Governo de Rondônia
Sábado, 06 de março de 2021

PLANEJAMENTO

Em busca de qualidade, Conferência Nacional de Educação Indígena abre fase local em municípios de Rondônia

21 de outubro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

“Conhecer, discutir, propor. Planejar, organizar, divulgar”. São motes da 2ª Conferência Nacional de Educação Indígena em Rondônia, cuja primeira fase iniciada neste mês abrangerá 39 comunidades até dezembro, em diferentes coordenadorias regionais de ensino no estado.

“Todos podem trabalhar e colaborar na construção de uma educação escolar indígena de qualidade, socialmente referenciada nas comunidades: alunos, pais e mães, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, secretários, universitários, merendeiros, zeladores, vigias e outros profissionais da escola”, informou a técnica pedagoga Ângela Gahu, da Coordenadoria do Ensino Indígena na Secretaria Estadual de Educação (Seduc).

Atualmente, Rondônia tem mais de 300 professores indígenas. A Seduc encaminhará o documento final da conferência para a comissão organizadora regional. Esta, apoiada pelo Ministério da Educação (MEC), se responsabilizará pela sistematização dos resultados a ser encaminhados à etapa regional.

Conferências são realizadas nos municípios

Conferências são realizadas nos municípios

“O êxito da conferência depende do engajamento dos membros da comunidade educativa”, disse Ângela.

As conferências se realizam em três momentos: no primeiro, abrangendo aldeias; no segundo, a fase regional, com a escolha e participação de delegados; e a terceira será realizada em caráter nacional, em novembro de 2017, em local a ser definido.

Participam representantes de povos indígenas, Fundação Nacional do Índio (Funai), Conselho Nacional de Secretários de Educação e União dos Dirigentes Municipais de Educação.

COMO FUNCIONA

Duas equipes trabalham na avaliação, em parceria com a Universidade Federal de Rondônia (Unir), Fundação Nacional do Índio (Funai), Conselho Indigenista Missionário e organizações não governamentais.

Segundo Ângela, primeira etapa tem caráter formativo e informativo a respeito de políticas e programas desenvolvidos pelo Ministério da Educação (MEC), principalmente aqueles sob a coordenação da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão.

Alguns programas podem ser acessados diretamente pelas escolas indígenas, ela adiantou.

LOCAIS DE REUNIÕES

Constituída pela Portaria nº 425, de 15 de maio de 2014, e retificada em sete de julho de 2016, a 2ª Conferência é promovida pelo MEC e a Seduc.

As comunidades onde haverá reuniões ficam nos seguintes municípios:

Alta Floresta do Oeste
Cacoal
Espigão do Oeste
Extrema
Guajará-Mirim
Jaru
Mirante da Serra
Nova Mamoré
Pimenta Bueno
Porto Velho
São Francisco do Guaporé
Seringueiras
Vilhena

SAIBA MAIS

Rondônia efetiva 313 professores indígenas, garante identidade e conserva língua materna
Crianças indígenas falam português, mas têm aulas na língua materna em Deolinda
Seduc inicia o quinto módulo do Projeto Açaí


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Seduc
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Capacitação, Cultura, Educação, Rondônia


Compartilhe