Governo de Rondônia
Domingo, 07 de março de 2021

ATENDIMENTO

Mutirões de cirurgias ortopédicas no HB devem reduzir tempo de espera em 60%, estima Secretaria de Saúde

06 de junho de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

O governo de Rondônia encerrou na sexta-feira (3) mais um mutirão de cirurgias ortopédicas. A meta é diminuir em mais de 60% a fila de espera no Estado. Todas as cirurgias foram realizadas no Hospital de Base Ary Pinheiro (HB), em Porto Velho.

No total, nesta etapa, 35 cirurgias – de joelho e quadril -, foram feitas pela equipe do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Luiz Eduardo Maiorquin, a medida faz parte do programa de aceleração de cirurgias eletivas implantado pelo governo de Rondônia. Ele explica que uma verdadeira força-tarefa formada por médicos especialistas vem desafogando a fila em Rondônia. A equipe do Into é comandada pelo médico José Luiz Ramalho Neto.

Maiorquin explica que a iniciativa é necessária devido à falta de profissionais para esta área em todo o país. Além disso, há um agravante para este tipo de trauma: os acidentes de trânsito. Dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) apontam que para cada dez pessoas internadas esperando cirurgias ortopédicas, pelo menos oito são vítimas do trânsito em Porto Velho e cidades do interior de Rondônia.

Os números foram confirmados ano passado, durante ampla campanha “Sobreviventes”, realizada pelo governo de Rondônia, alertando para o crescente índice de pessoas mutiladas, vítimas de acidentes de trânsito. Os números apontam, também, que as motos lideram em traumas.

Segundo Luiz Eduardo Maiorquin, levantamentos feitos pelo Ministério da Saúde (MS) sobre internações hospitalares e gastos com tratamento mostram que o Brasil enfrenta “uma epidemia” de acidentes de trânsito. Em todo pais, em 2015, foram internadas em hospitais da rede pública mais de 160 mil vítimas de acidentes de trânsito, o que gerou um gasto estimado de R$ 300 milhões aos cofres públicos. Este número pode ser bem maior neste ano, considerando o crescimento dos acidentes na maioria das cidades do país.

POLICLÍNICA - Pacientes passam por triagem antes dos procedimentos

Pacientes passam por triagem antes dos procedimentos

Pacientes das alas de ortopedia receberam ano passado orientações, dicas e palavras de incentivos sobre a importância da vida. O serviço foi prestado pela coordenadoria de educação para o trânsito do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A equipe, formada por oito profissionais, percorreram todas as enfermarias. Muitos pacientes se emocionaram com as palavras de carinho levadas pela equipe. A ação pode ser repetida este ano.

A ideia do projeto, além de orientar os pacientes sobre a importância da educação no trânsito, tem como objetivo mostrar para a população o reflexo da imprudência no Sistema Único de Saúde (SUS), explica o diretor-geral do HB, Nilson Paniágua.

A agravante é que, do total das internações, praticamente a metade – 48% – envolveu motociclistas. Este índice em Rondônia é bem maior. Para o MS, isso caracteriza uma situação epidêmica, e as causas mais comuns são: direção perigosa e condução das motos por pessoas alcoolizadas, por isso que o governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), buscar a conscientização da população sobre os reflexos que os acidentes trazem ao SUS.

Leia mais:
Pacientes de ortopedia lotam o Hospital de Base Ary Pinheiro, que faz em média 30 cirurgias por dia em Porto Velho
Samd redobra atendimento ao socorrer baleados, dependentes químicos e acidentados de moto com sequelas neurológicas


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Inclusão Social, Previdência, Rondônia, Saúde


Compartilhe