Governo de Rondônia
Sábado, 15 de maio de 2021

UTILIDADE PÚBLICA

Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia fiscaliza produtos e serviços

05 de março de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Osni Ortiz observa produto em gôndola

Ipem fiscaliza produtos para atestar veracidade das informações contidas no rótulo

Do amanhecer ao anoitecer, diversas situações do cotidiano envolvem volume, massa, pesos e medidas. Só observar e perceber que a mais simples ação – a de tocar um interruptor e acender a lâmpada – está relacionado à medição.  Para garantir as condições de segurança do material ou objeto utilizado pela população, existe um órgão público responsável pela verificação e aferição do volume e da massa – a chamada metrologia.

Em Rondônia, a responsabilidade deste trabalho é do Instituto de Pesos e Medidas  (Ipem/RO). Órgão conveniado ao Inmetro, esse instituto executa serviços essenciais na verificação e fiscalização de instrumentos de medição, produtos pré-medidos, produtos têxteis, produtos com certificação compulsória e veículos transportadores de produtos perigosos.

Entre as atividades desempenhadas pelos técnicos do Ipem/RO está a verificação de instrumentos médico-hospitalares, por exemplo, o esfigmomanômetro – aparelho que aferi a pressão arterial do paciente. Segundo o presidente do Ipem/RO, Osni Ortiz, há a perspectiva de que seja retomado o trabalho conjunto com a Agência de Vigilância Sanitária do estado (Agevisa), na verificação metrológica dos instrumentos que estão em uso público, esclarecendo que o desvio de leitura dos aparelhos de aferição da pressão arterial pode levar a um diagnóstico errado, “por isso é importante que haja em todo o Estado um controle desses aparelhos”.

Há a perspectiva de que o Ipem/RO estabeleça um convênio com a Eletrobrás Distribuição Rondônia (antiga Ceron) para um trabalho conjunto na verificação e regularização dos relógios medidores de energia. Para Ortiz, a medição irregular do consumo de energia causa perda de receita financeira para a empresa distribuidora e ao estado.

Ele cita como exemplo: “em uma residência cujo consumo mensal de energia seria de R$ 100,00 e verifica-se que há irregularidade na medição do consumo mensal por defeito do aparelho medidor e sendo este inferior ao que de fato foi fornecido; tanto a empresa distribuidora quanto o estado deixam de arrecadar, respectivamente, o valor de fato devido pelo consumidor e os impostos”, esclarece.

Esse mesmo trabalho se pretende estabelecer com a Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) na verificação dos hidrômetros.

Outro aspecto que tem merecido a atenção do instituto é o acidente de consumo. Por isso, o foco dos fiscais está na identificação do selo Inmetro e na observação do material utilizado. Conforme presidente do Ipem/RO, esse selo “atesta a qualidade e segurança do produto”, requerendo dos fiscais a atenção redobrada devido a alguns produtos serem falsificados.

COMBUSTÍVEL

Por vezes, o consumidor pensa que os aumentos abusivos nos preços dos combustíveis devem ser fiscalizados pelo Ipem/RO. Porém, a este órgão compete a verificação do funcionamento adequado da bomba medidora. Quanto à qualidade do combustível, Ortiz informou que é necessário estabelecer um convênio entre o órgão ao qual preside a Agência Nacional do Petróleo (ANP) e a Universidade Federal de Rondônia (Unir), pois esta instituição possui um laboratório para análise. Só assim é possível ao Ipem/RO avaliar e atestar a qualidade do produto.

Atualmente o instituto conta com quatro unidades de atendimento no estado – em Porto Velho (duas), Vilhena e Ji-Paraná, estando previstas as unidades de Jaru e Ariquemes. Osni Ortiz informou, ainda, que há dois projetos em andamento para ampliação das unidades de Porto Velho: a implantação do espaço de inspeção para produtos e equipamentos relacionados às cargas perigosas, com 7.360 metros quadrados, no Distrito Industrial de Porto Velho; e a nova sede administrativa, que seguirá o modelo arquitetônico padrão do Inmetro, de 2,6 mil metros quadrados. O custo previsto para tais edificações está em torno de R$ 5,2 milhões.  Além das construções, está em curso a convocação dos candidatos aprovados no último concurso público para preenchimento das 41 vagas existentes no órgão.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Carlos de Lima
Fotos: Marcos Freire
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Água, Indústria, Serviço, Sociedade


Compartilhe