Governo de Rondônia
Sexta, 20 de setembro de 2019

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Fundação de Amparo à Pesquisa de Rondônia investe R$ 23 milhões no fortalecimento da ciência e tecnologia em dois anos

30 de novembro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Pesquisa da Fiocruz tem apoio da Fapero

Pesquisa da Fiocruz tem apoio da Fapero

Em dois anos (2013-2015), a Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero) lançou 15 chamadas, totalizando R$ 22,9 milhões, conforme o presidente, Francisco Elder Souza de Oliveira.

Relatório concluído na última semana revela que 82% das propostas foram para apoio financeiro ao Programa Primeiros Projetos são oriundas da Universidade Federal de Rondônia (Unir) e Fundação Oswaldo Cruz RO; e 69% são do interior do estado, nas áreas de ciências biológicas e agrárias.

“Nosso trabalho beneficia um estado carente de capital humano especializado, mestres, doutores, densas redes de ensino, pesquisa, patentes e empresas de potencial inovador”, disse Elder de Oliveira.

A Fapero é vinculada à Secretaria Estadual de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), e administrada por um Conselho Curador e Direção-Executiva.

Prevista desde 1981, somente em 2011 ela foi tirada do papel pelo governador Confúcio Moura, que assinou a Lei nº 2.528/11. De lá para cá, seu leque de conquistas avançou: em 2013, a chamada PPSUS (Fapero, Secretaria Estadual de Saúde, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) deu prioridade a doenças infecto-parasitárias, vigilância em saúde com base territorial local, integralidade da atenção, mortalidade e morbidade materna e infantil.

Apoiado pela Fapero, o Fórum de Estados Emergentes da Amazônia busca diminuir assimetrias regionais e intrarregionais que restringem o desenvolvimento da ciência e tecnologia na região. Documento assinado pelos governadores Confúcio Moura (Rondônia) e Tião Viana (Acre) abriu discussões ministeriais, com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti)  e Conselho Nacional das Associações de Pais (Confap).

O relatório do biênio 2013-15 também destaca o Programa de Bolsas Pós-Doutorado, que visa apoiar a formação de recursos humanos por meio da concessão de bolsas para profissionais com titulação de doutor e fortalecer e consolidar programas de pós-graduação stricto sensu em institutos ou centros de ciência e tecnologia.  “É o estímulo à produção científica, criação e registro de patentes para produtos inovadores”, assinalou Elder de Oliveira.

“Fui à Câmara dos Deputados, em Brasília, apresentar a situação da ciência, tecnologia e inovação em estados emergentes amazônicos, e aqui promovemos um seminário com a participação de pesquisadores de instituições públicas, buscando conhecer e integrar a ciência no estado”, comentou o presidente.

VISIBILIDADE E AÇÃO

Em agosto, em parceria com o Instituto Federal de Rondônia (Ifro) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a fundação promoveu a 4ª Mostra de Ciência, Tecnologia e Inovação, evento da Semana Nacional de C&T.

Francisco Helder, presidente da Fapero

Francisco Helder, presidente da Fapero

Com o SIGFapero (sistema de gerenciamento), a fundação possibilitou chamadas em ambiente virtual, permitindo submissões online de propostas, consultas, acompanhamentos, relatórios, cadastros de pesquisadores, prestação de contas e outras facilidades.

Pela primeira vez em Rondônia, pesquisadores tiveram a oportunidade de executar projetos pelo Programa de Apoio à Pesquisa (PAP Universal) para Ciência e Tecnologia. Ao mesmo tempo, um representante da região Norte brasileira toma assento no Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa. “Isso nos deu liderança regional”, orgulha-se.

Segundo Elder, foi constatada a necessidade de mais investimento de recursos financeiros para primeiros projetos, coordenados por recém-doutores em Rondônia. Isso permite criar novos grupos de pesquisa e consolidar diferentes áreas do conhecimento.

A fundação apoia com R$ 700 mil a Secretaria Estadual de Agricultura (Seagri) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no funcionamento do Programa Especial de Estruturação do Laboratório de Qualidade do Leite.

A chamada do Programa di Iniciação Júnior concede bolsas a alunos do 6º ano do Ensino Fundamental à 2ª série do Ensino Médio ou de Educação Profissional. A Fapero apoia também a área jurídica, programando para os próximos quatro anos a formação de 25 doutores em ciências políticas na Associação de Assistência à Cultura na Amazônia Moacyr Grechi.


Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Maicon Lemes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Brasil, Capacitação, Comunicação Interna, Convênios, Economia, Educação, Empresas, Governo, Indústria, Informativo, Infraestrutura, Legislação, Lei da Informação, Meio Ambiente, Rondônia, Saúde, Serviço, Servidores, Sociedade, Solidariedade, Tecnologia, Terceiro Setor


Compartilhe