Governo de Rondônia
Sexta, 25 de junho de 2021

Juíza ouve moradores em vistoria ao Abrigo do Parque dos Tanques

07 de maio de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

A juíza Sandra Silvestre, coordenadora do programa Justiça Rápida, do Judiciário estadual, vistoriou na tarde desta quarta-feira, 7, o Abrigo Único instalado no Parque de Exposições, onde estão 126 famílias atingidas pela enchente recorde do rio Madeira. Após percorrer barracas e conversar com abrigados, de quem ouviu demandas, a magistrada informou que suas observações serão apresentadas nesta quinta-feira, 8, na reunião da Mesa Integradora, quando será definido o Plano Integrado de Reconstrução.

3 - visita da juiza ao abrigo

Antes de deixar o Parque de Exposições, a juíza Sandra Silvestre disse que o que viu “é bem parecido” com o que viu no Timor Leste, onde  atuou, há sete anos, como observadora internacional durante a guerra civil que assolou o país. “Esta estrutura tem padrão internacional”, afirmou, ao mesmo tempo em que evitou comentários sobre o que constará no relatório que vai apresentar.

Sandra Silvestre, que estava acompanhada da promotora Andreia Waleska Nucine Bogo, foi recepcionada pelo coronel Silvio Luiz Rodrigues, subcomandante do Corpo de Bombeiros e que representou a Coordenação Estadual da Defesa Civil.

Saúde

3 - visita às barracas

Durante a visita,  a magistrada visitou barracas para conferir os esforços realizados pela Defesa Civil para amenizar os efeitos do calor amazônico. Ela conversou com as pessoas que estavam na fila para receber ventiladores e conversou demoradamente com a técnica em enfermagem Celi Gadelha, que trabalha no Posto de Saúde montado dentro do Abrigo Único. Celi explicou que esta é a época em que ocorrem doenças típicas de início da estiagem, mas que não há ocorrências graves. Sobre a vacinação contra a gripe, realizada há dois dias, disse que a maioria dos abrigados recusou.

3 - alimentaçãoSandra Silvestre também vistoriou o local onde são servidas as refeições e quis saber qual é o cardápio oferecido regularmente. Depois, foi informada de que dois ônibus, oferecidos pelo governo do Estado e pelo município, transportam diariamente as crianças para as escolas onde estão matriculadas e que são acompanhadas por monitores.

3 - juiza visita barracasNa visita às barracas, a magistrada conversou com o líder comunitário José Domingos, presidente da Associação dos Moradores do Assentamento Joana D’arc, que também estão entre os abrigados, pois tiveram suas terras inundadas. Ele apresentou documentos sobre reivindicações e ouviu da juíza Sandra Silvestre que algumas demandas poderão ser resolvidas na Operação Justiça Rápida, que pretende levar ao Abrigo Único.

Volta

3 - francisca braga

Francisca Braga

Entre as famílias que estão no Abrigo Único a vontade de voltar logo para casa é tão forte quanto a incerteza em relação ao que vão encontrar. Francisca Braga Albuquerque, 63 anos, moradora do Bairro da Balsa diz que só está esperando as águas baixarem para que possa ver o piso de sua casa. “Vou voltar porque estou ficando velha e estou sofrendo muito longe de lá”.

Maria da Conceição, 41 anos, também moradora do Bairro da Balsa, diz que foi a primeira vez em que sua casa ficou alagada. Ela reclama da falta de união entre os abrigados. “A convivência aqui é boa, mas não há união, porque cada qual só cuida de si. Isto reflete na minha saúde. Estou até com problema de pressão, coisa que nunca tive”, reclamou.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Nonato Cruz
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Governo, Sociedade


Compartilhe