Governo de Rondônia
Sexta, 26 de abril de 2019

DIA MUNDIAL DO CAMPO

No dia Mundial do Campo o Governo de Rondônia parabeniza o agricultor familiar

05 de maio de 2018 | Governo do Estado de Rondônia

A 7ª Rondônia Rural Show é uma vitrine de tudo que se produz no Estado

O Dia Mundial do Campo é comemorado em 5 de maio. O campo é considerado o bioma terrestre mais vasto do planeta. Através dos continentes, sua superfície chega a cerca de um quarto (¹/₄) – ou em 46 milhões de quilômetros quadrados.

Rondônia é eminentemente agrícola e 82% de tudo que aqui se produz, vem da agricultura familiar, de pequenos lotes e comunidades assistidas pelos projetos dos governos estadual e federal.

A agricultura e a pecuária são as atividades de maior importância do campo e principalmente pelo desenvolvimento do homem sobre o campo. Por isso, o Dia do Campo serve de reflexão sobre como esse sistema é vital para a sobrevivência (humana, vegetal e animal).

De 23 a 26 deste mês, acontece a 7ª edição da Rondônia Rural Show, no centro tecnológico Vandeci Rack, em Ji-Paraná. É a maior feira de agronegócio da região Norte do Brasil. O evento é consequência de políticas agropecuárias acertadas e de total empenho do governo do Estado e iniciativa privada em aprimorar e melhorar o trato com o campo e com quem produz o alimento nosso de cada dia.

Antônio Varane, contador formado pela Universidade federal de Rondônia (Unir), morador do reassentamento São Domingos, lote 29 em Porto Velho, é um dos produtores rurais que trabalha no campo por opção. Produz de quase tudo, em especial cria peixes (tambaqui, curimatã, piau), hortaliças (variedades de alface, cebolinha, salsa, cheiro verde), frutas e as comercializa nas feiras, com destaque para a feira da Empresa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater), que acontece na capital.

Antônio Varane, o campo como opção

Varane destaca a importância da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) que é a gestora em Rondônia dos Programas de Aquisição de Alimentos (PAA), estadual e federal. “O PAA é a salvação da nossa lavoura. Por enquanto ainda paga pouco, mas é o que tem nos mantido. Este ano estou de cota cheia, então vai sobrar um pouco mais”.

Sua esposa, Lídia Varane se apaixonou pelas ‘rosas do deserto’ e as cultiva há pouco tempo, mas já tem uma clientela ávida e satisfeita. “Comecei com replantio dos galhos e a polinização das abelhas. Depois comprei várias matrizes e aprendi a polinizar. Dentro de alguns meses vou poder comercializar os ‘filhos’ destas matrizes e gerar mais uma fonte de renda para a nossa família”.

Antônio diz que “Não sei o que seria da gente sem a Emater. Além do apoio tecnológico, este órgão abre as portas para um monte de coisas, nos apresentando programas governamentais e de fomento que a gente nem imagina que existem”.

Diversificação é a palavra chave para a sobrevivência no campo e é uma ótima fonte de empregos, que geram renda e riqueza ao país. Desse modo, considera-se o campo como um impulsionador da balança comercial.

Dona Maria Auxiliadora, vizinha dos Varane, produz café, banana, mandioca, farinha, legumes (jiló, quiabo, tomates) e tem um pomar com laranja, limão, mamão, abacate e mais uma infinidade de outras frutas que comercializa na capital. “Tenho muito que agradecer à Emater que e ao Banco da Amazônia (Basa), porque consegui financiar a minha caminhonete e ela me permite mais que dobrar a distribuição do que produzo”.

O Dia Nacional do Campo Limpo é celebrado em 18 de agosto e também tem como objetivo trazer conscientização ambiental em relação à agricultura, como, por exemplo, através de um correto destino das embalagens de agrotóxicos. Foi instituído via da Lei Federal nº 11.657, de 2008.

“Um desafio atual que não só remete ao campo, mas sim para toda a agricultura, é como gerar alimentos suficientes para uma população mundial que ultrapassou os 7 bilhões de habitantes. Esse desafio é complicado pois deve-se cumpri-lo sem atingir negativamente o meio ambiente e Rondônia tem conseguido aumentar sua produção sem desmatar mais nenhum hectare de terra, explica o secretário da Seagri, João Paulo Gonçales.

Veja o vídeo com os depoimentos AQUI


Fonte
Texto: Marco Aurélio Anconi
Fotos: Marco Aurélio Anconi
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Agropecuária, Água, Brasil, Capacitação, Distritos, Ecologia, Economia, Fundo Proleite, Governo, Inclusão Social, Indústria, Infraestrutura, Meio Ambiente, Municípios, Piscicultura, Rondônia, Rondônia Rural Show, Tecnologia, Terceiro Setor


Compartilhe