Governo de Rondônia
Segunda, 08 de março de 2021

ECONOMIA

Desafios e estratégias da economia criativa foram debatidas em palestra com o especialista Ronaldo Lemos, em Porto Velho

22 de junho de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Novos conceitos e métodos para desenvolver a economia criativa em Rondônia foram apresentados nessa terça-feira (21) pelo especialista em tecnologia, cultura e propriedade intelectual, professor doutor Ronaldo Lemos, durante a palestra “Economia Criativa como Estratégia de Desenvolvimento”, realizada pelo Governo de Rondônia, no Teatro Estadual Guaporé, em Porto Velho. O especialista debateu, com base em estudos feitos a partir de experiências bem sucedidas em diversos países, a importância da identificação, reconhecimento e valorização da cultura local para a construção de uma identidade própria.

Professor doutor, Ronaldo Lemos, palestrou sobre “Economia Criativa como Estratégia de Desenvolvimento”, no Teatro Estadual Guaporé

Professor doutor, Ronaldo Lemos, palestrou sobre “Economia Criativa como Estratégia de Desenvolvimento”, no Teatro Estadual Guaporé

Um dos mais importantes desafios a serem enfrentados no Brasil, de acordo com Ronaldo Lemos, é conseguir transformar conhecimento e cultura em produtos e serviços para gerar um novo tipo de empreendimento com novas oportunidades.

Logo no início da palestra, ele ressaltou a característica empreendedora dos brasileiros, e apresentou o conceito chamado de “Softpower” como alternativa para se trabalhar o desafio apontado. Definida como “Poder Suave”, o conceito concretiza o poder das ideias.

“Por muito tempo, os Estados Unidos foram os únicos a utilizarem esta ideia, porém recentemente outros países começaram a utilizar a mesma estratégia”, explicou Lemos ao apresentar exemplos, como o Japão, que hoje adotou a cultura pop japonesa, entre outros, como Coreia, China, Nigéria, que têm investido na imagem cultural como forma de projeção internacional.

Segundo Ronaldo Lemos, os exemplos demonstram a importância de como culturas, às vezes consideradas secundárias, se transformam em iniciativas de estado por terem sido identificadas como potencial de desenvolvimento. Na oportunidade, ele parabenizou a iniciativa do Governo de Rondônia por se interessar em debater com o próprio público as perspectivas do tema. “Se Rondônia vier a implantar este conceito como projeto de identidade será um beneficio para todas as cadeias produtivas do estado”, incentivou.

Ao agradecer as instituições parceiras na realização do evento e ao palestrante, o secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, George Braga, falou da iniciativa do governador Confúcio Moura de ampliar o debate sobre o conceito do Softpower na economia criativa com técnicos estaduais e demais interessados. Para exemplificar a valorização da cultura local, George lembrou o projeto “Polo Turístico Caminhos do Pium”, desenvolvimento pelo Sebrae no Rio Grande do Norte. O projeto consiste em um percurso organizado para que turistas conheçam os principais produtos e serviços da cultura local.

“Precisamos investir em nossa criatividade. É importante que Rondônia defina e tenha seus caminhos reconhecidos na cultura, seja no turismo, teatro, música, no açaí, tucumã, graviola, no Arraial da Flor do Maracujá, no artesanato, entre outros”, ressaltou.

Ao final da palestra, o público, formado por autoridades, técnicos estaduais, estudantes, representantes do terceiro setor, entre outros, tiveram a oportunidade de trocar ideias com o especialista sobre as diversas tendências culturais existentes em Rondônia.

O evento foi realizado por meio da Sepog, em parceria com a Superintendência de Desenvolvimento de Rondônia (Suder), Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero) e a Federação do Comércio de Rondônia (Fecomércio).


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Jane Carla
Fotos: Marcelo Gladson
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Economia, Evento, Governo, Rondônia


Compartilhe