ProLeite

Logo ProLeite

O ProLeite é um programa de incentivo ao agronegócio leite, instituído em 1999 e regularizado em 2009 pela Lei nº. 547 de 21/12/2009 e normatizado pelo Decreto no. 15.513 de 22/11/10 visando a eficiência e o dinamismo do agronegócio leite rondoniense.

Clique e saiba mais

Dicas do Leite #ProLeite

Confira nossa série especial com dicas e informações importantes para aumentar sua produção, melhorar a qualidade e trazer bons lucros com o leite.

>> CONFIRA NOSSA PLAYLIST ESPECIAL <<

Boas práticas, bom leite, bons lucros

Garantir boas práticas na produção é bom para você, para os animais e para os consumidores, trazendo lucros e aumentando a renda familiar. Confira abaixo boas práticas que você pode começar a praticar hoje mesmo e conferir que investir no leite é um ótimo negócio! Clique em cada ícone para ver mais dicas:

Oportunidades de renda
  • A atividade leiteira gera muitos empregos no país, e Rondônia está na oitava posição em produção de leite, sendo o maior produtor da região Norte, com aproximadamente 48% da produção regional
  • A agricultura familiar fornece mais de 50% da produção nacional de leite.
  • A renovação de pastagens, implementação de novas tecnologias, o melhoramento genético, geram aumento de produção e renda direta ao produtor, como também aos setores de beneficiamento do leite, como produção de queijos, iogurtes e outros derivados.
  • Nosso estado produz aproximadamente 2,2 milhões de litros diários de leite, que geram um valor bruto de R$ 700 milhões por ano, sendo 65% do leite produzido no estado exportado.. Essa produção é feita por 35 mil produtores de leite, gerando mais de 100 mil empregos, nas áreas rurais e perímetros urbanos.
  • Amigo produtor, aproveite todo o potencial leiteiro do nosso estado, invista no melhoramento genético, na alimentação do seu rebanho e garanta o aumento da produtividade!
  • Leite é muito mais que alimento, é fonte de renda para milhares de famílias! Rondônia produz:

    LEITE
    Mais de 2,2 milhões litros/dia
    Mais de 803 milhões de litros/ano

    QUEIJO
    87 mil toneladas/ano

    LONGA-VIDA
    67 milhões de litros/ano

    LEITE EM PÓ
    51 milhões de litros/ano

Gestão e Organização
  • Independente do tamanho da sua propriedade registre todos os custos de sua produção, o tempo gasto com a ordenha, o custo que tem para cada animal, e a produtividade do rebanho.
  • Com trabalho e boa organização financeira do seu agronegócio, você estará garantindo o presente e o futuro da sua produção de leite.
  • Utilize também a tecnologia a seu favor. Diversos aplicativos e softwares para computador e celular ajudam no controle de sua produção.
  • O dia a dia da produção é extremamente importante no resultado da qualidade do leite produzido na sua propriedade. Por isso, tenha sempre o controle sob cada atividade realizada seu cotidiano. Conhecimento e cuidado fazem toda a diferença!
  • Durante o processo de produção, algumas etapas são consideradas básicas. A primeira delas é a chamada Aquisição e Recebimento de Insumos Animais, que faz parte do controle higiênico-sanitário da propriedade. Essa é a hora de checar os alimentos, medicamentos, produtos de higiene e outros produtos usados na propriedade leiteira.
  • Caro produtor, conhecer e controlar cada etapa do processo de produção do leite é fundamental para a qualidade do produto que sai da sua fazenda. Para isso, uma dica é manter sempre uma rotina dentro da propriedade e realizar monitoramento das atividades e etapas básicas através de registros em planilhas.
  • O dia a dia da produção é extremamente importante no resultado da qualidade do leite produzido na sua propriedade. Por isso, tenha sempre o controle sob cada atividade realizada seu cotidiano. Conhecimento e cuidado fazem toda a diferença.
  • Dicas de controle na compra e recebimento de materiais, confira sempre:
    - A data de fabricação e validade
    - Os dados gerais do produto
    - As condições da embalagem
    - As características dos alimentos

Cuidados com o pasto
  • A formação de pastagem é uma prática tão importante, que deve ser considerada um plantio assim como outras culturas, o solo precisa ser arado, longe de cupins e plantas invasoras. Também é necessário realizar o plantio na época de início da estação das chuvas.
  • Um dos desafios da pecuária leiteira do estado de Rondônia é revolucionar o setor com práticas sustentáveis e o primeiro passo para esta mudança está no preparo do solo. Com um pasto adequado, é possível aumentar a produção de leite com menos animais, em menor área de pastagem.
  • É necessário estar atento a alimentação do rebanho. O sistema de pasto rotativo é uma ótima opção para garantir que cada animal consuma um volume de melhor qualidade, e com isso aumente a produção de litros por animal.
  • A renovação de pastagens, além de garantir a elevação da produtividade animal e a sustentabilidade dos sistemas de produção pecuária, reduz a quantidade de novos desmatamentos, preservando a fauna, flora e o meio ambiente.
  • Bacias leiteiras
    • A pecuária leiteira tem grande importância econômica em nosso Estado, as principais bacias leiteiras são as cidades de Jaru, Nova Mamoré, Ouro Preto do Oeste, Governador Jorge Teixeira, Ji-Paraná e Porto Velho, mas o sucesso da produção de leite é fruto do trabalho de cada pecuarista.

