Governo de Rondônia
Sexta, 15 de dezembro de 2017

NOVEMBRO AZUL

Empresas e repartições públicas de Rondônia serão orientadas a conceder o Pré-Natal do Parceiro

01 de novembro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Que o homem não se trata com regularidade, sucessivas estatísticas demonstram que sim. Mas ele pode pedir licença no trabalho e acompanhar a esposa no exame pré-natal, depois do parto, e aproveitar para cuidar da própria saúde.

Rondônia começa adotar o programa Pré-natal do Parceiro, uma iniciativa da Coordenação Nacional de Saúde do Homem, órgão da Secretaria de Atenção à Saúde no Ministério da Saúde.

pre-natal-do-parceiro

Acompanhando a mulher, homem também se trata

Sete regionais da Sesau irão divulgá-lo, informou hoje (31) a coordenadora estadual do programa e integrante da Gerência de Programas Estratégicos de Saúde, Wanessa Carvalho Prado.

“O que ainda acontece? A mãe entra no gabinete médico, mas o marido fica sentado no banco, isso precisa ser mudado”, alertou a coordenadora.

A Lei nº 11.108, de 7 de abril de 2005 alterou a anterior, nº 8.080/1990, garantindo às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O pai tem direito à licença-paternidade por cinco dias, conforme a Lei nº 8.112, de 1990.

O programa Pré-natal do parceiro funciona assim: quando a gestante chega ao hospital, a equipe de recepção pergunta-lhe se o parceiro também quer participar da consulta.

O médico obstetra que atende o casal convida o homem a fazer alguns exames, e alguns deles fazem parte do pacote que a grávida tem que fazer ainda no primeiro trimestre de gravidez: sorologia para hepatite B e C, HIV e sífilis, além de exames de sangue para detectar presença ou não de diabetes, verificar níveis de colesterol e medir pressão arterial.

Orientadas pelo secretário Williames Pimentel, as regionais de saúde deverão sensibilizar repartições governamentais, municipais, comércio e empresas em geral, para liberarem maridos de gestantes, estimulando-os não apenas a apoiá-las, mas tratar da própria saúde.

O Guia do Pré-natal do parceiro diz que o parceiro nunca deve ser visto como “visita”, mas como protagonista da família, devendo ter livre e irrestrito acesso a sua parceira e ao seu filho no ambiente onde se encontrem.

“Estando junto não somente no momento da ultrassonografia, mas depois do parto, o marido aumenta o vínculo com a mãe e com o bebê, aprendendo auxiliá-la na amamentação, no banho do recém-nascido, sabendo avaliar se ele está com fome, cólica e febre”, assinalou a coordenadora.

SÍFILIS

A situação de Rondônia exige cuidados, notadamente por causa do crescimento de casos de sífilis, alertou o médico chefe do Núcleo Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, Natanael Arruda.

Em julho, durante a campanha de prevenção Julho amarelo, promovida pela Sesau no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, o médico Natanael Arruda, falou a servidores a respeito dos tipos de hepatite e a disseminação da sífilis.

“Ela tem cura se for imediatamente tratada, mas precisamos chacoalhar pessoas para receber atendimento, e nisso temos que envolver famílias, servidores e até o Ministério Público se preciso for”, apelava naquela ocasião.

Método canguru garantiu certificação do Ministério da Saúde

Programa ensina o pai a cuidar do recém-nascido

“Geralmente, mulher grávida faz o teste e se trata, quando comprovado o caso positivo, mas o parceiro que não se cuida reinfeta a companheira, daí a importância de fazerem testes juntos, pois é igualmente preocupante o nascimento de bebês com a doença congênita”, alertou Wanessa Carvalho.

EXEMPLO

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP) adotou o programa. Em 2011, pesquisa com parceiros de gestantes atendidas nessa cidade revelou que 94% deles gostariam de ir junto a uma consulta.

Segundo o Portal Brasil, os pesquisados também responderam que se sentiram frustrados por terem o seu direito negado quando manifestaram o desejo de entrar na sala de consulta.

Pelo acolhimento na rede SUS, a resposta foi positiva: mais de 80% dos futuros pais aderiram ao pré-natal, toparam fazer todos os exames e acompanhar as esposas em todas as consultas. Também aceitaram participar de oficinas sobre cuidados básicos do bebê, importância da amamentação exclusiva realizadas aos sábados.

CONHEÇA O GUIA

A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem visa facilitar e ampliar o acesso com qualidade da população masculina, na faixa etária de 20 a 59 anos, às ações e aos serviços de assistência integral à saúde da Rede SUS. Conheça o gruia de Pré-Natal do Parceiro (em PDF)

Leia mais:
Testes rápidos farão parte da campanha Novembro Azul em Rondônia
Agentes em  saúde de Rondônia participam de capacitação em hepatites e sífilis
Sesau alerta estimula servidores para diagnosticar Aids,  hepatites virais e sífilis em Rondônia
Governo de Rondônia apoiará Bolívia em testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites virais


Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Divulgação/Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Brasil, Capacitação, Comunicação Interna, Distritos, Inclusão Social, Informativo, Legislação, Lei da Informação, Municípios, Rondônia, Saúde, Serviço, Servidores, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe


Twitter
Facebook
Youtube