Governo de Rondônia
Domingo, 07 de março de 2021

AUXÍLIO DESABRIGADOS

Governador explica finalidade do Auxílio Aluguel e Bolsa Vida Nova às vítima da enchente

02 de junho de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

6 - governador“Não é o que queríamos, mas é o que podemos dar neste momento para dar condições às famílias de recomeçar suas vidas, após a longa enchente, que nos deixou em estado de calamidade pública”. Foi o que explicou o governador Confúcio Moura às famílias que na manhã desta segunda-feira (2) estavam na Emater, em Porto Velho, fazendo o cadastro que garantirá, a partir de 5 de julho, o Auxílio Aluguel, no valor de R$ 500, pelo período de seis meses, totalizando R$ 3 mil; e o Bolsa Vida Nova em parcela única de R$ 1 mil para ser aplicados em pequenas reformas das casas que não foram destruídas pela força das águas. Os recursos estimados em R$ 25 milhões, segundo o governador, são oriundos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RO).

Confúcio Moura deu uma pausa na agenda para levar uma palavra de solidariedade às famílias antes também de embarcar para cumprir agenda fora da Capital. Ele foi recepcionado com abraços e sessões de fotos, além de indagações das famílias sobre o planejamento do Estado para a reconstrução das localidades. Confúcio lembrou que na última semana visitou alguns distritos da Capital e os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré; e garantiu que ainda visitará todos os atingidos. É o caso do distrito de São Carlos, na região de Porto Velho, que o presidente da associação de moradores, Joanir Tavares, quis saber o que está sendo feito para o retorno das famílias ou construção de um novo distrito. “Tudo o que será feito, assim como os prejuízos e outros detalhes, serão divulgados no dia 9, com o Plano de Reconstrução, que contará com a ajuda do governo Federal. Agora, o que estamos fazendo com esse auxílio é apenas o que podemos dar no momento. É um alento para o recomeço. Também logo iremos trabalhar nas estradas”, salientou.

6 - emater

Atendimento na Emater-RO

Ele lembrou ainda que no mês de julho serão distribuídas 1.000 casas do Condomínio Orgulho do Madeira, que faz parte dos Programas Morada Nova (estadual) e Minha Casa, Minha Vida (Federal); e outras mil serão entregues em agosto. “Será feita seleção criteriosa. Mas a casa será dada gratuitamente”, destacou.

6 - katia

Kátia Ribeiro

Ao agradecer ao governador, a aposentada Maria Gomes, 73 anos, moradora do Nacional, afirmou que ficou três meses na casa de parentes. Grávida, de seis meses de uma menina, e mãe de outras três, Kátia Ribeiro, moradora do São Sebastião II, revelou que está na casa da mãe e fez questão de agradecer e ser fotografada abraçada a Confúcio. “Agradeça a ele. Pois foi o único que está fazendo alguma coisa por nós”, mandou a cabeleireira Ednalva Barbosa, do Baixa da União, enquanto as crianças formavam filas para ser fotografadas com o governador.

6 - ceiça

Ceiça Pinheiro

ATENDIMENTO
Conforme Ceiça Pinheiro, uma das coordenadoras do cadastro, que tem à frente a Secretaria de Estado de Assuntos Estratégicos (Seae) em parceria com os demais órgãos estaduais, são pelo menos 4.937 famílias a ser beneficiadas em todo o Estado, a maioria, cerca de 3.500, da Capital. O atendimento na Emater será feito até o próximo dia 14, de segunda a sábado, das 8h às 18h. Diariamente são distribuídas 300 senhas, das quais 100 são para atendimento prioritário. Paralelamente, estão sendo atendidos os desabrigados de Guajará-Mirim; e, posteriormente, uma equipe se deslocará aos demais municípios mais atingidos pela cheia, que são Nova Mamoré, Costa Marques e Pimenta Bueno.

Para evitar a ação de aproveitadores, Ceiça disse que são exigidos o CPF e RG de todos os integrantes da família que são maiores de 18 anos. “Antes da entrega do benefício iremos fazer visitas onde as pessoas estão, seja em abrigo, casa de parente e até mesmo os que já retornaram aos seus imóveis, que nesse caso têm direito apenas aos R$ 1 mil”, detalhou, chamando atenção também para o fato de que o auxílio aluguel será cancelado à medida em que as casas forem sendo liberadas após perícia técnica do Corpo de Bombeiros.

Logo que chegou, por volta das 6h à Emater, Ceiça Pinheiro disse já havia cerca de 100 pessoas na fila. Entre elas estavam Luciana Passos, 31 anos, do Baixo-Madeira, casada e mãe de cinco filhos de 15, 10, 7 e 5 anos; e 11 meses. “Para mim esse auxílio é muito importante, pois perdemos tudo. Estamos no abrigo e sobrevivemos da pesca”.

Moradora do Ramal Aliança, Maria de Nazaré, 68, disse que está na casa da filha e que perdeu tudo “colchão, friezer, tv, toda plantação. Ficaram apenas dois pés de manga. Esse auxílio é muito bom”.

6 - adalmir

Adalmir Vicente

Funcionário público federal, do Ministério da Agricultura em Rondônia, Adalmir Vicente, 59 anos era um dos centenas do bairro Triângulo, que tiveram que desocupar os imóveis. “Só escaparam o carro e a moto. Mas já voltei para casa com minha esposa, meu filho e a nora”, resumiu.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Veronilda Lima
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Habitação


Compartilhe