    Cuidados com alimentação
    • Um rebanho bem alimentado é garantia de um leite cada vez melhor para o consumidor. A suplementação do gado com nutrientes como selênio, cobre, zinco e algumas vitaminas, como A e E, auxilia na resistência das glândulas mamárias e diminui o risco de infecções.
    • A produção do rebanho leiteiro é diretamente relacionada com a qualidade da alimentação, forneça um pasto de qualidade e garanta o sucesso na produção de leite em sua propriedade.
    • É necessário estar atento a alimentação do rebanho. O sistema de pasto rotativo é uma ótima opção para garantir que cada animal consuma um volume de melhor qualidade, e com isso aumente a produção de litros por animal.

    Cuidados com a forrageira
    • Através da análise de terra da propriedade em laboratórios é possível realizar o cálculo correto da quantidade necessária de produtos que devem ser aplicados na área. Evitando assim gastos desnecessários para ter uma terra fértil, pronta para receber as sementes das forrageiras. Dessa forma é possível produzir mais leite com menos animais em uma menor área de pastagem.
    • Existem três grupos de pastagens mais conhecidos e utilizados na produção leiteira: braquiária, panicum e cynodon.
    • A forrageira mais cultivada em nosso estado é a Brachiaria Brizantha cv Marandu, resistente às cigarrinhas-das- pastagens, alta produção de forragem, boa capacidade de rebrota, tolerância ao frio, à seca e ao fogo. Entre as forrageiras do gênero panicum a Mombaça é a mais utilizada, ela é uma boa alternativa para solos com maior fertilidade.
    • Em nosso país as gramíneas do gênero Brachiaria são as mais utilizadas nos sistemas de produção de leite e de carne. Mas para sistemas intensivos de produção de leite, em pastos rotacionados, as forrageiras mais indicadas são as Tanzânia e Mombaça, pois apresentam alta produção de forragem.
    • Para garantir o sucesso no plantio da forrageira é importante realizar o plantio no início do período de chuvas. Plantio tardio, após a temporada de chuvas, pode frustrar as expectativas.
    • Um outro ponto que deve ser observado é a qualidade da semente, pois a compra de uma semente mais barata, com qualidade inferior, não trará o resultado esperado, mesmo em um bom solo e com chuvas regulares.
    • Através da análise de terra da propriedade em laboratórios é possível realizar o cálculo correto da quantidade necessária de produtos que devem ser aplicados na área. Evitando assim gastos desnecessários para ter uma terra fértil, pronta para receber as sementes das forrageiras. Dessa forma é possível produzir mais leite com menos animais em uma menor área de pastagem.
    • O aumento da forragem irá garantir um excelente valor nutritivo e intensificar a produção leiteira, portanto uma boa forragem é um ponto crucial para o sucesso da sua produção!

    Cuidados com a ordenha
    • A ordenha mecânica é um bom exemplo de tecnologia que ajuda a aumentar a produtividade, com diversas vantagens sobre a ordenha manual.
    • Enquanto na ordenha manual é possível extrair, em média, o leite de aproximadamente 8 vacas por hora, no método mecânico esse trabalho pode ser feito em um número 3 vezes maior.
    • A ordenha, independente se mecânica ou manual, é uma atividade muito importante para a produção do leite. As pessoas que cuidam do rebanho devem estar higienizadas, assim como o ambiente, evitando assim a mastite, principal doença da produção de leite.
    • A ordenha também deve ser realizada o mais cedo possível, quando possível todos os dias no mesmo horário, estes cuidados são importantes para garantir o bem-estar dos animais e da produção de leite.
    • Com preparo e treinamento, a ordenha é feita pelo profissional da melhor forma possível.

    Crédito para o produtor
    • O Governo do Estado através da Emater, tem acompanhado e orientado os produtores na elaboração de projetos, visando à liberação de crédito para custeio e investimento, principalmente aos agricultores familiares.
    • Com crédito, gestão e organização você garante a melhoria de infraestrutura em sua propriedade.

    Renda para a família
    • A produção de leite é uma importante fonte de renda para pequenos agricultores, uma vez que é uma fonte de renda contínua ao longo do ano, possibilitando um fluxo de caixa regular, independentemente do tamanho da produção.
    • Ela gera empregos diretos para aqueles que lidam diretamente com a atividade, e muitos outros indiretos em setores que envolvem se na atividade.

