Governo de Rondônia
Sexta, 05 de março de 2021

RECONHECIMENTO

Médicos do Hospital de Base apresentarão pesquisas em congresso internacional de obstetrícia e ginecologia em Portugal

29 de maio de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

Quatro médicos vão representar Rondônia no 21º Congresso Português de Obstetrícia e Ginecologia que será realizado entre quinta-feira (1°) e o domingo (4), em Coimbra (Portugal). Todos os trabalhos apresentados no evento serão publicados na revista científica internacional Acta Médica. O feito é comemorado pela equipe rondoniense, que enxerga nesta oportunidade a chance de mostrar para o mundo que no estado é feito um trabalho sério e eficiente na saúde pública.

Médicos que atuam em Rondônia terão artigos publicados em revista internacional

Médicos que atuam em Rondônia terão artigos publicados em revista internacional

Participarão do congresso a supervisora do Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia do Hospital de Base (HB) Ary Pinheiro, médica ginecologista obstetra Maria da Conceição Ribeiro e os médicos residentes, Danyelle Mariaca (2º ano), Kryzia Carvalho e  Zulivan Yaluzan, ambos do 3º ano.

Segundo a supervisora, o Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia existe há 10 anos no HB e vem se mostrando como uma iniciativa que trouxe avanços na melhoria das práticas de trabalho e no fortalecimento da formação de profissionais melhores qualificados. ‘‘E quem tem mais ganhado com isso é a população’’, disse Maria da Conceição Ribeiro. Atualmente o programa conta com 18 médicos residentes.

São trabalhos desenvolvidos em Rondônia que agora vão ganhar destaque internacional. ‘‘Esses trabalhos tratam de patologias que acontecem muitas vezes nesta região tropical, e servirão de base para outras pesquisas de médicos brasileiros e até internacionais’’, explicou a supervisora, ressaltando que ter o trabalho aceito no congresso é para poucos.

Esta é a segunda vez que o Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia tem trabalhos divulgados internacionalmente, mas esta será a primeira vez no Congresso de Obstetrícia e Ginecologia de Coimbra.

‘‘É muito gratificante para mim esta participação no congresso porque, como eu atuo na área da educação, sou professora há alguns anos e me dediquei aos títulos de mestrado e doutorado e agora estou no meu pós-doutorado em Roma, então essa experiência é muito importante para minha formação como pesquisadora e para o currículo lattes’’.

Conceição explicou que além da importância pessoal está a também mostrar que em Rondônia há pesquisadores que produzem trabalhos científicos que são reconhecidos fora do Brasil’’, apontou.

Para a médica residente Kryzia Carvalho, a notícia de que seu trabalho foi aprovado no congresso foi recebida com entusiasmo. ‘‘É uma sensação ótima e muito gratificante ter o trabalho reconhecido. Em nível curricular é muito bom e também uma oportunidade de levar o nome da nossa residência médica e do Estado de Rondônia para fora do Brasil”, argumentou.

‘‘Para mim também é muito gratificante levar os resultados da nossa residência para fora do País. É um avanço muito grande por ser uma residência que muitos pensam que não tem tanto reconhecimento, por ser daqui, mas já temos ótimos profissionais que passaram por esta residência e alcançaram reconhecimento dentro do País e internacionalmente’’, citou a médica residente Danyelle Mariaca.

‘‘Eu fico muito feliz porque é um reconhecimento tanto para nós como profissionais, mas também em poder levar o nome da nossa residência para fora do Brasil, e saber que o que nós fazemos aqui diariamente tem reconhecimento em nível internacional’’, observou o médico residente Zulivan Yaluzan.

CORIOANGIOMA PLACENTÁRIO

Maria da Conceição Ribeiro teve o trabalho com tema ‘‘Corioangioma placentário – relato de caso’’ aprovado pelo congresso. ‘‘Trata-se de um tumor na placenta. É um relato de uma paciente que apresentou esta patologia, que é rara e grave, e muitas vezes o desfecho da gestação não é muito favorável’’, contou.

De acordo com a supervisora, a patologia não tem tratamento, mas é de fundamental importância o acompanhamento da paciente durante a gestação para saber qual o momento que é preciso ser interrompida a gestação. ‘‘Com o crescimento da placenta, esse tumor vai crescendo também e dificultando as trocas gasosas entre a mãe e o feto. Muitas vezes corre o risco de ocorrer morte fetal intraútero, por isso a importância de saber manusear a paciente e qual o momento de interromper a gestação’’, revelou.

