Governo de Rondônia
Quarta, 18 de setembro de 2019

Em Rondônia, apenados são monitorados por tornozeleiras eletrônica

29 de abril de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

Além de gerar economia ao estado, o aparelho, segundo a secretária Estadual de Justiça, Elizete Lima, garante um maior controle sobre a localização e as ações de quem estiver usando.

Isso, porque o monitoramento do preso é feito em três bases diferentes: uma na unidade prisional na qual ele está encarcerado, outra em Porto Velho, realizada por agentes da SEJUS, e em Curitiba, onde a empresa contratada acompanha 24 horas cada passo do apenado.

SONORA – ELIZETE LIMA – FALANDO SOBRE O USO DA TORNOZELEIRA.

Apesar da alta tecnologia utilizada, a tornozeleira tem um custo relativamente baixo ao Estado, devido ao contrato ser de locação e não de compra do aparelho, facilitando e acelerando, inclusive, a manutenção.

SONORA – ELIZETE LIMA – FALANDO SOBRE OS CUSTOS E A EFICIÊNCIA DO APARELHO.

O coordenador do Programa de Monitoramento Eletrônico, Adriano Furtunato, diz que os relatórios podem ser acessados em tempo real por diversos órgãos envolvidos, como o Ministério Público, Fóruns de Justiça, SEJUS, Polícias Militar, Civil e Federal.

SONORA – ADRIANO FURTUNATO – FALANDO SOBRE O CONTROLE DOS ÓRGÃOS.

Vinte cidades do estado já receberam as tornozelerias. Até o final do ano, pelo menos, 1500 apenados deverão estar utilizado o dispositivo em Rondônia.

texto por: Thiago Malkowski

Olha que interessante!

Por lei, os equipamentos devem ser dotados de: GPS, GPRS e Tecnologia GSM.

Dado o equipamento que deve ser: Blindado, a prova de fogo, a prova de água, o perigo de uma danificação é praticamente nulo.
Esse Direito é previsto como uma garantia constitucional que, agora, graças à tecnologia, poderá inclusive proteger o preso.

Áudio: Em-Rondônia-apenados-são-monitorados-por-tornozeleireira-eletrônica.mp3 Download

Categorias
Governo, Justiça, Rondônia, Segurança


Compartilhe