Governo de Rondônia
Quarta, 26 de junho de 2019

POSSE

Produção econômica cresce e será outra vez prioritária

01 de janeiro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Daiane Mendonça (7)

“Rondônia é o estado da região norte que mais recebeu recursos dos agentes financeiros em 2014”, disse o governador.

A produção econômica e a expectativa de crescimento do estado para o segundo mandato foram abordados com destaque durante a solenidade de posse do governador Confúcio Moura, na manhã desta quinta-feira (1º/1), no Palácio das Artes, em Porto Velho.

Confúcio enfatizou que Rondônia foi o estado que mais cresceu em todo o Brasil em 2013, com um índice de 6,9%. O governador destacou ainda que a receita própria do estado vem apresentando crescimento contínuo nos últimos quatro anos e, no ano passado, teve elevação de 13,46%.

O governador ressaltou também que o setor produtivo de Rondônia será prioritário neste mandato. “A produção de café deverá crescer e alcançar quatro milhões de sacas por ano, assim como outras culturas importantes, como a soja, o milho e o arroz, além da criação de peixes em cativeiro e a exploração de florestas plantadas, que estão em fase de expansão e de ganhos em produtividade”.

Confúcio afirmou que o estado “está fazendo sua parte” e deverá destinar um grande volume de recursos em obras de infraestrutura e transporte. E enfatizou o volume de investimentos disponível para o estado. “Rondônia é o estado da região norte que mais recebeu recursos dos agentes financeiros em 2014”, disse o governador. “Foram mais de R$ 9 bilhões disponibilizados pelos agentes financeiros no ano passado, quando nosso estado se destacou com a maior carteira de investimentos da região norte e uma das maiores do país”.

Para o governador, a regularização fundiária urbana e rural deverá impulsionar a economia e a geração de empregos. “Os títulos entregues valorizam as propriedades e deverão duplicar o PIB de Rondônia nos próximos dez anos”. Confúcio também lembrou a construção da usina de calcário em Pimenta Bueno, que deverá ter sua capacidade duplicada de 400 mil para mais de 800 mil toneladas/ano.

Daiane Mendonça (11)Otimismo

Já o deputado estadual Euclides Maciel  (PSDB) fez um discurso otimista em relação ao desenvolvimento rondoniense nos próximos quatro anos. “O estado está preparado para o futuro e os novos desafios econômicos do novo mandato”.

O parlamentar citou que o PIB rondoniense chegou à casa dos R$ 29 bilhões em 2012, lembrou o crescimento das exportações de carne bovina, num índice de 72%, e a presença de uma moderna estrutura de frigoríficos, além do rebanho de mais de 12 milhões de bovinos no estado.

Maciel lembrou ainda os investimentos públicos e privados que vêm sendo feitos na construção do novo porto de Porto Velho e destacou como prioritárias as obras das zonas de processamento de exportação em Porto Velho e Guajará-Mirim, do novo gasoduto e o início da Ferrovia Vilhena-Porto Velho.

Pilares

O secretário de estado George Alessandro Braga, da Sepog, ressaltou que o governo vem trabalhando em cinco pilares da produção agroindustrial, citando as culturas da soja, leite, carne, estanho e peixe, e ressaltou o crescimento esperado para as culturas de café e cacau. “Somos um estado agropecuário, não adianta querer inventar a roda, portanto vamos trabalhar e estimular os produtores rurais, de pequeno e de grande porte, oferecendo estradas e portos em boas condições para escoar a produção”.

O vice-prefeito de Rolim de Moura, empresário Luizão do Trento, afirmou que “o governador está correto ao afirmar que Rondônia é um eldorado, uma terra de grandes oportunidades, que cresce a passos largos e em ritmo chinês”, citou. “A produção de carne está aumentando, com os novos confinamentos, temos frigoríficos modernos, novas indústrias de leite em pó, a pecuária está crescendo de modo sustentável, sem precisar desmatar”, disse Luizão.

Para o empresário e presidente da Fecomércio, Raniery Coelho, o segundo mandato deverá “pensar o desenvolvimento de Rondônia para os próximos 30 anos”.

O líder empresarial enfatizou que os próximos quatro anos “deverão deixar um legado importante aos futuros governantes do estado”. E conclamou o governo a seguir o exemplo de outros estados, em especial do sul do país. “Temos que copiar aquilo que vem dando certo”, assinalou.

Daiane Mendonça (12)Essa também é a opinião do médico e líder cooperativista Volmir Rodegheri, de Rolim de Moura. “O modelo de cooperativismo adotado no sul do país é algo que deve ser seguido pelo setor produtivo de Rondônia, especialmente a produção de alimentos, como os hortifrutigranjeiros”, destacou Volmir.


Fonte
Texto: Sandro André/DECOM
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Agropecuária, Economia, Evento, Governo, Indústria, Piscicultura, Rondônia


Compartilhe