Governo de Rondônia
Terça, 22 de junho de 2021

Agevisa, Treinamento

Profissionais da saúde do setor público e da iniciativa privada são habilitados para fazerem teste rápido de doenças sexualmente transmissíveis e aids

23 de novembro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Profissionais de nível superior do setor de saúde pública e da iniciativa privada de Rondônia e da Bolívia estão sendo treinados para realizarem teste rápido de HIV, Sífilis e Hepatites B e C. Após o curso, eles estarão habilitados a realizarem os exames e a informar ao paciente o diagnóstico, bem como, assinar os laudos. O treinamento está sendo ministrado pelo coordenador estadual do Núcleo de DST/Aids, Hepatites Virais da Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa), Natanael da Costa Arruda.

Profissionais da saúde são treinados em Porto Velho para exames rápidos de DST\Aids

Profissionais da saúde são treinados em Porto Velho para exames rápidos de DST\Aids

Durante o evento, Natanael Arruda apresentou dados do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), que mostra a evolução da doença que atinge 39,5 milhões de pessoas no mundo, podendo haver variação entre 34,1 a 47,1 milhões de pessoas. A situação mais grave ocorre nos países da África, onde a doença acontece de forma generalizada, diferente de alguns países, a exemplo do Brasil, onde o vírus tem taxa de prevalência em alguns grupos da população.

Dados mostram que o número de casos novos em pessoas com idade entre 15 e 24 anos, 5,9% dos casos registrados estão entre usuários de drogas; 10,5% entre homens que se relacionam com homens; 0,7% heterossexuais e 0,4% em mulheres. De 2005 a 2015, dados mostram que o Brasil registrou um aumento no número de novos casos em pessoas com idade acima de 15 anos. Nesse período o País tinha 860 mil pessoas vivendo com HIV. O maior número de casos no Brasil é registrado na região Sul.

Rondônia tem 4.266 casos de HIV/Aids, dos quais 88 são de crianças menores de 13 anos, 2.594 de pessoas do sexo masculino e 1.760 de pessoas do sexo feminino. Em 10 municípios concentram-se 90% dos casos registrados no estado. Porto Velho lidera com 2.650 casos confirmados, Vilhena com 309, Ariquemes com 261, Ji-Paraná com 228, Cacoal com 149, Guajará-Mirim com 88, Rolim de Moura com 68, Jaru com 51 e Ouro Preto do Oeste com 49 casos. Os dados referem-se até o dia 1º de março deste ano.

O estado tem 512 casos de gestantes com o vírus HIV, sendo 253 casos registrados em Porto Velho, 57 em Ariquemes, 29 em Ji-Paraná e 23 em Vilhena. Desse total, 190 mulheres sabiam que tinham o vírus quando engravidaram, 249 descobriram durante o pré-natal, 44 durante a realização do parto e 18 após o parto. O primeiro caso de HIV/Aids registrado no Brasil foi em 1980, enquanto em em Rondônia foi em 1987.

Natanael Arruda também explicou o trabalho em parceria que o governo de Rondônia na região de fronteira com a Bolívia. “São realizadas ações conjuntas com os profissionais de saúde, principalmente de Guaramirim, onde nós fornecemos preservativos e testes rápidos para eles, e de contrapartida os profissionais médicos de lá realizam cursos em Porto Velho para médicos do programa Mais Médicos”, explicou.

 


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Eleni Caetano
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Rondônia, Saúde


Compartilhe