Governo de Rondônia
Terça, 18 de maio de 2021

MOSQUITO

Lacen e Fiocruz iniciam curso de capacitação técnica para identificação do mosquito transmissor da leishmaniose

04 de novembro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

NA CAPITAL - Técnicos serão capacitados pelo Lacen e Fiocruz para identificar transmissor da leishmaniose

Técnicos serão capacitados pelo Lacen e Fiocruz para identificar transmissor da leishmaniose

O governo de Rondônia inicia na próxima segunda-feira (07), em Porto Velho, curso de capacitação de técnicos da capital e interior do Estado para a identificação do mosquito transmissor da leishmaniose.

O curso será aplicado por técnicos do Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Serão ministradas técnicas sobre “Ecologia e Taxonomia de Flebotomíneos”, de 07 a 18 deste mês, nas dependências do Lacen-RO.

De acordo com o diretor-geral do Lacen, Luiz Tagliani, o objetivo é capacitar profissionais de saúde de nível médio e superior – técnico em laboratório, biólogos e médicos veterinários -, dos laboratórios de entomologia.

A expectativa é ampliar os conhecimentos da sistemática de flebotomíneos (mosquitos), tendo em vista a implementação e manutenção da vigilância entomológica das leishmanioses no Estado de Rondônia.

Ele explica que a Leishmaniose, é uma antropozoonose, que se caracteriza pela ocorrência de lesões ulceradas na pele e mucosas, tem espectro de gravidade variável e não é contagiosa. O homem e seus animais domésticos são envolvidos no ciclo da doença de modo secundário, sendo originalmente uma infecção zoonótica, diz Tagliani.

A doença possui uma distribuição mundial em dezenas de países e acomete principalmente populações mais vulneráveis, geralmente envolvidas em atividades rurais, sendo considerada uma das doenças negligenciadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS.

A transmissão ocorre pela picada da fêmea do inseto flebotomíneo que esteja infectada pela Leishmania sp. No Brasil há ocorrência de diversas espécies de flebotomíneos que podem atuar como vetores, além de diversos agentes etiológicos que possuem uma correlação com os seus vetores. O vetor tem hábitos alimentares noturnos e é popularmente conhecido como mosquito-palha, tatuquira, birigui entre outros nomes.

Essa capacitação contará com aulas teóricas, práticas de identificação e coleta de mosquitos, além de fornecimento de material didático para estudo e pesquisa.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, o curso faz parte do programa de educação permanente implantado pelo governo de Rondônia. De acordo com ele, esse tipo de evento tem atenção especial da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), que proporciona, além da capacitação, a valorização dos profissionais.

Leia mais:
Lacen realiza controle vetorial do transmissor da leishmaniose na zona rural de Pimenta Bueno
Fiocruz Rondônia reúne pesquisadores de três estados para diagnósticos de leishmaniose


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Capacitação, Cursos, Educação, Evento, Governo, Inclusão Social, Infraestrutura, Rondônia, Saúde


Compartilhe