Governo de Rondônia
Sábado, 27 de fevereiro de 2021

TRANSPORTE

Porto público estadual retoma operações de carga geral no cais flutuante

22 de abril de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

Por medida de segurança as atividades haviam sido transferidas para pontos de atracação provisórios em razão da cheia do Rio Madeira

Após 60 dias funcionando apenas com transporte de grãos, as operações de carga geral (hortifrutigranjeiros, óleo, produtos refrigerados, açúcar) no cais flutuante foram retomadas. As atividades com esses tipos de produtos haviam sido transferidas para outros pontos improvisados de atracação do terminal portuário da Capital, por medida de segurança: havia risco da estrutura vir à pique por não suportar a força da correnteza que aumentou com a cheia do Rio Madeira. Agora, com o recuo das águas, as operações no cais foram normalizadas.

7 - porto

Caico, diretor de fiscalização a Soph

Caíco, diretor de fiscalização da Soph

Segundo Edinaldo Gonçalves (Caíco), diretor de Fiscalização e Operação da Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (Soph) – empresa que administra o Porto Organizado de Porto Velho – a estrutura do cais está estável. “Nós só temos que fazer os reparos necessários e revisar todas aquelas correntes e cabos (amarrações) que foram colocados há dois meses para que no caso de uma outra enchente com as mesmas ou maiores proporções que esta, nós não passemos nenhum tipo de apuro”, disse.

7 - porto 1Com o retorno das operações de carga geral no cais, os pontos provisórios de atracação serão desativados. “Com o rio baixando, não há condições de continuar operando nos barrancos porque fica muito alto pra poder descarregar as balsas. Então tem que ser o cais mesmo que volta a operar em sua plenitude nos seus três pontos de atracação”, reforçou o diretor de Fiscalização da SOPH.

Demanda – Cabe salientar que o porto público estadual está operando acima da sua capacidade de carga, em razão da migração de demanda de todos os outros Terminais de Uso Privativo (TUPs)  que ficaram alagados. Tal situação deve se prolongar por, pelo menos, mais dois meses até que todos os reparos e manutenção nesses TUPs sejam realizadas.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Josi Gonçalves - Assessoria Soph
Fotos: Soph
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Economia, Governo, Transporte


Compartilhe