    Matrizes que geram lucro
    • Um bom caminho para alcançar o melhoramento do seu rebanho é adquirir matrizes, assim o produtor terá maior produtividade, e fertilidade.
    • Uma matriz que gere um bezerro ao ano irá contribuir para um ótimo lucro na venda, ou trazendo economia com a reposição, para o caso da recria e engorda.

    Rebanho saudável
    • Para garantir uma boa produção e evitar que animais do seu rebanho fiquem doentes é importante realizar um manejo correto na hora da ordenha, higienizar os equipamentos e úbere do animal e boa nutrição.
    • Com trabalho e cuidado será possível manter seu rebanho livre de doenças como a mastite bovina, que é a principal doença que afeta rebanhos leiteiros no mundo inteiro, causando enormes prejuízos econômicos.
    • Resíduos de antibióticos afetam diretamente a saúde do consumidor e o processo de fabricação dos derivados do leite. Por isso, utilize apenas produtos recomendados e mantenha cuidados cuidados básicos de higiene na hora de tratar seu animal com esse tipo de medicamento.
    • Preze pela saúde do seu rebanho e por um leite sempre saudável

    Melhoramento genético
    • A inseminação artificial é um ótimo caminho para melhorar a qualidade do rebanho e aumentar a capacidade de produção por animal. O controle reprodutivo também evita acidentes comuns na cobertura tradicional.
    • O setor leiteiro já começou a explorar a produção para pessoas que possuem alergia à proteína do leite. Conhecidas como beta-caseínas, elas correspondem a 30% das proteínas do leite e, por meio de estudos e trabalhos de melhoramento genético, serão substituídas pelo chamado leite A2, que não causa reações em pessoas que possuem alergia.
    • Com um gado geneticamente aprimorado, a agricultura familiar se torna mais competitiva.

    Aplicativos de celular
    • O aplicativo 4milk permite a gestão do rebanho, na reprodução, produção e sanidade dos animais. Com ele é possível criar perfis distintos para cada função na propriedade, como produtor, gerente, veterinário e vaqueiro. Também permite realizar compra, venda de animais em um livre mercado entre produtores.
    • Foi lançado recentemente um aplicativo do programa Gestão Informatizada de Sistemas de Produção de Leite (Gisleite), da Embrapa. O app permite que o produtor gerencie, pelo celular ou tablet, os aspectos econômicos e zootécnicos de sua propriedade, como reprodução dos animais, produção de leite, movimentação no rebanho e qualidade do leite.
    • O aplicativo “Roda da Reprodução” desenvolvido pela Embrapa permite acompanhar na tela do seu celular o ciclo de reprodução do rebanho, desde a cobertura ou inseminação artificial da novilha até o parto. A roda digital é mais fácil de atualizar que a roda física e muito mais rápida, o aplicativo possibilita que o pecuarista seja informado do estado dos animais e também inclua dados de onde estiver.
    • Produtor, utilize a tecnologia para manter o desenvolvimento de sua propriedade!

    Leite de qualidade
    • Produzir um leite de qualidade é a vontade dos produtores e também dos laticínios, pois possibilita maior rendimento dos derivados lácteos e nos lucros por litro. Isso é possível com boas práticas de ordenha, manutenção preventiva, limpeza dos equipamentos, providenciar resfriamento adequado ao leite e o transporte apropriado seguindo as exigências da legislação.
    • Garantir boas práticas na produção é bom para você, para os animais e para os consumidores! Elas asseguram a produção de um leite melhor, com animais saudáveis, resultando em um alimento sem resíduos e de acordo com as condições socioambientais.
    • Você já conhece o Guia de Boas Práticas do Leite? Publicado originalmente pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Alimentação e a Agricultura e a International Dairy Federation (IDF), o documento abrange os principais aspectos da gestão da propriedade, entre eles saúde animal, higiene na ordenha, nutrição animal, bem estar animal, meio ambiente e gestão socioeconômica. Acesse o link e confira http://www.fao.org/docrep/017/ba0027pt/ba0027pt.pdf

    Boa refrigeração
    • A refrigeração do leite tem basicamente dois objetivos: impedir o crescimento de bactérias e permitir um tempo maior de armazenamento na fazenda, reduzindo assim os custos de transporte até os laticínios.
    • Após a ordenha, rapidamente o leite deve ser resfriado a 4º C , evitando microbiológico e alterações químicas. O leite produzido em boas condições de higiene manterá uma boa qualidade entre 15 a 20 horas.
    • Estimar a produção para um período de 5 anos, analisar a qualidade da energia elétrica, aterramento e uma boa ventilação para os motores irão garantir excelentes resultados e redução no consumo de energia elétrica.