Governo de Rondônia
Segunda, 01 de março de 2021

PORTARIA 558

Nova legislação para produção de mudas de café é apresentada aos viveiristas, em Ouro Preto do Oeste

04 de dezembro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

A Portaria de nº 558, da Agência de Defesa Sanitária Agrossilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), foi apresentada na manhã desta sexta-feira (4) aos viveiristas e responsáveis técnicos que participam do curso para viveiristas – produção de mudas de café com qualidade, no Centro de Treinamento da Emater (Centrer), em Ouro Preto do Oeste.

Coordenadores da Idaron, João Paulo Quaresma e Renê Parmejiani; e a gerente de Defesa Vegetal, Rachel Barbosa tiram dúvidas dos viveiristas sobre a portaria

Coordenadores da Idaron, João Paulo Quaresma e Renê Parmejiani; e a gerente de Defesa Vegetal, Rachel Barbosa tiram dúvidas dos viveiristas sobre a portaria

A nova legislação trata dos requisitos fitossanitários para produção, comercialização, trânsito, armazenamento e utilização de mudas de café. Os viveiristas têm 180 dias para se adaptarem às novas regras, que já são cobradas em outros estados brasileiros produtores de café, como Minas Gerais e Espírito Santo.

Na apresentação, a gerente de Defesa Vegetal, Rachel Barbosa, explicou a razão para o Estado de Rondônia ter criado a portaria, como ela foi feita e seus principais tópicos. “O nosso trabalho é baseado em legislações federal e estadual. A finalidade é disponibilizar aos produtores rurais um material com qualidade”, disse.

Uma das principais mudanças com a portaria, é a exigência de análise em laboratório para confirmar a ausência de nematoide nas mudas de café. “As análises só podem ser feitas em laboratórios credenciados pelo Mapa [Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento]”, alertou o coordenador de Pragas da Idaron, João Paulo Quaresma

Dando continuidade à apresentação, o coordenador de Fiscalização de Sementes e Mudas da Idaron, Renê Suaiden Parmejiani, explicou como deve ser feita a coleta de mudas para as análises laboratoriais.

“Os campos devem ser divididos em parcelas com no máximo 200 mil mudas e cada parcela deverá ser dividida em cinco sub-parcelas para a retirada de amostras”.

“A gente não quer implantar a portaria para prejudicar alguém. Nós queremos interagir com os viveiristas e encontrar uma solução para o estado ter mudas com qualidade”, disse o presidente da Idaron, José Alfredo Volpi.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Amabile Casarin
Fotos: Amabile Casarin
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Evento, Governo, Legislação, Rondônia, Sociedade


Compartilhe