Governo de Rondônia
Sábado, 15 de maio de 2021

Intercâmbio

Professor de Porto Velho participa de projeto educacional no exterior

02 de fevereiro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

10906255_10205467705999408_6674555794580576642_n

Alessandro Amorim ficará até maio na cidade de Kent, em Ohio

O professor Alessandro Amorim da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Otino, em Porto Velho, representa a Educação do Estado de Rondônia no International Leaders in Education Program, (Ilep 2015), com mais cinco brasileiros de outros estados, e com outros participantes de diversos países, sendo um total de 64 professores de todo o mundo. Eles estão nos Estados Unidos participando deste intercâmbio cultural, de onde concedeu entrevista via chat.

O Ilep é um programa patrocinado pelo Departamento de Estado Americano e que é implementado no Brasil pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), com o apoio das Secretarias Estaduais de Educação de todo o país.

Alessandro é o segundo rondoniense a participar desta rigorosa da seleção (a primeira foi a Patrícia Miranda, de Alta Floresta, em 2013), com outros professores de todo o país, algo me torno de 600 candidatos. Ao final restaram apenas seis brasileiros no programa, sendo que dois foram para a cidade de Kent, em Ohio, dois no Arizona e dois em Albany, em NY.

Diversidade cultural: professores participantes do Ilep 2015

Professores participantes do Ilep 2015

Ao assumir o seu segundo mandato como governador do estado de Rondônia, Confúcio Moura, salientou que seu governo será voltado a educação, na construção e melhora da estrutura, da formação e qualificação dos educadores. Por isso, professores também buscam complementação da sua formação.

Para realizar as provas, Alessandro contou com o apoio do estado para realização do TOEFL (Test of English as Foreign Language), que é uma das etapas do processo seletivo, que no ano passado foi realizado em Manaus, a cidade mais próxima do candidato concorrente.

Todas as demais despesas do programa correm por conta da Embaixada Americana, que administra a verba do Departamento de Estado Americano, real financiador de todo o programa.

Além disso, os bolsistas ainda recebem Auxílio Biblioteca, Auxílio Bagagem, diárias para alimentação e apartamentos mobiliados (Alessandro divide o apartamento com um Marroquino e um queniano).

Alessandro diz que a experiência com a educação americana está apenas começando, mas desde os primeiros dias pode perceber a grandeza do programa, com a organização impecável, objetivos bem traçados e atividades extremamente bem elaboradas, no intuito de tornar os professores (ainda mais) líderes, ampliando conhecimento teórico, emocional, tecnológico e, acima de tudo, globalizado.

Atividades

Os professores participam de várias atividades que englobam desde seminários sobre multiculturalismo, liderança, inteligência emocional, aulas de tecnologia, orientações sobre o PDM (Professional Development Module – um trabalho de desenvolvimento profissional). “Trabalhamos em diversas escolas públicas locais, para um intercâmbio e imersão totais no sistema educacional americano, inclusive, com a prática do ‘Co-teaching'”.

Os participantes deste intercâmbio também são apresentados às “Friendship Families”, um programa em que famílias americanas locais “adotam” os professores convidados, para atuarem como referência do que é a família americana. O retorno ao Brasil está marcado para o mês de maio.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Geovani Berno
Fotos: Arquivo pessoal
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Educação, Governo, Rondônia, Sociedade


Compartilhe