Governo de Rondônia
Domingo, 15 de setembro de 2019

ANJOS DAS FAMÍLIAS

Movidos pela fraternidade, profissionais de saúde do Samd cantam para pacientes, em Porto Velho

13 de dezembro de 2018 | Governo do Estado de Rondônia

Dona Aurentina com o coral formando por profissionais do Samd

 

“Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar”. O refrão da música ‘Eu quero apenas’, de Roberto Carlos, cadenciou toda a empolgação e alegria da dona Aurentina Rodrigues da Costa, de 74 anos, que há pouco mais de 4 meses tem recebido total acompanhamento do Serviço de Assistência Multidisciplinar Domiciliar (Samd) que tem levado nesta reta final de ano o Coral, formado por profissionais da saúde, para alguns dos mais de 270 pacientes que atualmente recebem atendimento em suas próprias casas.

Idealizado pela psicóloga Golda Paiva, o Coral foi uma forma que os profissionais que atuam do Samd encontraram para levar um pouco de alegria para alguns pacientes que são atendidos em suas próprias residências. “Não há timidez. Não ensaiamos nada. Foi dada a ideia e de imediato todos aceitaram desde os motoristas aos profissionais da área de Saúde. É tudo bem natural, mas de coração, ou seja, basta um violão e as vozes de toda nossa equipe para levarmos um pouco de música e consequentemente abrilhantarmos o sorriso dos nossos pacientes”, disse, ressaltando que até o final deste ano o Coral deve fazer mais 5 apresentações. “Estamos gostando e os pacientes demonstram o carinho por todos”, finaliza.

O Serviço de Assistência Multidisciplinar Domiciliar é uma proposta do governo de Rondônia para humanizar os atendimentos médicos a pacientes de alta complexidade. A ideia é desafogar  unidades hospitalares de Porto Velho, como Hospital João Paulo II, Cemetron, Hospital de Base Ary Pinheiro e o Santa Marcelina.  A medicina domiciliar é um termo genérico para um conjunto de procedimentos hospitalares que podem ser feitos na casa do paciente. Aplica-se a todas as etapas do cuidado do profissional de saúde, na prevenção, no diagnóstico e no tratamento de doenças, bem como nos procedimentos de reabilitação.

 

“Para nós, como profissionais que estamos atuando com os pacientes, é algo gratificante. Um serviço muito bonito que a gente faz por amor ao próximo” – Sâmia Rocha, diretora do Samd

 

A diretora do Samd, Sâmia Rocha, enfatizou que a atenção individualizada e o convívio regular entre o profissional da saúde e o paciente estabelece uma confiança mútua, gerando um diagnóstico e tratamento mais precisos, humanizado e uma cura mais rápida, visto que o profissional ensina não só o paciente, como também toda a sua família a prevenir e cuidar do paciente. Ao tecer comentário sobre o Coral, Sâmia se emociona e diz que a cada música traz o “coração” dos profissionais. “Fazemos com amor e todos se engajam nesta atividade de alegria. A equipe inteira, ou seja, médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, motoristas, psicólogos sem exceção vivem este momento de pura felicidade. Para nós, como profissionais que estamos atuando com os pacientes, é algo gratificante. Um serviço muito bonito que a gente faz por amor ao próximo”, disse emocionada a diretora.

O trabalho é desencadeado por equipes formadas por vários profissionais envolvidos direta e indiretamente no tratamento e no cuidado ao paciente. No entanto, esse processo há uma participação importante da família que passa a acompanhar mais de perto o processo, fazendo a presença desses profissionais algo mais marcante e conseqüentemente, mais bem aproveitada.

Com um largo sorriso, dona Aurentina Rodrigues não se conteve ao gritar o amor que sente pelos profissionais do Samd. “Estou muito feliz. Estou muito honrada de receber vocês na minha casa. Meus anjos que estiveram sempre do meu lado. Meu coração está repleto de muita paz, pois fui sempre bem tratada por todos vocês.  Sabe de uma coisa? Eu sou deles e eles são meus”, disse a idosa com o brilho do sorriso.

Dona Aurentina Rodrigues enfrentou cerca de 180 dias de tratamento de osteomielite e posteriormente uma infecção e, após alguns meses no Hospital de Base foi encaminhada para tratamento domiciliar, quando entraram em ação os profissionais do Samd.

 

O sorriso de dona Aurentina se transforma em combustível para os profissionais do Coral

 

A técnica em enfermagem Márcia Regina, que também é graduada em Assistência Social, expressa a emoção dos servidores que se transformaram em verdadeiros anjos para esses pacientes. “Fazemos esse serviço com muito amor e dedicação. A gente cria um vínculo com eles e ganhamos o abraço fraterno que simboliza esse laço criado pelo serviço humanizado”, disse Márcia que lembrou os amigos do Samd tais como: Deyse, Elza, Luís, Luciene, Golda, Tâmires, Elysanio, Simone, Vagnesson, Helena, Niciane, Sâmia Carolina, Michel, João e os demais que fazem parte do que eles mesmo chamam anjos das famílias.

