Governo de Rondônia
Domingo, 18 de agosto de 2019

GERAÇÃO DE RENDA

Grupo de Autocuidado em Hanseníase participa de oficina de confecção e estratégia de mercado para artesanato sustentável

25 de março de 2019 | Governo do Estado de Rondônia

Transformar sementes em biojoias e em alternativa sustentável de renda. Essa é a proposta da oficina realizada pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa/RO) em parceria com a Ong NHR Brasil e direcionada para pacientes acometidos pela hanseníase. A abertura da capacitação ocorreu na manhã de hoje (25) e segue até sexta-feira (29), no Rondon Palace Hotel, em Porto Velho.

‘‘Trata-se de um novo conceito de saúde. Antes do SUS, saúde era ausência de doença, mas depois se tornou um conjunto de fatores que vão dar condições de bem-estar biológico, psíquico e social’’, disse a gerente técnica de vigilância epidemiológica, Arlete Baldez.

O grupo, de cerca de 20 pacientes dos municípios de Porto Velho, Ariquemes, Ouro Preto, Ji-Paraná e Monte Negro, tem a missão de, com criatividade, transformar sementes de frutos da região como o tucumã, buritis e açaí em uma diversidade de biojoias como colares e pulseiras.

Em edições anteriores, a capacitação foi voltada para o setor da gastronomia, mas esse ano foi dada a oportunidade para mostrar que o artesanato também tem espaço na economia. ‘‘Em 2017 e 2018 trabalhos o Projeto Geração de Renda em gastronomia, mas esse ano escolhemos trabalhar com artesanato sustentável dando continuidade ao incentivo do empreendedorismo’’, destaca a coordenadora estadual de Hanseníase, Albanete Mendonça.

Ela explica ainda que a iniciativa é importante devido a maioria do público acometido pela hanseníase ter um nível socioeconômico baixo. É para o Estado uma proposta de inclusão social, sendo esta a única renda ou ainda uma renda complementar para o paciente e família. ‘‘Foi tudo preparado com muito cuidado e eu creio que daqui vai sair grandes frutos’’, considera a diretora-executiva da Agevisa, Tânia Medeiros.


A funcionária pública Marlúcia faz sucesso com a venda de biscoitos e agora que investir em biojoias

A funcionária pública e moradora de Ouro Preto do Oeste, Maria Marlúcia de Carvalho,57 anos, já é um exemplo para os demais participantes. Ela participou da oficina de gastronomia na edição passada e depois dessa capacitação começou a fazer biscoitos que vende no Estado e também em Humaitá (AM).

O que garante uma renda complementar de cerca de R$ 1,5 mil. Agora ela também quer investir no mercado de biojoias. ‘‘Eu tinha muita vontade de aprender a fazer biojoias , vou aproveitar essa oportunidade com toda garra e o meu sonho é exportar para vários lugares’’, disse.

A artesã e instrutora da oficina, Cristiane Oliveira, usa da própria experiência para ensinar desde a confeccionar as peças até a acompanhar tendências e estratégias para conquistar o mercado consumidor. ‘‘Eu faço artesanato desde os oito anos, mas trabalho com biojoias há 21 anos, participei de várias capacitações empreendedoras. Eu vivo do artesanato e multiplico o conhecimento para que mais pessoas tenham uma vida sustentável’’, afirma.

A oficina envolve conhecimentos teóricos e práticos durante o período da manhã e tarde e, na sexta-feira (29), está prevista em parceria com o Sicoob o compartilhamento de conhecimentos em relação a educação financeira.

 

Leia mais:

Recurso para tratamento da Hanseníase favorece inclusão social e combate à doença em Rondônia

Diagnóstico e tratamento precoce da Hanseníase dificulta proliferação de doença infectocontagiosa em Rondônia

Saúde do Trabalhador e valorização de servidores são parte das prioridades da nova gestão da Agevisa


Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Brasil, Economia, Evento, Governo, Inclusão Social, Municípios, Rondônia, Saúde, Servidores, Sociedade


Compartilhe