Governo de Rondônia
Quinta, 16 de setembro de 2021

PRODUÇÃO

Cultivo de tomate em estufa é destaque em Alto Alegre dos Parecis durante dia de campo da Emater

18 de maio de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

dia de campo tomate 15-5-15 FOTO EMATER (2)

Tomate é cultivado em estufas

 

Um dos caminhos mais seguros para manter o ambiente rural otimizado é a diversificação das atividades na propriedade. Foi o que fez a família Camargo em Alto Alegre dos Parecis, região Sudeste de Rondônia. Para mostrar como isso foi possível, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Rondônia (Emater) realizou nessa propriedade um Dia de Campo sobre o cultivo de tomate em estufa. A atividade despertou o interesse de produtores de toda a região, especialmente dos que possuem propriedades localizadas em regiões onde o clima favorece o cultivo.

A família Camargo cultiva tomate há mais de 10 anos, mas em 2013 decidiu tecnificar a lavoura. Com acompanhamento do extensionista da Emater-RO, o engenheiro agrônomo Aloísio Teixeira Pio, a família iniciou os testes com mudas de tomate enxertada e os resultados foram bons. “No início cultivávamos vários tipos de hortaliças, depois resolvemos optar pelo tomate, que nos últimos anos se transformou em um grande aliado para a melhoria da renda na propriedade”, conta José Leopoldino de Camargo, dono da propriedade apresentada.

Nilvair Camargo, filho de José Leopoldino, explica que nos primeiros 11 anos as hortaliças eram cultivadas a céu aberto, mas há dois anos a produção vem sendo conduzida em estufas, adquiridas através de financiamento pelo Banco da Amazônia. “Foi difícil no início, o investimento era alto, mas deu certo e está valendo à pena”, comenta Nilvair, lembrando que se não fosse a insistência e o acompanhamento técnico da Emater tudo seria mais difícil.

Dia de campo foi realizado na propriedade da família Camargo

Dia de campo foi realizado na propriedade da família Camargo

Custo para implantação de estufas varia de R$ 7 a mil a R$ 9 mils, mas apesar do investimento exigido, a família Camargo garante que o custo/beneficio é vantajoso. “A produtividade aumenta significativamente e o custo de produção do fruto diminui”, diz o pai. As quatro estufas existentes na propriedade abrigam 3.500 pés de tomates, 875 pés em cada uma.

Para o extensionista da Emater Aloísio Teixeira é possível fazer duas safras no ano, uma no final do período invernoso e outra no começo do verão. “E toda a produção é vendida”, diz. Aloísio Teixeira explica ainda que a cada mil pés de tomate a produção estimada é de 300 caixas, o que corresponde a quase duas mil caixas por safra. Cada caixa é comercializada a R$ 50,00 e, com o custo de produção torno de R$ 10,00 cada, o lucro é significativo para a família.

Mas não é só da produção de tomates que vivem os Camargo. A propriedade possui ainda, 0,6 hectares de lâmina d’água distribuídos em tanques de piscicultura. Um hectare de café clonal e 0,5 hectare de lavoura branca, onde realizam rotação de cultura com milho, feijão e cultivam tomate, pimentão e repolho no período de safra (seca). Todos que participaram do Dia de Campo tiveram a oportunidade de conhecer uma propriedade diversificada e uma alternativa de produção que representa mais de 50% da renda da família.

Além dos agricultores da região, estavam presentes no Dia de Campo o diretor-presidente da Emater-RO, Luiz Gomes Furtado, o diretor-vice-presidente, José de Arimateia da Silva, o diretor técnico e de planejamento, Márcio Milani, entre outros.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Wania Ressutti
Fotos: Emater Rondônia
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Economia, Governo, Rondônia


Compartilhe