Governo de Rondônia
Domingo, 26 de maio de 2019

RONDÔNIA MAIS SEGURA

Programa de segurança pública lançado pelo governo propõe enfrentamento conjunto de ações para redução da criminalidade

22 de setembro de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

Confúcio Moura pediu mais cooperação e dialogo aos colaboradores.

A proposta é cooperar, conversar mais um com outro e atuar como um sistema de vasos comunicantes entre os integrantes de cada secretaria. É assim que o governador Confúcio Moura considera ser essencial, para o êxito do programa Rondônia Mais Segura, a execução de pelo menos duas dezenas de projetos alinhavados em 15 componentes de atuação e competências de forma integrada e transversal.

“Vamos deixar esse projeto entrar em nossa alma, fazer um desarmamento mental e promover o enfrentamento conjunto dos problemas de segurança pública”, disse o governador Confúcio Moura aos colaboradores no lançamento do Rondônia Mais Segura, na tarde desta quinta-feira, 21, no auditório Jerônimo Santana, Palácio Rio Madeira.

Confúcio Moura rememorou a origem do programa, “modelo inovador de segurança pública,” lembrando que foi idealizado por Oscar Motomura, fundador e principal executivo do grupo Amana-Key, que mediante consultoria trabalhou a mudança comportamental de agentes públicos do governo estadual.

O governador fez um apelo para que as pessoas cooperem e conversem mais umas com as outras e deixem de perceber a colaboração como uma “ameaça a seu território, seu espaço.”

“Se cada um fizer sua parte, promover de uma forma ou de outra a paz, isso irá diminuir o crime, é muito importante”, destacou Confúcio Moura, aplaudido quando disse que gostaria de daqui a um ano ver o Rondônia Mais Segura premiado da mesma forma como ocorreu nesta quarta-feira (20), em São Paulo, com o Plano Estadual de Desenvolvimento Sustentável (PDES) e Infovia, iniciativas que ganharam o primeiro lugar entre seis propostas inovadoras avaliadas pelo Centro de Liderança Pública (CLP).

A secretária-executiva da Governadoria Cira Moura disse que são 21 os órgãos de governo envolvidos nas ações constantes nos 15 componentes do programa, que movimentam ações e projetos de segurança no transito, na escola, segurança para empreender, segurança para sustentabilidade e segurança na área socioeducativa entre outros.

Lançamento Rondonia Mais Segurança: projetos integrados e transversalidade.

Segundo Cira Moura, no âmbito do Conselho Estadual de Direitos Humanos surgiu a ideia do projeto Viver Juntos, que objetiva uma construção de cultura da paz e mediação de conflitos. “Ele resgata a ideia de viver juntos em sociedade e na escola. Vemos hoje que os conflitos existem por conta de não se saber viver junto. Nada mais certo do que contribuir para que esse valor primordial de existência seja recuperado; a sociedade perdeu um pouco do sentido do que é viver”, disse.

No componente articulação institucional, a secretária executiva falou da importância do envolvimento  dos municípios, por isso uma das soluções constantes nesse item é a Rede de Cooperação e Parceria em Segurança Pública (Recopar), para integrar ao programa atores parceiros, inclusive da iniciativa privada. “É a construção de uma política pública nova, começa com desafios, mas é possível”, observou.

O secretário de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), coronel Lioberto Caetano disse que no Recopar, para fortalecer parceria com prefeituras, será fundamental a atuação da Casa Civil. Segundo ele, de novembro do ano passado até agora houve uma redução de 38% nos homicídios.

Lioberto Caetano disse ser essencial o investimento no Big Data, uma plataforma digital de integração de informações que permitirá ao governo ter maior controle e dados mais corretos sobre a situação do setor, e sobre o monitoramento das ruas das cidades por meio de celulares.

No Rondonia Mais Segura haverá a integração das forças de segurança numa mesma academia, o que irá gerar economia de milhões de reais, segundo Caetano.

Nas fronteiras, o estado de Rondônia contará com a cessão de policiais do Espirito Santo, Goiás, Minas Gerais e São Paulo, medida decidida por ocasião da realização do 6° Pacto Integrador de Segurança Pública, que reúne 22 estados e foi realizado no final de agosto em Porto Velho. “Independentemente do governo federal, policiais desses estados serão cedidos ajudando a resolver o problema de drogas e armas na fronteira. Eles ajudam, mas estamos também ajudando a resolver o consumo de drogas em São Paulo, hoje o maior centro consumidor do país”, disse.

Para o vice-governador Daniel Pereira, o grande desafio é mudar conceitos, e na área da segurança o Brasil tem adotado modelos, citando iniciativas existentes na Paraíba, Espirito Santo e Pernambuco.

“Eu acredito no programa Rondônia Mais Segura e devemos partir do princípio de que não é apenas uma responsabilidade dos profissionais da área. Toda a sociedade tem um papel a cumprir. Quando um pai cuida bem do filho está fazendo segurança pública, quando um professor na creche cuida bem das crianças também está fazendo segurança pública,” considerou.

Leia mais:
Programa integrador e transversal de segurança pública será lançado nesta quinta-feira, 21, em Porto Velho


Fonte
Texto: Mara Paraguassu
Fotos: Bruno Corsino
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Brasil, Capacitação, Cursos, Economia, Evento, Governo, Justiça, Legislação, Municípios, Polícia, Rondônia, Servidores, Sociedade


Compartilhe