Beni], nascida na maternidade do extinto Hospital São José, ela tem um filho que conclui o Ensino Médio.

SONHO SOLIDÁRIO

Três décadas depois de ingressar na área social do governo de transição do professor Ângelo Angelim (1986), atualmente ela é funcionária do gabinete do secretário estadual de Justiça, Marcos Rocha.

Morou no Bairro Nossa Senhora das Graças, de onde se mudou para o Conjunto Cohab Floresta [zona sul da Capital]. Lembra-se de pessoas e autoridades da época, e do desenvolvimento da cidade rumo às zonas sul e leste. Seus olhos brilham ao citar alguns nomes de ex-secretários da área social, entre eles, Alzira Saleri Barbosa, Avanilda Pereira, Eli Aquino, Expedito Júnior e Maria Inês Zanol.

Laurelena trabalhou inicialmente na Casa do Ancião São Vicente de Paulo e compara a realidade daquele período [anos 1980] com o aumento da população idosa no estado e no País, hoje: “Eu tive um sonho: aquilo poderia se transformar numa casa de repouso, desde que voluntários colaborassem com a ampliação das construções e o poder público apoiasse a ideia”.

LEGADO

A predominância de jovens na maioria das repartições oficiais faz a funcionária refletir: “Somos arquivos de memória, todo o nosso legado deve ser muito bem transferido aos jovens [recém-admitidos]”.

O que mudou, entre os anos 1980 e 2000? “O leque de oportunidades de trabalho”, responde. Para Laurelena, o surgimento do Ministério Público Estadual e a instalação do Ministério Público Federal, Justiça Federal e dos tribunais [Contas, Justiça e Trabalho] fez avançar o espaço destinado ao funcionalismo em Rondônia.

Já havia concluído o curso primário na antiga Escola Monteiro Lobato, quando as filas de jovens no Estádio Aluízio Ferreira a empolgavam. Ali funcionava o posto de seleção e contratação de servidores para o governo.

“Sempre me lembro da frase com meu pai, pronunciada com severidade: eu quero que tu estude pra ser gente”.

Depois, cursou o ginasial na Escola Estadual Barão de Solimões e, em seguida, o curso técnico em contabilidade na Escola Estadual Rio Branco.

“E não é que agora eu sou auxiliar da Carol?” – diz, sorrindo para a colega de gabinete.

Laurelena se refere a Luiza Caroline Gomes de Sena, 21, de Guajará-Mirim, que conclui o curso de biomedicina e também atende as pessoas que procuram secretário e secretário-adjunto.

Memória e legado realmente povoam o pensamento da servidora, transformando-o na prática do bem-querer entre as mocinhas. “Lei de Responsabilidade Fiscal, tramitação de processos, educação, respeito e paciência, tudo isso do jeito que aprendi, eu explico. Ensino o que posso, dou a minha experiência de vida”.

Laurelena não pretende se aposentar já. Soube que se beneficiará da transposição para o quadro de servidores federais, mas considera essa situação apenas um detalhe a mais na sua ficha.

“Gosto de trabalhar no governo. Tive a sorte de viajar para alguns lugares do nordeste, mas o meu projeto é conhecer Belém (PA)”.


Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Ademilson Knightz
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Brasil, Capacitação, Comunicação Interna, Distritos, Educação, Governo, Inclusão Social, Informativo, Infraestrutura, Interno, Justiça, Legislação, Lei da Informação, Municípios, Previdência, Rondônia, Serviço, Servidores, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe