Governo de Rondônia
Terça, 15 de junho de 2021

MEDICINA E TECNOLOGIA

Hospital de Base Ary Pinheiro realiza cirurgias renais minimamente invasivas

08 de junho de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Cirurgia de retirada de cálculos renais pelo método Nefrolitotripsia Percutânea, realizada no HB

Cirurgia de retirada de cálculos renais pelo método Nefrolitotripsia Percutânea, realizada no HB

Com a aquisição de equipamentos cirúrgicos de última geração, em valor superior a R$ 1 milhão e capacitação da equipe cirúrgica, o Hospital de Base Ary Pinheiro (HB), em Porto Velho, já realizou três cirurgias de retirada de cálculos renais pelo método Nefrolitotripsia Percutânea (cirurgia de alta complexidade por meio de equipamento laparoscópico) e pretende eliminar a extensa fila de pacientes que aguardam o procedimento. O HB, hospital terciário, forma, capacita, especializa e mantém corpo médico em Rondônia.

“Cálculos renais provocam dor extrema e podem levar a óbito, caso não sejam retirados”, afirma o cirurgião urologista Oadmil Monteiro, que faz parte da equipe de cirurgiões do hospital. A técnica utilizada para a retirada dos cálculos renais (conhecido popularmente como pedra nos rins, na medicina considerada a dor mais próxima da do parto) é a Nefrolitotripsia Percutânea (NLP), equipamento recém adquirido e já em pleno uso.

O diretor técnico do HB, Rodrigo Bastos, ao falar sobre os avanços da urologia em Rondônia, informa que o Estado fez um grande investimento em recursos humanos e em equipamentos de urologia, superior a mais de R$ 1 milhão, a fim de realizar cirurgias minimamente invasivas (um pequeno furo na pele feito por uma agulha cirúrgica), para cirurgias em adultos no HB, quanto em crianças (dois cirurgiões atendem no Hospital Infantil Cosme e Damião).

A NLP é um procedimento urológico minimamente invasivo para o tratamento de cálculos renais e é indicado nos casos de insucesso no tratamento com Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque (Leoc). Atualmente tem suas indicações definidas para cálculos renais maiores que 2 cm em pelve renal ou cálices superiores, cálculos de cálice inferior maiores que 1 centímetro e muito duros.

O procedimento consiste da punção guiada por radioscopia, seguida da dilatação até se poder entrar com o nefroscópio dentro do rim (aparelho com menos de 1 cm de diâmetro munido de uma câmera, por onde se pode observar a anatomia interna do rim e de um canal por onde se podem passar pinças), para quebrar e retirar os cálculos. “Esta pequena incisão é bastante diferente daquela tradicional para cirurgia aberta, tanto esteticamente como, principalmente, relacionada à dor e à recuperação no pós-operatório que pode ocorrer em dois dias”, explicou o cirurgião urologista Alessandro Prudente.

Médicos do HB, Rodrigo Bastos e Oadmil Monteiro

Médicos do HB Rodrigo Bastos e Oadmil Monteiro

Três pacientes já passaram pelo procedimento de retirada de cálculos renais pelo método NLP, segundo Rodrigo Bastos, que destacou também a formação profissional que o HB vem realizando.

“O Dr. Oziel Júnior, especialista em cirurgia bariátrica por vídeo (redução de estômago), foi médico residente aqui, assim como no caso das cirurgias de avanço tecnológico, como a percutânea (retirada de pedras nos rins), a equipe composta pelo Dr. Oadmil, que também foi médico residente no HB e depois se especializou em urologia, foi precursora no uso desse material de última geração”, afirmou.

Para o diretor-geral Nilson Paniágua, o  HB tem se notabilizado em formar e fixar o corpo clínico em Rondônia, que é uma das principais preocupações do governador Confúcio Moura e do secretário da Saúde, Williams Pimentel, para melhorar cada vez mais o atendimento à população.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Marco Aurélio Anconi
Fotos: Ésio Mendes e Oadmil Monteiro
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Capacitação, Governo, Rondônia, Saúde, Tecnologia


Compartilhe