Governo de Rondônia
Segunda, 22 de julho de 2019

EXPANSÃO

Produtor de Itapuã do Oeste se destaca com cultivo de 180 mil pés de abacaxi em oito hectares

11 de abril de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

Rondônia possui clima e solo favoráveis à produção de praticamente todas as espécies frutíferas de clima tropical, mas ainda importa a maioria das frutas que consome, uma realidade que pode mudar com a multiplicação de iniciativas bem sucedidas de agricultores familiares orientados pela Empresa Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RO).

Plantação de abacaxi se destaca na Linha General Carneiro, em Itapuã do Oeste

Plantação de abacaxi se destaca na Linha General Carneiro, em Itapuã do Oeste

Um bom exemplo é o cultivo do abacaxi, uma das culturas de entrada para novos fruticultores. Nesta semana, em visita à lavoura do agricultor Leonir Tressi, em Itapuã do Oeste, que cultiva 180 mil plantas de abacaxi, os técnincos constataram que ele consegue produtividade acima da média nacional.

Entre os estados brasileiros que mais produzem abacaxi, estão o Pará e a Paraíba, respectivamente com 330 e 327 milhões de frutos por ano.

Na estatística divulgada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Rondônia nem aparece como estado produtor da fruta, mas a produtividade alcançada na propriedade do agricultor Leonir Tressi, na Linha General Carneiro em Itapuã do Oeste, que colhe mais de 30 mil abacaxis por hectare, revela o grande potencial produtivo do estado. Rondônia pode se destacar entre os maiores produtores nacionais, não só de abacaxi, mas também de outras espécies tropicais.

Leonir Tressi cultiva oito hectares de abacaxi, vende sua produção para supermercados de Porto Velho e também para os programas oficiais de compra direta do agricultor, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Segundo ele, 10% de toda a produção se transforma em refugo para a venda in natura. Já os frutos fora de padrão são comercializados para as indústrias de polpas.

Os 90% comercializáveis in natura se dividem em proporções iguais, 30% em cada categoria; e os preços variam de acordo com a classificação do produto. Frutos grandes são vendidos a R$ 2,5, os médios a R$ 2 e os pequenos a R$ 1,50.

O agricultor segue a orientação da assistência técnica oferecida pelo escritório da Emater-RO em Itapuã, no manejo da produção. Ele faz a correção do solo com uso de calcário e adubação, e para conseguir a homogeneização na maturação usa um produto indutor de florada. Este procedimento facilita o processo de colheita e garante uniformidade do produto nas escalas de entrega das vendas dos frutos.

O abacaxi é a fruta símbolo da fruticultura tropical, e seu cultivo está crescendo em Rondônia, se destacando entre outras espécies de frutíferas cultivadas em alguns municípios, a exemplo da banana, outra espécie tropical muito apreciada e cultivada por agricultores familiares.

O município de Cujubim é atualmente o maior produtor de abacaxi do estado, mas com a instalação das agroindústrias incentivadas pelo governo, através do Programa de Verticalização da Produção (Prove) a tendência é que a cultura se desenvolva também em outros municípios.

Leia mais:
Assentamento em Cujubim se destaca com a produção de abacaxi
Dos quintais, chácaras e sítios, grãos, frutas, hortaliças e ervas movimentam feiras livres em Porto Velho


Fonte
Texto: Enoque G. de Oliveira
Fotos: Robson Paiva
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Rondônia


Compartilhe