Governo de Rondônia
Quinta, 16 de setembro de 2021

INCLUSÃO PRODUTIVA

Diagnóstico de catadores é iniciado pela Seas em Vilhena e se estende até novembro  

14 de agosto de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Sandra Coura diz que Rondônia investe na inclusão social e produtiva dos catadores.

Sandra Coura disse que Rondônia investe na inclusão social e produtiva dos catadores

A Gerência de Inclusão Produtiva da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas) inicia em Vilhena, na próxima terça-feira (18), o cadastro e diagnóstico dos catadores de material reciclável e reutilizável em todo o estado, uma das etapas principais do Projeto Recicla Rondônia, iniciado em maio de 2014, e que surgiu a partir de uma chamada pública da Secretaria Nacional de Economia Solidária destinada a implementar a coleta seletiva nos municípios, uma exigência da Politica Nacional de Resíduos Sólidos.

“Está avançando muito esta questão dos resíduos sólidos dentro do estado. Em outros estados isso não tem acontecido. O governo de Rondônia está com bons olhos, fazendo todos os esforços para que a inclusão social e produtiva dos catadores aconteça nos municípios, e fazendo esforços para também apoiar as prefeituras”, explicou a coordenadora do Recicla Rondônia e gerente da  Seas, Sandra Coura.

As prefeituras também serão submetidas a um questionário, segundo a gerente de Segurança Alimentar da Seas,  Adirleide  Dias dos Santos,  já que o Projeto Recicla Rondônia irá culminar com a criação de centros de triagem de coleta seletiva de material reutilizável a partir da contratação de cooperativas de catadores.  “Queremos conhecer melhor a realidade de cada município, saber a dificuldade das prefeituras na implementação da política de resíduos sólidos, qual o apoio necessitam”, disse.

O questionário a ser aplicado aos catadores tem dez páginas. O governo quer conhecer a condição social desses trabalhadores – como vivem, se estudam, qual a renda, se estão organizados em cooperativas e associações ou atuam de forma autônoma, se têm apoio das prefeituras, entre outros. “O questionário foi elaborado pelo grupo Fora Lixo Cidadania, que é constituído por representantes do movimento de catadores, pela nossa equipe, e será aplicado com apoio de dois catadores e um colaborador, representante do movimento nacional de catadores”, esclareceu Adirleide Santos.

APOIO

A tarefa está organizada em dez polos regionais, e será desenvolvida com apoio das secretarias executivas vinculadas à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog). “Em Vilhena, devemos contar com os prefeitos do Cone Sul, que estão sendo convidados pela secretaria executiva da região”, afirmou Adirleide, registrando que num primeiro momento haverá reunião com organizações que já atuam com material reciclável, membros da prefeitura e outras pessoas envolvidas no projeto Recicla Rondônia.

Iris Ferreira, da Catanorte, vai a Brasilia fala sobre sua experiência.

Iris Ferreira, da Catanorte, vai a Brasilia falar sobre sua experiência

“Não havia um cenário oficial para os catadores quando o projeto Recicla Rondônia foi iniciado. Eles são invisíveis. Em outubro de 2013 havia 70 famílias de catadores no cadastro único e agora temos 300 famílias cadastradas. Isso é reflexo das ações do Recicla Rondônia, como foi o caso do seminário sobre o programa Pró-Catador, em que estiveram presentes praticamente 38 municípios”, disse Sandra Coura. O Pró-Catador foi instituído pela Lei Estadual 3.592, de 15 de julho deste ano, oferecendo o suporte legal para o Recicla Rondônia e toda a política que vem sendo desenvolvida pela Seas com órgãos parceiros do estado, prefeituras e governo federal.

Com o diagnóstico dos catadores, Sandra informou que políticas públicas poderão ser desenvolvidas pelo estado em outras áreas  para atender essas pessoas.  “Conhecer os catadores, os empreendimentos econômicos solidários existentes e saber como as prefeituras estão trabalhando a questão dos resíduos sólidos, da economia solidária, quem precisa de um equipamento, uma prensa, uma balança, é importante para avançarmos no projeto Recicla Rondônia”.

O diagnóstico que se inicia em Vilhena se estenderá até o dia 27 de agosto e  abrange os municípios de Cabixi, Pimenteiras, Cerejeiras, Colorado do Oeste, Corumbiara e Chupinguaia. Porto Velho será o último polo pesquisado, no período de 10 a 18 de novembro, envolvendo catadores do município e de Itapuã do Oeste e Candeias do Jamari.

Trabalhando na coleta de material reciclável há dez anos, Iris Ferreira da Silva disse que um dos melhores momentos para os catadores acontece agora, com o estado mantendo parceria importante com o governo Federal. “Para nós da Catanorte está melhorando”, disse, ao informar que irá para Brasília no próximo domingo (17) como representante do Projeto Recicla Rondônia para participar de seminário que ocorrerá até quinta-feira (20) para falar sobre sua experiência.

Construir um galpão é a meta da Catanorte, localizada na Vila Princesa, em Porto Velho, na qual também está envolvido Raimundo Faustino Santos, que coleta material na rua em parceria com a cooperativa. Segundo ele, são mais de 400 pessoas vivendo da coleta de material reciclável e reutilizável.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Mara Paraguassu
Fotos: Esio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Capacitação, Economia, Governo, Inclusão Social, Rondônia, Sociedade


Compartilhe