Governo de Rondônia
Quarta, 03 de março de 2021

SISTEMA PRISIONAL

Escolta unificada é qualificada para uso de tecnologias de equipamentos menos letais

24 de fevereiro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Servidores também atuarão como multiplicadores de informações

Servidores também atuarão como multiplicadores de informações

Os selecionados para a escolta unificada de Porto Velho iniciaram o curso de tecnologias de equipamentos menos letais para atuação em ambiente carcerário e revista geral, última etapa de formação da equipe. A qualificação dos servidores aprovados após o teste de aptidão física tem o objetivo também de multiplicar as instruções, com atuação dos 52 agentes penitenciários.

O curso tem a duração de uma semana e está sendo ministrado pela Companhia de Operações Especiais (COE). O primeiro dia foi formado por aula teórica, que aconteceu no salão da companhia de guarda. Os demais dias serão de aulas práticas na área interna do novo presídio que está em fase final de construção, situado no complexo prisional, com intervenção e utilização dos equipamentos menos letais e uso do spark, dispositivo elétrico incapacitante que contém um computador de bordo capaz de informar quando foi realizado o disparo, que segundo o diretor da Escola de Estudos e Pesquisas (Esep) auxiliará no bom uso do equipamento.

Após a capacitação, o servidor atuará junto a Escola Penitenciária como multiplicador, podendo ser convocado em situações que exijam o poder diferenciado da força. “A Esep forma os servidores e depois segue para o interior para fazer as instruções de quem será responsável por utilizar esse material nas demais unidades”, explicou o diretor Cláudio Negreiros.

Sessenta servidores, entre homens e mulheres, da capital e interior participam do curso. Para o secretário adjunto Marcus Amaral, a Sejus não está preocupada apenas em adquirir os equipamentos, mas também capacitar os servidores constantemente. “Queremos tornar o processo cíclico, com capacitações em diversas áreas, para que o servidor se sinta protegido pelos equipamentos e em condições emocionais para utilização”.

Amaral também elogiou o trabalho da Escola Penitenciária, que antigamente atuava apenas na formação dos agentes penitenciários e socioeducadores, e, hoje, tem como objetivo focar na capacitação constante dos servidores, atendendo não só a capital, como as unidades regionais. “Com a capacitação, criam-se novas possibilidades de multiplicação, com os próprios agentes que estão se capacitando. Colocar em prática e falar da teoria aos colegas, traz um melhor conhecimento aos servidores nas suas atuações”, finalizou o adjunto.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Gaia Quiquiô
Fotos: Esep/Sejus
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Capacitação, Governo, Justiça, Rondônia, Segurança, Servidores


Compartilhe