Governo de Rondônia
Quinta, 04 de março de 2021

COMBATE AO MOSQUITO

Força-tarefa começa operação contra proliferação do mosquito Aedes aegypti em bairros da zona Leste de Porto Velho

13 de fevereiro de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

EXEMPLO - José Souza obteve avaliação positiva, sem focos e possíveis criadouros

 José Souza obteve avaliação positiva, sem focos e possíveis criadouros

O comerciante José de Souza, morador da Rua Aruba, bairro Socialista, na zona Leste de Porto Velho, foi o primeiro a receber a visita dos homens soldados da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, que integra a força-tarefa coordenada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), formada por técnicos da Agência de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa), Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Corpo de Bombeiros, Forças Armadas e agentes comunitários de combate a endemias.

José acompanhou a vistoria feita pelos homens do Exército e teve avaliação positiva, não tendo em sua casa e quintal, nenhum possível criadouro do mosquito. Ele elogiou a iniciativa dos órgãos e disse que a população deveria fazer sua parte e ajudar a conter o nascimento de mosquito. “É melhor prevenir. Aqui, em casa, todos sabem como deve ser feito. Caixa d’água limpa e tampada, nada de garrafas jogadas, e lixo no lugar certo. Esta é a minha determinação”, ressaltou o comerciante.

ESTRATÉGIA - Cada dupla vai visitar 25 residências, diz coordenação

Cada dupla vai visitar 25 residências, diz coordenação

No total, 1.250 casas serão visitadas por 50 duplas, estima o enfermeiro Sid Orleans, membro do Comitê Estadual de Controle do Aedes aegypti. A ação tem como meta a conscientização da importância de manter os quintais limpos, em especial nos bairros com maior índice de infestação do mosquito Aedes aegypti em Porto Velho, mostrando para a população sua importância no combate às doenças, e que a prevenção é o melhor remédio, considerando que não há vacina e, o mais importante: se o mosquito não nascer, não haverá transmissão, disse Orleans.

REUNIÃO - O comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Costa Neves, o secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, traçaram ação

 O comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Costa Neves, o secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, traçaram ação

Em reunião com o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Costa Neves, o secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, reforçou que apesar das campanhas de divulgação feitas pelo governo federal e estadual, ainda há muita resistência da população em atender ao agente de endemias, para que o profissional, com base no treinamento que recebeu, possa fazer a “vistoria” domiciliar e identificar possíveis focos e criadouros do mosquito. Por isso, segundo o secretário, é fundamental, neste momento, a presença dos homens das Forças Armadas.

As equipes ficam três dias no Socialista. Depois, seguem para os bairros Mariana, Marcos Freire e São Francisco, todos com índices de infestação alta, explica a diretora-geral da Agência de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa), Arlete Baldez.

Pelo planejamento aprovado, as ações seguem até o dia 28 de abril. As visitas vão seguir a ordem de classificação por índice de infestação. A meta é cobrir 100% dos bairros da capital até o fim da operação realiza pela força-tarefa.

PARA 2017

Para este ano estão definidas várias ações como: apoiar tecnicamente os gestores municipais nas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti; ofertar capacitação permanente para profissionais de saúde e militares; reforçar as visitas domiciliares com a participação das forças armadas em municípios estratégicos; além de fornecer equipamentos e veículos com UBV pesado (versão mais forte do fumacê para combate ao mosquito) para municípios que enfrentam dificuldades com elevado índice de infestação predial. Pelo planejamento, essas seriam as principais estratégias que o governo de Rondônia definiu para serem executadas em 2017, no combate ao Aedes Aegypti.

Leia mais:

Governo encerra mapeamento de infestação e ajuda municípios no combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Educação, Governo, Inclusão Social, Infraestrutura, Rondônia, Saúde


Compartilhe