Governo de Rondônia
Sábado, 08 de maio de 2021

BOVINOCULTURA

Encontro técnico divulga resultado de pesquisa e contribui para sanidade animal de Rondônia

21 de novembro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

O I Encontro Técnico Científico de Pecuária Leiteira da Zina da Mata, realizado em Rolim de Moura no início deste mês, reuniu produtores e especialistas em medicina veterinária em um evento inédito: apresentar os resultados parciais do projeto de pesquisa sobre ocorrência do vírus da diarreia viral bovina (BVDV) e rinotraqueíte infecciosa bovina (BoHV-1/IBR) em rebanhos bovinos de leite localizados na zona da mata do Estado de Rondônia. Além de nome complicado, a doença, quando contamina o rebanho, traz prejuízos econômicos significativos à exploração da pecuária. O evento foi realizado por meio da parceria entre o Departamento Acadêmico de Medicina Veterinária da universidade, Emater-RO, Sebrae e Idaron e trouxe conclusões muito importantes para prevenção das doenças na região.

Erradicar a doença e diminuir prejuízos.

Erradicar a doença e diminuir prejuízos.

A pecuária bovina brasileira passa por um processo de tecnificação da atividade, porém com duas situações bem distintas: Grande parte do rebanho nacional faz uso de alguma tecnologia de produção com o objetivo de melhorar a qualidade e aumentar o índice reprodutivo do rebanho, enquanto que outros rebanhos se alimentam em pastos nativos, sem suplementação, com pouco ou nenhum controle sanitário e praticamente sem qualquer controle reprodutivo. Segundo a fundamentação do projeto “Soroepidemiologia do BoHV-1 E BVDV em bovinos leiteiros na zona da mata rondoniense” que deu origem à pesquisa na região, a somatória dessas duas situações faz com que os parâmetros reprodutivos e a taxa de desfrute do rebanho bovino nacional ainda não sejam os mais adequados em especial quanto aos custos atuais de produção.

Em Rondônia, a pecuária de leite é um dos setores mais importantes para a economia do Estado e uma das principais atividades capaz de geração e aumento de renda na agricultura familiar. Presente na maioria das pequenas propriedades rondonienses a produção leiteira responde pela sustentação econômica de aproximadamente, 34 mil famílias com atividade agrícola familiar. Sendo assim, é imprescindível que uma das maiores preocupações para a permanência da alta produtividade no estado esteja na manutenção da sanidade bovina. Com isso, surgiu a necessidade de se verificar a ocorrência do vírus da diarreia viral bovina (BVDV) e rinotraqueíte infecciosa bovina (BoHV-1) em rebanhos bovinos de leite localizados na zona da mata do Estado de Rondônia.

SANIDADE ANIMAL
São muitos os micro-organismos capazes de interferir na eficiência reprodutiva da espécie bovina e alguns podem até acometer seres humanos, tornando a questão um problema de saúde pública Estima-se que aproximadamente 50% dos abortos em bovinos estão associadas a doenças infecciosas, como a Rinotraqueíte Infecciosa Bovina (IBR) e Diarreia Viral Bovina (BVDV), doenças pesquisadas no projeto.

O vírus da Rinotraqueíte infecciosa bovina (IBR) denominado de herpesvírus bovino tipo 1 (BoHV-1) está presente de forma regionalizada no Brasil há vários anos, com evidências sorológicas da infecção em todos os locais onde foram pesquisadas. Ela causa abortos geralmente no terceiro trimestre de gestação e infertilidade, entre outros. Trata-se de um vírus altamente adaptado aos bovinos, por isso a maioria das infecções nem sempre são visíveis ou quando são, parecem moderadas. No entanto, em rebanhos mal alimentados e com manejo deficiente, podem atacar todo o plantel.

O vírus da diarreia viral bovina (BVDV) é considerado um dos maiores vilões contra bovinos e promove significativas perdas econômicas em explorações de corte e leite. Esse vírus é responsável por uma ampla variedade de manifestações clínicas, que variam desde infecções inaparentes até uma doença aguda, podendo levar à morte do animal. O BVDV leva a uma inflamação dos ovários e pequenas elevações da epiderme nos órgãos genitais e tanto o BoHV-1 quanto o BVDV são facilmente transmissíveis pelo sêmen.

PESQUISA E PREVENÇÃO
O rebanho bovino do estado de Rondônia é 8º maior do país com 12.074.362 cabeças e o 2º maior da região norte. Dados do IBGE (2013) demonstram que 28,52% do rebanho rondoniense são leiteiros e os outros 71,43% é rebanho de corte. Com a taxa de natalidade no estado em torno de 60% e os vários fatores de perda não descartarem a ocorrência da BVD e do IBR, fez-se necessário estimular medidas no intuito de averiguar o correto diagnóstico dessas enfermidades e assim, estabelecer medidas de controle adequadas que permitam a diminuição dos prejuízos e a erradicação dessa doença.

Os pesquisadores e colaboradores envolvidos na execução do projeto possuem experiência comprovada no desenvolvimento de trabalhos envolvendo sanidade e reprodução animal. Adicionalmente, os alunos graduandos participantes tiveram a oportunidade de conhecer a realidade sobre a pecuária de leite na região e levar para a sua formação os conhecimentos adquiridos com a experiência.

Assim, a pesquisa sobre ocorrência do vírus da diarreia viral bovina (BVDV) e rinotraqueíte infecciosa bovina (BoHV-1/IBR) teve por objetivo identificar fatores de riscos em rebanhos bovinos de leite localizados na zona da mata do Estado de Rondônia. Para isso foram avaliados rebanhos de sete municípios pertencentes à microrregião de Rolim de Moura. As propriedades escolhidas representam exatamente 1% do rebanho leiteiro de cada município.

A proposta visou avaliar o desempenho reprodutivo de rebanhos bovinos de leite, determinar a existência da doença em fêmeas bovinas de diferentes idades e comparar a com a ocorrência de abortamentos nas propriedades rurais pesquisadas. A amostra parcial dos resultados conclui que a doença está disseminada no estado e que é preciso intensificar o tratamento a fim de evitar maiores contaminações. Esse resultado foi levado a público durante o I Encontro Técnico Científico de Pecuária Leiteira da Zona da Mata.

ENCONTRO TÉCNICO
O I Encontro Técnico Científico de Pecuária Leiteira da Zona da Mata foi realizado no auditório da Universidade Federal de Rondônia (Unir), campus de Rolim de Moura, com a participação de produtores rurais familiares, agricultores assistidos pela chamada pública do leite das Unidades de Inovação tecnológica (Uits) do contrato do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) com a Emater-RO, extensionistas rurais, acadêmicos e profissionais de medicina veterinária. Aline Mikos, supervisora regional da Emater-RO na região de Rolim de Moura conta que oito produtores assistidos pela instituição participaram da pesquisa cedendo animais para a coleta de material. “Ainda tivemos a participação de 22 produtores da chamada pública totalizando 30 famílias participantes”, diz Miko, complementando que “essa participação, nos deu a oportunidade de nortear as orientações técnicas para início dos tratamentos para estas doenças facilitando o trabalho dos extensionistas da Emater.”

Aline também salienta que a Emater foi peça fundamental para execução da pesquisa, pois direcionou, acompanhou e exigiu da Unir, que os resultados fossem entregues aos produtores participantes da pesquisa. “Com a posse dos resultados os extensionistas têm mais respaldo técnico para suas orientações”, conclui a supervisora. Além dos resultados os participantes assistiram à palestra sobre doenças reprodutivas em bovinos.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Wania Ressutti
Fotos: Irene Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agropecuária, Rondônia


Compartilhe