A prova do bom relacionamento foi expressada por Maria de Fátima, contratada pela família para estar sempre ao lado de dona Aurentina e cuidando no momento em que todos estão trabalhando. Mãe de 3 filhos, Maria de Fátima divide o amor também com a paciente e fala do comprometimento garantido pelo Samd. “São profissionais que fazem a diferença e têm conquistado o amor dos pacientes, como a dona Aurentina. Se não fosse o Samd  ela ainda estaria internada no hospital. Hoje, ela se sente muito melhor em casa. É bem mais confortável e agradecemos a Deus”, enfatizou.

 

“Estou muito honrada de receber vocês na minha casa. Meus anjos que estiveram sempre do meu lado. Meu coração está repleto de muita paz, pois fui sempre bem tratada por todos vocês” – Aurentina Rodrigues, paciente

 

O Samd é composto por 5 Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (Emad), sendo cada equipe formada por 1 médico, 1 enfermeiro, 5 técnicos em enfermagem e um fisioterapeuta e/ou assistente Social. Além dos profissionais que compõe a Emad, há ainda os profissionais que compõe as Equipes Multiprofissionais de Apoio (Emap), por exemplo: Psicólogos, Fisioterapeutas, Nutricionistas, Assistentes Sociais, Motoristas, Agentes Administrativos, totalizando 60 profissionais.

Segundo explicação da diretora, a Capital está dividida em quatro bases territoriais atendidas atualmente pelas equipes: Samaúma, com 36 pacientes; Buritis, com 44 pacientes;  Açaí, com 28 pacientes; Jatobá, com 22 pacientes; Inajá, com 11 pacientes; bem como Caso do Ancião, com 35 pacientes.

 

Equipe do Samd trabalha com foco na humanização do serviço de saúde

 

OBJETIVOS PRINCIPAIS

Redução do edema da rede hospitalar, evitando hospitalizações desnecessárias a partir das portas de urgências e emergências, bem como otimizando a rotatividade dos leitos hospitalares; Diminuição da incidência de comorbidades relacionadas aos longos períodos de permanência hospitalar, como infecções hospitalares e escaras; Reintegração precoce do paciente em seu núcleo familiar; Ofertar uma assistência em saúde humanizada e integral; Estimular a participação da família no tratamento proposto; Maximizar o nível de independência dos pacientes; Minimizar os efeitos e a evolução das comorbidades apresentadas pelos usuários; Avanços na qualidade do cuidado prestado aos pacientes da rede SUS; Articulação entre a atenção primária e terciária, através da operacionalização da referência e contra referência dos pacientes da assistência domiciliar pelas equipes do Samd.

ATIVIDADES

As principais atividades operacionais são: Consultas e atendimentos médicos e de enfermagem em domicílio, de rotina e urgências; atendimentos médicos em domicílio com a finalidade de atestar óbitos, fornecer laudos (INSS, fraldas, nutricional, bancos, oxigênio, etc) e quaisquer outras necessidades dos usuários; prescrições médicas e de enfermagem quinzenais, com fornecimento das medicações em uso pelos pacientes, bem como todos os insumos necessários para o cuidado dos pacientes em domicílio pelos cuidadores e técnicos (materiais de curativos, sondas, soro, compressas e diversos outros); assistência domiciliar por profissionais de nível médio (técnicos de enfermagem), para a realização de procedimentos, monitorização de sinais vitais, administração de medicações pela via oral ou parenteral, realização de curativos, entrega de medicações; Atendimentos fisioterapêuticos de prevenção às comorbidades, terapêuticas e de reabilitação em domicílio; Atendimentos psicológicos em domicílio; Atendimentos fonoaudiológicos em domicílio; Acompanhamento de pacientes em terapia nutricional, bem como mediação do fornecimento de dietas pelo galpão de nutrição, tanto pela nutricionista quanto pelos médicos; Atendimento/acompanhamento em reabilitação na multideficiência pela equipe multiprofissional; Entrega quinzenal em domicílio das medicações de uso contínuo pelo paciente; Sondagens, cateterismos e cuidados com ostomias em geral; Administração de medicações, hidratação e outros por via parenteral; Realização de curativos complexos com ou sem debridamentos.

Veja galeria de fotos

 

Leia mais:

 Samd atende a 270 pacientes com tratamento domiciliar em Porto Velho


Fonte
Texto: Paulo Ricardo Leal
Fotos: Frank Néry
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Governo, Inclusão Social, Rondônia, Saúde, Serviço, Servidores, Sociedade


Compartilhe