SÍFILIS GESTACIONAL

O elevado número de sífilis gestacional em um hospital do Norte brasileiro é o tema do trabalho desenvolvido por Kryzia Carvalho. ‘‘Foi feito um levantamento com referências biográficas e de dados estatísticos inclusive, de fontes do hospital, que aponta aumento de casos de sífilis nos últimos anos’’, destacou.

‘‘A proposta do meu trabalho é mostrar como a gente pode combater este aumento porque a sífilis gestacional causa malformação para o feto que pode comprometer a vida desta criança. O tratamento é muito simples: Iniciar uma orientação adequada já no pré-natal e conscientizar as gestantes das consequências que há se não se tratar, porque as gestantes muitas vezes acabam abandonando o tratamento’’, argumentou Kryzia Carvalho.

MALFORMAÇÃO ARTERIOVENOSA UTERINA

Danyelle Mariaca direcionou os estudos para o tema ‘‘Malformação arteriovenosa uterina’’, por ser uma patologia rara, que pode ser adquirida de forma congênita.

‘‘No meu estudo de caso se tratava de uma paciente jovem, e o que chama a atenção é o desfecho, porque depende da sintomalogia da paciente. No caso da minha paciente, teve que fazer histerectomia total [remover todo o útero e colo do útero]. Ela era uma paciente que estava em busca do diagnóstico há algum tempo, e durante a nossa residência conseguimos chegar a este diagnóstico, e desta maneira resolver esse caso’’, destacou.

GESTAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO ANÔMALA

Gestação de implantação anômala na Amazônia Ocidental foi o tema escolhido pelo médico residente Zulivan Yaluzan. ‘‘Trata-se de um relato de caso de uma paciente que desenvolveu uma gestação ectópica, fora de onde habitualmente se produz uma gestação, que é na cavidade uterina’’, disse.

No caso dessa paciente, segundo ele, a gestação evoluiu até 22 semanas. O que é um fato bastante raro, pois geralmente quando são ectópicas chegam à resolução nas primeiras semanas de gestação. “Isso despertou bastante a atenção, e me levou a fazer pesquisas bibliográficas, e comprovei que se trata realmente de um caso muito raro’’.

SAÚDE PÚBLICA

A aprovação pelo congresso da participação de pesquisas desenvolvidas por médicos que atuam no Hospital de Base Ary Pinheiro, referência em atendimento de alta complexidade, é reflexo dos avanços na saúde pública de Rondônia. ‘‘A residência médica representa um grande avanço para a medicina no estado. Ter um setor dedicado a estudo e pesquisa traz um avanço enorme’’, apontou Zulivan Yaluzan.

‘‘A gente tem que tirar esta impressão de que Rondônia não tem estrutura, e sim, que aqui temos condições de formar bons profissionais e prestar um bom atendimento aos pacientes. No Hospital de Base fazemos cirurgias de alta complexidade e atendemos a uma demanda muito grande. Acredito que com nossa participação no congresso e com a publicação dos artigos em revista internacional haverá a colaboração para desmistificação da região mostrando que nós estamos preparados, tanto em pesquisa como corpo clínico também’’, acredita a médica residente Kryzia Carvalho.

‘‘As residências em obstetrícia e ginecologia e cirurgia geral foram as primeiras implantadas no HB há 10 anos, e o que podemos observar é que antes os trabalhos estavam voltados para a assistência, mas vem crescendo a quantidade de pesquisas e aumentando o incentivo aos médicos que já atuavam em Rondônia no sentido de se atualizarem e participarem de eventos científicos, como congressos’’, avaliou Maria da Conceição.

Leia mais.

Crianças em tratamento contra o câncer no HB recebem atenção de policiais rodoviários, que rasparam a cabeça em solidariedade

HB realiza mutirão de cirurgias ortopédicas e conta com doadores de sangue para manter estoque da Fhemeron

Paciente do HB comemora vida nova ao receber transplante de rins após quatro anos de hemodiálise


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Evento, Governo, Rondônia, Saúde, Sociedade


Compartilhe