Governo de Rondônia
Segunda, 16 de setembro de 2019

Morada Nova: Mais de três mil famílias já foram entrevistadas

03 de fevereiro de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

As visitas domiciliares aos inscritos nos programas habitacionais Morada Nova, na capital, já atingiu a marca de mais 3 mil famílias entrevistadas.

Imagem 01As visitas domiciliares aos inscritos nos programas habitacionais Morada Nova, coordenado pela Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e Minha Casa Minha Vida que iniciaram no final do mês de novembro, na capital, já atingiu a marca de mais 3 mil famílias entrevistadas.

Em ritmo de força-tarefa, servidores municipais e estaduais, trabalham diariamente de segunda a sábado, para concluir o quanto antes o processo de visitas domiciliares, aos inscritos para o Residencial Orgulho do Madeira.

O servidor da Secretaria Municipal de Urbanização e Regularização Fundiária (Semur) Wallace Klei, diz ser uma grande satisfação estar realizando este trabalho. “Sei da importância das visitas domiciliares, no processo de seleção das famílias beneficiadas. É com muita satisfação que estou realizando esse trabalho onde em cada casa que visitamos sentimos a esperança das famílias em conseguir a casa própria”, declarou.

“Temos cerca de 17 equipes em campo, realizando as visitas no período da manhã e da tarde, e mesmo com as frequentes chuvas as visitas  tem rendido bastante, as equipes estão empenhadas na realização deste trabalho”, declara o secretário da Seas, Márcio Felix.

Mais de 13 mil pessoas realizaram a inscrição, para concorrer às casas e apartamentos do Residencial Orgulho do Madeira. As famílias selecionadas para o processo de visitas são as que atenderam de 4 a 6 dos critérios de seleção dos programas, além de pessoas com deficiência e idosos.

A dona de casa Michele dos Santos tem 36 anos e cinco filhos. Ela mora com o marido que está desempregado e a única renda da família vem do benefício do Bolsa Família, no valor de R$ 420,00. A casa em que moram, de madeira com apenas três cômodos, cedida pela sogra de Michele, está sem situação precária, de acordo com ela, quando chove alaga toda a casa trazendo muita lama para dentro casa de piso batido. “Meu sonho é ter uma casa melhor para viver e criar meus filhos com mais dignidade”, desabafou Michele.

Para a servidora da Seas, Ardileide Santos, o processo de visitas é primordial para seleção das famílias beneficiadas. “Durante as visitas vemos todos os tipos de situação, até as mais extremas. Visitar as famílias, analisar cada caso e situação é o que garante a transparência no processo de seleção, fazendo com que as moradias cheguem às famílias que mais precisam”, frisou.

A dupla de entrevistadores Alcirlan Santos e Joana Prado declara que o maior estímulo para o trabalho das visitas que estão realizando é saber que a situação de muitas famílias pode mudar de forma permanente e para melhor. Eles contam que passam por diversas situações durante as visitas, como por exemplo, locais onde o carro não passava e eles andaram 10 km, atravessando buracos alagados, quando ficavam com água até a cintura para chegar na casa da família a ser visitada.

“Passamos por essas dificuldades e pensamos na situação da família que tem que enfrentar essa problemática diariamente para sair de casa, eles precisam de uma moradia digna”, desabafou Alcirlan.

Outra casa visitada foi de Katia Soraya da Silva, que mora com os três filhos em uma área de invasão há mais de 5 anos e trabalha na obra do Residencial Orgulho do Madeira, como auxiliar de instalação. Katia conta que todos os dias quando chega à obra, repete para si mesma que vai conseguir uma moradia naquele lugar. “Trabalho na obra com muito orgulho e com a satisfação de saber que posso estar trabalhando na construção na minha própria casa”, declarou.

A previsão da Seas, para o término do processo de visitas é dia 20 de fevereiro. Finalizando essa etapa, iniciam-se as análise dos cadastros, para a realização dos sorteios públicos. Ainda na semana passada, o governador visitou os empreendimentos da Capital e, junto aos responsáveis pelas obras, pediu celeridade na execução dos projetos.

“É determinação do governador Confúcio Moura que uma parte das moradias sejam entregues até junho deste ano. Sabemos da necessidade da população de Porto Velho que há anos espera para realizar o sonho da casa própria”, finaliza Márcio Felix.


Fonte
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Sociedade


Compartilhe