Governo de Rondônia
Sexta, 06 de agosto de 2021

Escolas recebem mais de 30 famílias desabrigadas pela cheia

18 de fevereiro de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

Imagem 01

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) de Rondônia está dando total apoio aos desabrigados da cheia do rio Madeira. O governador Confúcio Moura determinou que o secretário Emerson Castro colocasse toda estrutura necessária para receber as famílias atingidas pela enchente. Algumas escolas de Porto Velho estão com as aulas paralisadas para receber as famílias desalojadas.

A primeira escola a receber desabrigados por conta da enchente foi a Escola Estadual Getúlio Vargas, no Bairro Areal, onde até esta terça-feira (18), nove famílias estão alojadas na instituição de ensino. Adeíde Rodrigues, diretora da escola, explica que, mesmo com 13 salas na instituição, as famílias estão locadas em nove por conta da preservação dos espaços que estão equipados com aparelhos eletrônicos e de higiene da unidade.

Uma das abrigadas é a doméstica Maria de Fátima, que ficou sensibilizada com o apoio que a Seduc e o Governo de Rondônia estão prestando aos desabrigados. “É gratificante saber que temos um governador e um secretário que se preocupa com os necessitados”, agradeceu Maria.

No começo da noite de segunda, cerca de 10 famílias começaram a se abrigar na Escola Estadual Marechal Castelo Branco. De acordo com o diretor Jeferson Sales, das 18 salas que compõe a instituição, 12 estão sendo ocupadas pelas vítimas da grande cheia do Madeira.

Imagem 02

Com as sete salas lotadas, a Escola Franklin Roosevelt, no Bairro Triângulo, começou a receber desabrigados desde sexta-feira (14) e aloja 14 famílias no local. Segundo a vice diretora Lourdes Conde, a escola já está com a capacidade esgotada para abrigar famílias.

Na Escola Samaritana, as aulas que começariam nesta segunda (17) foram paralisadas para abrigar as vítimas da enchente. De acordo com Herclus Coelho, vice diretor da escola, 20 pessoas estão abrigadas na unidade escolar e que ainda pode comportar mais duas famílias desabrigadas.

Em relação ao calendário escolar devido às paralisações das aulas, Irany Oliveira, coordenadora Regional de Educação de Porto Velho, explica que as escolas só poderão avaliar quantos dias serão necessários para repor as aulas após a saída das famílias dos prédios. “Não é possível pensar em calendário agora. Com certeza os alunos não serão prejudicados, mas só podermos falar sobre reposição após a saída dos abrigados”, declara.

Campanha
O secretário Emerson Castro coloca a Seduc à disposição da sociedade para as doações de água potável e de alimentos não perecíveis para os desabrigados. “A situação é difícil, retrata um sério problema causado pela natureza e que temos que enfrentar e socorrer as famílias necessitadas”, afirmou Castro.

A Escola Castelo Branco iniciou campanha junto aos estudantes para doação de água mineral e alimentos, já que a quantidade de famílias para atender é grande. “Pedimos colaboração da sociedade para que nos ajude a ajudar outras pessoas que foram afetadas pela enchente”, diz o diretor da escola.

Toda logística e estrutura do Governo do Estado está à disposição da Defesa Civil e a ordem do governador Confúcio Moura é atender as famílias desabrigadas de Porto Velho e dos distritos.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Educação


Compartilhe